Sustentabilidade

 

ÁGUA para cuidar da terra

Programa da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) incentiva ações de proteção das nascentes nas propriedades rurais

Denise Saueressig [email protected]

“Um dia você vai ter que proteger uma nascente. E você pode fazer isso em um dia”. É assim que a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) convoca os produtores a trabalharem em ações de preservação e recuperação por meio do Programa Nacional de Proteção de Nascentes.

Lançada em março, a iniciativa atende a necessidade de conciliar a produção com a conservação dos recursos naturais e complementa as obrigações legais previstas no Código Florestal. O programa tem objetivos ambiciosos, destaca o coordenador de sustentabilidade da CNA, Nelson Ananias. Além da meta de proteção de mil nascentes em áreas rurais em 2015, a continuidade da ação prevê outras medidas ambientais, como a restauração de matas ciliares e a reservação de água. “A água é um bem comum e precisa ser gerenciada com responsabilidade para que exista oferta suficiente mesmo em momentos de escassez de chuva”, resume o dirigente.

Mais do que colaborar para a oferta e à qualidade da água na cidade e no campo, o produtor rural tem benefícios em todo o sistema quando preserva as nascentes da propriedade. São vantagens econômicas e sociais perceptíveis de várias formas. “É uma cadeia integrada, que inicia com aumento da biodiversidade, passa pela melhoria das condições do solo e segue até o crescimento da produtividade”, conclui Ananias.

Além da divulgação feita pela própria CNA, o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) vem trabalhando com a comunicação de informações sobre o projeto junto às federações e aos sindicatos rurais e nas atividades de treinamento. “Ficamos positivamente surpresos com o grande interesse de órgãos estaduais públicos e privados sobre a iniciativa”, observa o dirigente.

A linguagem simples e didática adotada pelo programa pretende facilitar a execução de ações por parte dos produtores. No site www.canaldoprodutor.com.br/ protecaodenascentes podem ser acessados os cinco passos (veja box) sugeridos para a proteção das nascentes. Segundo as orientações, tudo pode ser feito em um dia. “São atitudes simples e de baixo custo”, afirma o dirigente da CNA. O site também apresenta um vídeo tutorial e reserva um link para o cadastro das nascentes protegidas, espaço onde o produtor pode registrar seu trabalho.

Nelson Ananias, da CNA: água é bem comum e precisa ser gerenciada com responsabilidade para que exista oferta suficiente mesmo em momentos de escassez de chuva


CINCO PASSOS PARA A PROTEÇÃO

1 - Identificar a nascente

As nascentes formam as represas ou os cursos d’água, tais como regatos, rios e ribeirões. Elas podem ser perenes ou temporárias. A identificação do tipo de nascente orienta o melhor caminho para sua proteção.

2 - Cercar a nascente

Para impedir danos causados por animais, homens ou veículos, a área em torno da nascente deve ser cercada. Manter a nascente preservada minimiza os riscos de erosão, poluição ou outros acidentes naturais ou provocados pela intervenção humana.

3 - Limpar a área

A nascente precisa estar limpa. Retire materiais que possam contaminar e/ ou obstruir o curso natural da água, como plástico, garrafa, resto de comida, plantas invasoras ou outros. A limpeza deve ser feita com cuidado para não prejudicar a fonte de água.

4 - Controlar a erosão

Existem várias técnicas para controlar a erosão hídrica, impedindo que enxurradas soterrem a nascente ou a exagerada compactação do solo impeça a infiltração da água. Os técnicos do Senar podem orientar sobre a melhor forma de proteger a nascente contra a erosão.

5 - Replantar espécies nativas

Preparar o terreno e adubar as covas onde serão plantadas as mudas de espécies nativas são medidas que garantem o sucesso da recuperação da área da nascente. Para distribuir as plantas, a melhor técnica é imitar a natureza, reproduzindo a vegetação original.