Cartas, Fax e E-Mails

CUSTOS: COMO ENFRENTAR A ASSOMBRAÇÃO

Absolutamente tudo subiu para quem faz lavoura (reportagem de capa da edição de junho). Todos os itens que compõem os custos de produção da agricultura aumentaram. Um absurdo. Nestas horas eu penso: bem que os governos poderiam dar uma mão e baixar um pouco a carga tributária, por exemplo, dos componentes da cesta básica. Já pensou, os alimentos mais baratos, as pessoas comendo mais e melhor, o consumo aumentaria e, assim, demandaria mais alimentos da agricultura brasileira que, por sua vez, teria que produzir mais? Bem, sei que não sou a primeira a falar isso e sei que nada ou pouca coisa mudará.

Jéssica de Albuquerde Sertãozinho/SP


PARABÉNS AO GOVERNO FEDERAL

Todas as críticas ao Governo Dilma são procedentes. Principalmente aquelas sobre a corrupção. Mas não dá para deixar de elogiar a disposição do Governo no apoio ao agronegócio e à agricultura familiar por meio dos Planos Safras para ambos os setores. Os dois, a agricultura empresarial e a familiar, tiveram incremento de 20% nos recursos. No momento em que está se cortando dinheiro de todos os segmentos, parece que em Brasília se deram conta que tudo o que for investido na agropecuária tem retorno. Em impostos, empregos, balança comercial e assim por diante. Fico feliz e até esperançoso.

Leandro Leite Jr. Goianesia/GO


PLANTIO DIRETO: USO DE INOCULANTES

Excelente o artigo da seção Plantio Direto sobre feijão em pós-plantio do consórcio milho com braquiária (edição de junho). Na minha região é muito comum o plantio de milho superprecoce (solteiro) em agosto e sua colheita no final de janeiro, com plantio de feijão sob a mesma área, colhendo-o em maio. No nosso caso não é irrigado, pois a chuvas são regulares durante o ano todo. Porém, o artigo ajudou muito, pois não é comum pelos produtores o uso de inoculantes, nem no milho nem no feijão, fazendo o uso de doses cavalares de uréia em cobertura. Bom saber que o uso dessas bactérias aumenta tanto a produtividade, ainda mais com a redução de fertilizantes nitrogenados, o qual tem um custo altíssimo. A equipe da revista A Granja está de parabéns.

Jacob Rickli Agronomia UEPG de Prudentópolis/PR