Cartas, Fax e E-Mails

 

NOVOS CAMINHOS PARA O MILHO

O milho sempre teve o seu espaço na agricultura brasileira (reportagem de capa da edição de fevereiro). Ainda que nem sempre o preço agradou a quem cultiva este cereal. Eu diria que muitas vezes o preço foi um desastre para o agricultor. Fico de sobremaneira feliz em ler a reportagem que mostra que o milho brasileiro vai ganhar a atenção especial dos chineses. Por lá o consumo é grande e, portanto, a demanda é meio que “sem fim”. Tomara, meu Deus, que a logística brasileira não atrapalhe esta grande oportunidade aos produtores brasileiros.

Leocádio Moura
Rio Verde/GO


NOVOS CAMINHOS PARA O MILHO II

A possibilidade de usar o milho para gerar etanol estava caindo de maduro no Brasil. É simples entender. O País domina a tecnologia na produção de etanol de cana-de-açúcar e ainda produz milho pra mais de metro. Então, que tal unir estas duas realidades!? Tenho certeza que se ninguém atrapalhar, o etanol de milho no Brasil terá um futuro glorioso. Vai ser bom para quem produz o milho e por vezes é obrigado a vender o produto por uma merreca, e também para aqueles que abastecem o carro todos os dias. Tenho convicção.

Adroaldo de Limeira
Coronel Fabriciano/MG


VISÃO EMPREENDEDORA NO AGRONEGÓCIO

Como gosto de ler ou ouvir histórias como a do senhor Djalma Vieira (O Segredo de Quem Faz, edição de março). São histórias inspiradoras. O cara começou do zero e hoje fatura milhões de reais. Ele deve ser exemplo sempre a tanta gente que costuma reclamar que a burocracia brasileira só cria barreiras para empreender. O sr. Vieira soube vislumbrar num negócio que não para de crescer, o agro, numa região igualmente “sem freios” que ali estava o seu futuro. O dele e de muitas pessoas que trabalham com ele.

Caudionor de Paula
Passo Fundo/RSl



[email protected] ou acesse www.agranja.com twitter.com/#!/revista_agranja