Máquinas

 

Segmento agrícola quer avançar em NORMAS técnicas

O Comitê Brasileiro de Tratores, Máquinas Agrícolas e Florestais, criado em 2013, integra a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT)

Daniel Werner Zacher, gestor do ABNT/CB-203, gerente de Assuntos Regulatórios para América Latina na John Deere

A agricultura é historicamente uma das atividades econômicas mais importantes do Brasil. O agronegócio responde por mais de 22% do PIB e consolida-se como a atividade econômica de maior contribuição para o superávit da balança comercial. Em 2013, o valor de exportações de produtos associados ao agronegócio atingiram quase US$ 100 bilhões, para um valor total, considerando todos os segmentos, de US$ 242,2 bilhões exportados. E nas últimas cinco safras constata-se crescimento na área e na produção de grãos.

Para dar suporte a este acelerado desenvolvimento do setor primário, a indústria brasileira de tratores, máquinas agrícolas e florestais conta com um amplo e diversificado parque fabril. Composta por mais de 700 empresas, emprega diretamente mais de 62 mil pessoas e exporta para os cinco continentes, com destaque para a América do Sul, que responde por mais de 50% das vendas. Na última década os fabricantes investiram mais de US$ 1,3 bilhão em novos empreendimentos e o Brasil alcançou, em 2013, volume de mais de 74 mil máquinas produzidas, sendo 12 mil para mercado externo.

E para que o setor de máquinas agrícolas no Brasil possa ampliar ainda mais seu patamar de tecnologia, segurança ao usuário, qualidade, ergonomia, integração internacional e proteção ao meio ambiente, o desenvolvimento de normas é condição fundamental. As normas técnicas provêm de resultados comprovados em pesquisa e desenvolvimento tecnológico e indicam requisitos mínimos aceitáveis para produtos disponibilizados no mercado local.

Criado em 2013, o Comitê Brasileiro de Tratores, Máquinas Agrícolas e Florestais, dentre os múltiplos comitês da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), é o responsável pela elaboração das normas técnicas de tratores, máquinas, sistemas, acessórios e equipamentos utilizados na agricultura e silvicultura, bem como jardinagem, paisagismo, irrigação e outras áreas correlatas que utilizem estes equipamentos, incluindo aspectos de eletroeletrônica e identificação eletrônica de animais por rádio frequência.

Composto por profissionais e especialistas em mecanização agrícola e florestal e sistemas eletrônicos, o ABNT/CB-203 atua em conjunto com a International Organization for Standardization (ISO), que tem a atividade de normalização de tratores, máquinas agrícolas e florestais, por meio do seu ISO/TC 23: tractors and machinery for agriculture and forestry, e que dispõem de um portfólio de 351 normas. O trabalho do ABNT/CB-203 trará um retorno significativo à sociedade civil, já que a agricultura é uma atividade econômica essencial e indutora de desenvolvimento em ampla escala e em todo território nacional. Quanto estimulado os ganhos de qualidade, eficiência, segurança e tecnologia na área, mais será fomentado o aumento de renda ao produtor e, consequentemente, o crescimento do País.