Uma edição que vale por 12. A publicação destaca análises anuais dos principais setores da pecuária brasileira.

Informação com credibilidade há 17 anos!

Reprodução

Cautela para 2011

Com a recuperação dos preços pecuários, cresce investimento na reprodução de bovinos

Alcides Torres, Gustavo Aguiar e Hyberville Neto*

O investimento em qualquer atividade ocorre em consequência da conjuntura ou perspectivas positivas, presumindo lucro. Foi o que ocorreu este ano com a cria. Em São Paulo, por exemplo, um bezerro anelorado desmamado era negociado por R$ 570,00 no início do ano. No final de setembro, era negociado por R$ 700,00, alta de 22,8%. O criador observou o produto de sua atividade se valorizar até as vésperas da monta. Incentivou o investimento em reprodução, como em reprodutores, por exemplo.

O mercado de tourinhos esteve movimentado e em alta. Entre agosto e outubro, o preço médio dos reprodutores Nelore PO, por exemplo, foi de R$ 4.523,00, 24,3% mais que no mesmo período de 2009, cujos preços médios eram de R$ 3.639,00 por cabeça. O grau de investimento também ficou claro com relação aos valores médios dos tourinhos negociados em leilões, que várias vezes atingiram patamares superiores a R$7 mil.

Receptoras

A multiplicação da genética de matrizes superiores, inclusive para a produção de touros, é feita, dentre outras tecnologias, pela TE (transferência de embriões) e FIV (fertilização in vitro). Ambas as técnicas utilizam barrigas de aluguel. Com isto, o mercado de receptoras também está aquecido e o volume de negócios aumentou. Em função do clima, mais seco neste ano, as negociações com receptoras atrasaram, devido à condição corporal das fêmeas. Foi em meados de outubro e em novembro, quando as pastagens já estavam em condições melhores, que os negócios evoluíram.

O preço da receptora está indexado à arroba do boi gordo, que teve forte valorização. Entre o início do ano e outubro a arroba do boi gordo subiu 20,7%. Por um lado essa valorização serviu de estímulo,

por outro, encareceu as receptoras. As fêmeas vazias são negociadas ao redor de [email protected] de boi gordo. Subiram de R$ 910,00 para R$1.100,00, considerando a praça de São Paulo. Na figura 1, estão os preços das receptoras em 2009 e 2010, de janeiro a novembro. Em outubro a valorização foi de 40,8%, em relação ao mesmo mês de 2009.

Inseminação artificial

A venda de sêmen também está com bom volume. Embora a quantidade de doses vendidas em 2010 não esteja consolidada, analisando a evolução dos últimos anos, estima-se um bom desempenho. Entre 2000 e 2009 as vendas de sêmen aumentaram 58,8%, passando de 5,77 para 9,16 milhões de doses (ASBIA, Associação Brasileira de Inseminação Artificial).

Em 2009, mesmo com o mercado do boi gordo e reposição patinando devido aos efeitos da crise global sobre o consumo, as vendas de sêmen aumentaram 11,6% em relação a 2008. Nos últimos três anos, a comercialização aumentou, em média, 10,8% ao ano. Em 2010, um incremento de 9,2% em relação a 2009 já levaria as vendas a dez milhões de doses. Tal aumento é plausível, considerando a conjuntura atual.

Perspectivas

O que deve ser levado em consideração na análise da reprodução é que os produtos desta estação de monta, seja qual for a tecnologia utilizada, podem encontrar um mercado menos firme à frente.

Considerando que os bezerros serão desmamados daqui 18 a 20 meses, e com a retenção de fêmeas dos últimos anos, a tendência é que o mercado seja sobreofertado em algum momento, com consequente queda de preços.

O investimento em tecnologia, na visão zootécnica, quase sempre é positivo. O que não se pode esquecer são os resultados econômicos, que são o objetivo da atividade.

*Consultores da Scot Consultoria