Aqui Está a Solução

  

GEADA NO CAFÉGEADA NO CAFÉ

Quais são as recomendações para proteger o cafezal quando há ocorrência de geada? Agradeço a informação.

Ivo Beck Cornélio Procópio/PR

R- Caro Ivo, cafeicultores que têm lavouras com idade entre seis e 24 meses devem amontoar terra no tronco dos cafeeiros – prática que os produtores chamam de “chegamento de terra” – para proteger as gemas e facilitar a rebrota no caso de geada severa. Esse procedimento é recomendado para o mês de maio. A proteção deve ser retirada no final do período frio, em meados de setembro; se isso não for feito, as plantas podem sofrer danos por “afogamento do caule”, que são lesões provocadas por altas temperaturas. Em plantios novos, de até seis meses de idade, a recomendação é simplesmente enterrar as mudas quando houver emissão do aviso de Alerta Geada, serviço mantido pelo Instituto Agronômico do Paraná (Iapar) e Sistema Meteorológico do Paraná (Simepar). Os viveiros devem ser abrigados com cobertura vegetal ou de plástico. Nesses dois casos, a proteção deve ser retirada tão logo cesse o risco. O Alerta Geada pode ser acessado nos endereços www.iapar.br e www.simepar.br, ou ainda pelo telefone (43) 3391-4500. Interessados em receber os alertas por e-mail ou mensagem no celular devem preencher um cadastro, disponível no site www.iapar.br.

 

VAZIO SANITÁRIO

Qual é a punição em caso de descumprimento das regras do vazio sanitário da soja em Mato Grosso? Desde já, obrigado.

Heitor Dias Cunha Juara/MT

R- Prezado Heitor, a multa para quem descumprir a medida do vazio sanitário é de 30 UPFs (Unidade Padrão Fiscal), mais 2 UPFs para cada hectare com soja guaxa. Após a penalidade, o produtor tem 30 dias para apresentar defesa junto ao Conselho Técnico Agropecuário que faz parte do Instituto de Defesa Agropecuária do Estado de Mato Grosso (Indea-MT). Se for negado, o produtor multado pode ainda recorrer em segunda instância. A fiscalização no período do vazio sanitário é realizada pelo Indea- MT e tem aumentado nos últimos cinco anos. Em 2014, foram feitas 4.614 fiscalizações, um número 43,7% superior ao registrado em 2013. Também houve aumento no número de autuações: 112 registros contra 41 em 2013. A Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja) informa que o vazio sanitário teve início dia 1º de junho e segue até 15 de setembro, período em que fica proibida a presença de plantas vivas de soja e o plantio da cultura no estado. A proibição é uma medida fitossanitária para prevenção e controle da ferrugem asiática. Durante esse período, o agricultor não pode plantar ou ter lavouras de soja, e também deve eliminar toda e qualquer planta de soja guaxa – que surge de forma voluntária na propriedade.