Aqui Está a Solução

 

MUDANÇAS NO BIODIESEL

Li uma notícia a respeito de modificações na legislação sobre o uso do biodiesel no Brasil e gostaria de saber o que realmente muda a partir dessa decisão. Grato pela informação.

José Augusto Miranda
Aparecida de Goiânia/GO

R- Prezado leitor, o Governo Federal publicou uma Medida Provisória que prevê o aumento da mistura do biocombustível por litro de diesel fóssil dos atuais 5% para 6%, a partir do mês passado, e para 7% a partir de novembro. Com essa resolução, o Brasil poderá ser o segundo maior produtor de biodiesel do mundo. Hoje, o País fica atrás dos Estados Unidos e da Alemanha, com uma produção de 2,91 bilhões de litros gerados no ano passado, segundo a Associação dos Produtores de Biodiesel do Brasil (Aprobio). De acordo com informações da entidade, o setor produtivo opera com 60% de ociosidade e tem condições de atender uma mistura de até 10%. Segundo o Ministério do Meio Ambiente, o aumento do uso do biodiesel permitirá reduzir a emissão de 48 a 60 milhões de toneladas equivalentes de gás carbônico até 2020. Entre as matérias-primas utilizadas para a fabricação do biocombustível estão a soja, a gordura bovina, o algodão, o girassol e a mamona.


FRUTAS DO SÃO FRANCISCO

Olá, gostaria de ter informações sobre a produção de frutas irrigadas no Vale do São Francisco. Atualmente, qual é a área cultivada naquela região e quais são as principais frutas? Obrigada pela atenção.

Julieta de Moura
Sorocaba/SP

R- Cara Julieta, a área margeada pelo Rio São Francisco nos Estados de Minas Gerais, Bahia e Pernambuco, com destaque para as cidades de Juazeiro, na Bahia, e Petrolina, em Pernambuco, gera um faturamento de R$ 2 bilhões ao ano atualmente. Nos 120 mil hectares irrigados que abrangem os perímetros irrigados da Bahia e de Pernambuco, anualmente são produzidos mais de 1 milhão de toneladas de frutas, com destaque para uva de mesa e manga. Outras culturas também são cultivadas como goiaba, coco-verde, melão, melancia, acerola, maracujá e banana. No Vale do São Francisco, os empreendimentos de fruticultura estão distribuídos em três categorias: pequenos (com até 20 hectares), 94%; médios (entre 20 e 50 hectares), 4%; e grandes (acima de 50 hectares), 2%; Segundo informações do Ministério da Integração Nacional, são gerados na região 240 mil empregos diretos no campo.