ILPF

ACÁCIA e EUCALIPTO: muito bem-vindos à integração

ILPF

A produção florestal, agrícola e de gado de corte na mesma área e ao mesmo tempo promove ganhos às três atividades. E em harmonia com o meio ambiente. Tudo isso com melhor uso da terra , maior rentabilidade e até redução de custos. E ainda possibilita a prática (rentável) da apicultura

Eng. florestal Flávio Pereira Silva, D.Sc. em Agronomia/Silvicultura, pesquisador científico da Empresa de Pesquisa de Minas Gerais (Epamig) e professor colaborador Universidade Federal de Viçosa (UFV), [email protected], estudante de Eng. Florestal Eduarda T.P.D. Ferreira, bolsista CNPq, UFV, [email protected]

Durante muitos anos o monocultivo de florestas de rápido crescimento no Brasil era restrito às grandes reflorestadoras. Mais recentemente tem-se despontado como atividade lucrativa para grandes, médios e pequenos silvicultores, apresentando rentabilidade 130% superior à bovinocultura e 75% superior à sojicultura. O sistema silviagrícola consiste no cultivo consorciado de espécies florestais de rápido crescimento, como o eucalipto e a Acacia mangium, com culturas agrícolas anuais ou bianuais, numa mesma área e ao mesmo tempo, compondo uma nova alternativa de sustentabilidade das propriedades agrícolas para reflorestadores, apicultores, agricultores e pecuaristas. Ele permite a obtenção de um número maior de produtos e/ou serviços a partir de uma mesma área do que nos monocultivos florestais ou agrícolas, refletindo no aumento e diversificação de renda por unidade de área, agregando receita agropecuária e reduzindo os riscos da atividade.

Mais recentemente esta prática tem sido tratada como uma nova alternativa que auxilia na sustentabilidade do campo, aumentando a produtividade das culturas...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista A Granja, clique Aqui e Assine Agora!