Especial - História d'A Granja

 

Mais do que palavras, conteúdo

Há 70 anos

As últimas sete décadas da agropecuária brasileira estão devidamente registradas em algumas milhares de páginas agrupadas em espessos livros pretos. Os tomos compõem o precioso acervo d’A Granja, a revista comercial mais longeva do Brasil em todos os segmentos do jornalismo, e que orgulhosamente completa 70 anos de circulação. Além dos exemplares d’A Granja, compõem o acervo as demais publicações da Editora Centaurus as revistas AG – A Revista do Criador, A Granja do Ano e A Granja Kids – Turma do Dadico, além de outros títulos que entraram e saíram de circulação ao longo desta história. Não há exagero em afirmar que o acervo d’A Granja é a fotografia da agropecuária brasileira nas últimas sete décadas. Nada do que aconteceu, sejam as vitórias e evoluções do agronegócio brasileiro, sejam as dificuldades, passou despercebido, sem a merecida menção. Está tudo registrado em tinta e papel.

Uma síntese deste material de valor inestimável está disposto neste especial sobre o aniversário d’A Granja. Também fazem arte do especial manifestações sobre o aniversário de algumas das principais lideranças do agronegócio brasileiro, de empresas, entidades e instituições. Além disso, em artigos exclusivos autoridades fazem considerações sobre a evolução da agropecuária brasileira nos últimos anos e o que este setor tão importante ao Brasil ainda poderá oferecer ao País e, sobretudo, ao mundo. Por fim, o testemunho de um leitor que representa os demais leitores da revista. O sr. Ademir Rostirolla assina A Granja há quase 40 anos e, mais que um leitor-símbolo da revista, é um produtor-símbolo da tomada do Centro-Oeste pela agricultura, uma saga que, aliás, A Granja relatou desde o princípio.

A revista A Granja nasceu no Rio Grande do Sul em um momento em que o mundo estava envolto em uma preocupação: a Segunda Guerra Mundial. Os aliados tinham desembarcado na Normandia seis meses antes para retomar a Europa, enquanto as tropas de Hitler já davam sinal de fadiga. Nesse ambiente nasceu A Granja, cuja proposta de seu fundador, Arthur Fabião Carneiro, era ser “a primeira revista rural especializada do Brasil”, e tinha como foco editorial bovinos de leite, suínos e avicultura – precisamente para servir ao leitor do Rio Grande do Sul. A definição “granja” à época era o que de mais moderno, mais top existia em tecnologia em uma propriedade de leite, aves e suínos.

A agropecuária brasileira expandiu-se em muito, inclusive para outras regiões do País, e foi seguida pela A Granja – tanto em evolução como em expressão territorial. O slogan “A Revista Rural a Serviço do Rio Grande do Sul” passou para “Revista Agropecuária do Brasil Sul”, para depois ser a revista do “Brasil Agrícola”. E a partir desta edição, “Atuante. Atualizada. Agrícola” passa a ser o bordão que vai anunciar o objetivo de cada edição, na verdade, a proposta desde a número 1, daqueles tempos incertos de dezembro de 1944. Foi a partir deste espírito que A Granja foi superando dificuldades e desafios, atualizou-se conforme a agropecuária brasileira, e atuou sempre em defesa do segmento agrícola – sobretudo, do produtor –, para chegar orgulhosa ao 70º aniversário mais agrícola do que nunca. Uma longa história da agricultura seguirá sendo contada a partir de agora.