Showtec

  

Mais de 15 mil visitantes em MARACAJU

A 19ª edição do Showtec, realizada de 21 a 23 de janeiro em Maracaju/ MS, reuniu 15.614 participantes. Palestras, giros tecnológicos, apresentações e demonstrações de tecnologias, inovações e resultados de pesquisa, atividades culturais e prospecção de negócios movimentaram o evento voltado para produtores e empreendedores rurais, técnicos e acadêmicos. No ano passado, o público foi de 12 mil pessoas. O evento que reuniu 130 estandes, com mais de 500 tecnologias agropecuárias é realizado pela Fundação MS, e tem como promotores o Sistema Famasul, Sistema OCB/MS e Aprosoja/ MS, além de patrocinadores.

Para o presidente da Fundação MS, Luis Alberto Moraes Novaes, o principal objetivo do evento é a difusão de novas tecnologias sustentáveis. “Trata- se de um conglomerado de instituições somando esforços para que as pesquisas efetivamente cheguem ao campo, e quando isso acontece, toda a sociedade ganha com resultados de produtividade e sustentabilidade”. Nesta edição, a Fundação apostou na remodelagem do espaço. “Recebemos inúmeros elogios dos visitantes, das empresas e instituições participantes. Houve maior interação entre as empresas pela proximidade e mais facilidade de trânsito dos participantes”, disse o presidente.

A Embrapa foi uma das instituições que levou tecnologias ao evento, como o painel “Sistemas Sustentáveis de Produção”, que reuniu 150 pessoas. Quatro assuntos foram apresentados e debatidos entre técnicos, pesquisadores e produtores de vários municípios sulmato- gressenses: Manejo Integrado de Pragas (MIP) em áreas de lavoura vizinhas; Manejo Integrado de Pragas e resistência a herbicidas; Ajuste Fitotécnico para a realidade de cada região; e in- Divulgação tegração lavoura-pecuária e integração lavoura-pecuária-floresta.

Já a compactação de solos foi tema da apresentação do engenheiro agrônomo Ricardo Ralish, que alertou os produtores sobre a queda de fertilidade do solo com esse problema. “A fertilidade do solo é medida pela sua capacidade em fornecer nutrientes às plantas e na capacidade de absorção de água. As causas da compactação são em função do intenso tráfego de máquinas e equipamentos em condições de solo úmido e o pisoteio animal”, explicou Ralish. Ele demonstrou as ferramentas para análise da compactação que vão desde pressionar o canivete sobre o solo ao uso do penetrômetro, equipamento automatizado para qualificar e quantificar os efeitos da compactação do solo. Entre as alternativas para a solução do problema, o sistema de plantio direto, com rotação de culturas e cobertura vegetal.