Gestão

 

Aplicações e vantagens da CONTABILIDADE

A administração e a contabilidade rural são fundamentais para o sucesso das unidades de produção agropecuárias, e o produtor precisa definir se está preparado para fazer uma gestão eficiente sozinho, se precisa se capacitar ou, ainda, buscar auxílio de profissionais

Raquel Breitenbach, bacharel em Desenvolvimento Rural e Gestão Agroindustrial, mestre e doutora em Extensão Rural, Elisane Roseli Ulrich Zanelato, bacharel em Ciências Contábeis, mestre em educação, professoras do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul

O agronegócio brasileiro tem se apresentado como o setor de maior contribuição para o PIB do País, bem como o principal responsável por gerar superávit na balança comercial, já que é o setor que mais exporta, abastecendo mercados de todo mundo no que se refere a produtos alimentícios primários ainda não-manufaturados. Nesse contexto, a atividade agrícola de produção de soja destaca-se pela quantidade produzida e exportada.

O agricultor brasileiro adotou a produção de soja como uma das atividades prioritárias em suas unidades de produção agropecuárias. Isso ocorre pelas facilidades do mercado da cultura, pois o grão é comercializado fluentemente e tem liquidez na venda, ou ainda pela menor exigência de mão de obra comparativamente a outras atividades como bovinocultura de leite, suinocultura, avicultura, entre outras. Para tanto, esse agricultor especializou-se nessa atividade, renovou a frota agrícola, investiu em tecnologia, capacitou-se em termos de conhecimento, passou a acompanhar os lançamentos de sementes e insumos relacionados à atividade. Ou seja, o produtor brasileiro de soja adotou essa atividade e buscou obter resultados financeiros positivos com a mesma.

Porém, o agricultor necessita agir constantemente como um empresário, tomar decisões rápidas. São decisões que impactam na safra de um ano agrícola e também no futuro de seu empreendimento. Assumindo essa condição de empresário e olhando para sua propriedade rural como uma empresa, o agricultor precisa estabelecer planos e fazer análises estratégicas acerca da mesma. E, para isso, necessita ter informações registradas sobre o seu patrimônio para dar subsídio à tomada de decisões.

A primeira informação a ser considerada é que a soja é uma commodity, ou seja, não é passível de diferenciação no produto final, tem preço definido e que não sofre interferência do agricultor – por maior que seja sua unidade de produção. Para esse tipo de produto agrícola, a melhor estratégia a ser adotada é a de redução de custos de produção a partir das seguintes ações: adoção de alta escala produtiva; otimização dos maquinários e equipamentos e consequente redução de custos de depreciação; redução de desperdícios de insumos a partir de tecnologias como a agricultura de precisão; bem como demais estratégias a serem definidas pelo agricultor.

Porém, é nesse momento que surge o maior impasse: como o agricultor vai definir estratégias, ações para redução de custos, se a maioria não faz um controle formal dos custos de produção? A grande parte dos agricultores analisa a produtividade da lavoura, mas o foco do agricultor não pode ser apenas em buscar a máxima produção a qualquer custo. É preciso buscar a máxima relação custo x benefício nas atividades desenvolvidas.

Resistência do produtor — São raros os produtores que realizam essa análise e, portanto, poucos sabem o real custo e lucro de sua propriedade. Essa limitação condiciona muitas tomadas de decisão, já que o agricultor limita-se a decidir por outros fatores, seja baseado apenas na produtividade obtida ou pelo que ele “acha” que teve de lucro e custo, e não baseado nas informações que a contabilidade rural poderia fornecer sobre a realidade concreta analisada. A administração e a contabilidade formal ainda encontram uma resistência por parte dos produtores, os quais gerenciam informalmente e com pouco controle suas unidades de produção agrícolas. Porém, destaca-se que o gerenciamento das atividades agrícolas e a contabilidade rural auxiliam o agricultor na tomada de decisão acerca dos fatores em sua unidade de produção agropecuária que estão na ilustração na página anterior.

No gráfico, estão algumas das vantagens de se fazer o gerenciamento formal e a contabilidade rural da propriedade agrícola. Muitos pontos positivos serão descobertos pelo próprio empresário agrícola quando implantar o referido gerenciamento formal, pois a partir do mesmo terá um conhecimento amplo e aprofundado de seu empreendimento, o que permite expandir ainda mais as possibilidades.

Como pode ser visualizado, o proprietário rural é caracterizado também como gerenciador e administrador de uma empresa agrícola ou pecuária, crescendo a necessidade por conhecimento e prática em administração rural. Isso decorre ainda, da necessidade de facilitar a tomada de decisões, a fim de se produzir mais, gerando maior rentabilidade para o crescimento das propriedades. A administração e a contabilidade rural são imprescindíveis para o sucesso das unidades de produção agropecuárias e o planejamento é importante no sentido de orientar o empresário rural para as mudanças e estratégias de mercado, tecnologias de produção, oferta e demanda, entre outros fatores que levam a prosperar no segmento escolhido.

Para tanto, o agricultor precisa definir se está preparado para fazer essa gestão eficiente sozinho, se necessita se capacitar ou se deve buscar auxílio de profissionais. O que não pode é perder a oportunidade de melhorar sua empresa por medo de aprofundar o conhecimento acerca da mesma. A profissionalização do setor e o reconhecimento de suas potencialidades pelos demais setores passam pelo reconhecimento do próprio agricultor de que é necessário gerenciar eficientemente sua propriedade/ empresa.