Matéria de Capa

A FORÇA QUE NASCE DA COOPERAÇÃO

Protagonistas em seus locais de atuação, as cooperativas agropecuárias dão suporte a mais de 1 milhão de associados e responderam por 13,5% do PIB do agronegócio brasileiro em 2017. Para continuar crescendo em importância para o desenvolvimento regional e a economia nacional, o sistema amplia investimentos em projetos prioritários, como expansão de unidades, melhoria de estruturas, diversificação de atividades e intercooperação

Denise Saueressig
[email protected]

Uma parte importante do protagonismo do agronegócio na economia brasileira deve-se às cooperativas do setor. Geração de alimentos, armazenagem, fornecimento de insumos, industrialização, venda da produção, assistência técnica, educacional e social: são inúmeras as atuações dessas instituições que, não por acaso, aparecem em rankings que relacionam as maiores empresas do agro no País.

(FOTO 1)

Produtor Edemar Burin e a piscicultura, uma das atividades da família em Palotina/PR. Ele é cooperado da C.Vale há 35 anos

No ano passado, as cooperativas agropecuárias responderam por 13,5% do Produto Interno Bruto (PIB) do agronegócio, com um faturamento de mais de R$ 190 bilhões, resultado que representa um incremento de 4,5% em relação a 2016, segundo a Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB). Sobre 2018, o diagnóstico ainda requer cautela, observa o analista técnico e econômico da OCB, João Prieto. Apesar da expectativa de um cenário positivo baseado na possível recuperação da economia, houve momentos em que o câmbio sofreu grandes oscilações. “Também devemos considerar a paralisação dos caminhoneiros, que desencadeou impactos diretos ao setor, trazendo, como um dos desdobramentos, a implementação do tabelamento de fretes. Além disso, atravessamos um processo eleitoral que gerou grandes oscilações no mercado”, sustenta.

Do total de 6.88...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista A Granja, clique Aqui e Assine Agora!