Tratores

 

Trator CUIDADO para durar muito

Além de ter vida longa, para a máquina fazer um bom trabalho é fundamental adotar procedimentos adequados de manutenção antes e depois das operações. A seguir, um manual da preservação correta do trator no dia a dia

Engenheiro agrônomo Wanderley Gusmão, instrutor de mecanização agrícola do Senar/MT

O trator é a principal fonte de potência em uso na agricultura por sua versatilidade e mobilidade nas diversas operações. A máquina é constituída de vários componentes e sistemas que demandam cuidados e manutenções para o seu bom funcionamento, utilizados para realizar tarefas em diferentes locais e condições de trabalho. Por isso, é muito importante adotar procedimentos adequados de manutenção antes e depois das operações, de modo a evitar falhas no funcionamento, o que poderia causar quebras e prejuízos.

Todo trator possui um manual de instruções e nele estão contidas todas as informações necessárias para uma boa manutenção, os cuidados de segurança no trabalho, descrições da máquina, adequação para o trabalho e especificações. É importante que o operador leia atentamente o manual de modo a seguir os procedimentos corretamente. A manutenção é o conjunto de procedimentos realizados com o propósito de prolongar sua vida útil, mantê-lo disponível para o trabalho em perfeitas condições de funcionamento e, consequentemente, reduzir o custo operacional. O conhecimento dos componentes e sistemas e sua manutenção permitirão ao operador executar as diversas tarefas e operações agrícolas, tornando-o apto a exercer sua função de forma correta e segura.

Tipos de manutenção — As manutenções podem ser preventivas, corretivas ou preditivas. A preventiva, a que segue os períodos regulares, visando não acontecer danos no trator e normalmente é realizado pelo próprio operador. Esta manutenção periódica ou programada é um conjunto de operações a serem executadas seguindo um critério de períodos de horas, conforme o fabricante, modelo ou número de série de fabricação. Dentre alguns procedimentos executados na manutenção preventiva estão os seguintes: lubrificação, ajuste da tensão de correias, aperto de porcas e parafusos e limpeza ou trocas de filtros.

A manutenção corretiva é feita após a ocorrência de danos a algum componente do trator. Deve-se evitar esse tipo de manutenção, uma vez que proporciona custos altos e interrompe a execução das tarefas no campo, uma vez que o trator ficará parado na oficina por mais tempo. Já a preditiva é um recurso usado por empresas e proprietários rurais com nível tecnológico mais avançado, visando, basicamente, à diminuição dos custos da manutenção dos tratores e de outras máquinas. São utilizados sistemas de monitoramento por análise de óleos (qualidade e alterações química) e desgastes ou alterações de dimensões de componentes. Em função disso, são adotados critérios de manutenção ou trocas de componentes.

Dentre as manutenções citadas, a preventiva é a mais importante e a que demanda maior número de cuidados. Nesse tipo de manutenção, cada tarefa é executada em um tempo especificado de acordo com o fabricante. Os períodos de manutenção variam conforme o manual do fabricante, que normalmente estipulam intervalos de dez horas ou diariamente, 50 horas ou semanalmente, 250, 500 e 1.000 horas. Os intervalos da manutenção preventiva são progressivos, ou seja, a manutenção realizada com 50 horas de trabalho inclui também a realização dos procedimentos adotados na realização da manutenção de dez horas de serviço. Dessa forma, na manutenção de 1.000 horas são realizados os procedimentos de todas as outras manutenções. A seguir, a manutenção do trator em detalhes.

Manutenção de dez horas: os tratores possuem diversos pinos de lubrificação, comumente chamados pinos graxeiros, que devem ser lubrificados diariamente. É importante que o operador tenha um mapa de localização dos pinos de modo a agilizar a operação e não deixar nenhum sem ser lubrificado. A graxa deve ser introduzida pelos pinos graxeiros e extravasar pelas juntas das partes móveis. No momento em que toda a graxa usada for substituída pela graxa nova, para-se de introduzir a graxa. Isso pode ser facilmente percebido pela coloração das graxas, uma vez que graxas usadas, normalmente possuem coloração escura.

Pressão muito baixa causa desgaste acentuado nas laterais dos pneus, enquanto pressões elevadas diminuem a área de contato com o solo, o que reduz a capacidade de tração

A verificação do nível do óleo lubrificante no cárter do motor é feita por meio de uma vareta contendo a indicação de nível mínimo e nível máximo de óleo existente no cárter. Para uma leitura correta na vareta, o trator deve ser posicionado em um plano e o motor deve ser desligado, aproximadamente, dez minutos antes da leitura. E sempre quando for fazer a leitura na vareta colocar a mesma na posição horizontal para evitar o escorrimento. Deve-se usar uma estopa de pano ou papel para a limpeza, pois a estopa de fiapo solta materiais e este pode entrar no motor e obstruir a passagem de lubrificante. O motor deve funcionar sempre com o nível do óleo no cárter entre a marcação de mínimo e máximo da vareta. Caso haja necessidade de ser completado, deve-se utilizar o mesmo óleo já existente no cárter (classificação e fabricante), devido à contaminação do óleo.

Sistema de alimentação: os cuidados com o sistema de alimentação dividem-se em verificar a qualidade do diesel e do ar que estão sendo introduzidos no motor. A verificação do sistema de alimentação do diesel consiste na observação dos filtros de combustível e do copo de sedimentação. Se os mesmos estiverem com água ou sujeira, deverão ser drenados diariamente. Devese observar também se o tanque de combustível está drenado. Ao final de cada jornada, o tanque de combustível deve ser completado de modo a evitar a condensação de vapor no seu interior durante a noite. A verificação do sistema de purificação do ar se refere na análise do filtro de ar. Nos filtros de ar seco deve-se verificar o indicador de restrição do filtro. É indicado utilizar ar comprimido com pressão de 5 a 6 bar, efetuar previamente a drenagem do reservatório do compressor e a limpeza do elemento filtrante de dentro para fora. Em seguida, verifica-se se o filtro não apresenta furos com o teste da lâmpada, que é simplesmente colocar uma lâmpada dentro do elemento e verificar a ocorrência de frestas de luz passando pelo papel, caso isso ocorra deverá ser descartado. Nos filtros banhados a óleo, deve-se verificar a quantidade de impurezas retirada no depósito de óleo. Se for necessário, proceder à limpeza e à substituição do óleo.

Sistema de arrefecimento: devese verificar o nível de água do radiador e completá-lo, se necessário. A tela do radiador deve sempre estar limpa de modo a permitir a livre passagem do ar pelas aletas, trocando assim o calor do motor com o ar mais eficientemente. Deve-se também verificar se existem vazamentos de óleos nos cubos e mangas- dos-eixos, na caixa do diferencial e na caixa de marcha. Se houver vazamentos, os mesmos deverão ser eliminados e o nível do óleo deve ser completado. Antes de sair para o campo, o operador deve observar atentamente se não há ruídos estranhos durante o funcionamento do trator. Se houver, o mesmo deve ser analisado cuidadosamente.

Deve-se observar também se todos os componentes do painel de controle estão funcionando adequadamente.

Manutenção de 50 horas ou semanalmente: os principais itens a serem verificados são o sistema de arrefecimento e a tensão da correia do ventilador. Esta deve possuir uma tensão que, ao ser pressionado com o dedo indicador, permita o deslocamento de no máximo dois centímetros. Logo após, verificar o curso livre dos pedais dos freios e da embreagem. A folga deve estar de acordo com o fabricante, de modo a permitir o adequado engate das marchas e não provocar desgaste excessivo dos discos.

Sistema elétrico: nessa etapa devese averiguar o estado geral de funcionamento do sistema elétrico, como fusíveis e mostradores do painel de instrução. Deve-se também olhar o nível da solução eletrolítica em todas as células da bateria e limpar os terminais. O nível da solução eletrolítica na bateria deve ser de 1,5 centímetro. Caso esteja abaixo desse valor, completar com água destilada.

Pneus e rodas: é importante verificar a pressão dos pneus e, se necessário, completá-la de acordo com a recomendação do fabricante. Pressão muito baixa causa desgaste acentuado nas laterais do pneu, enquanto pressões elevadas diminuem a área de contato do pneu com o solo, reduzindo a capacidade de tração e provocando desgaste no centro do pneu. O aperto das porcas das rodas também deve ser conferido. Deve-se verificar o sistema de transmissão, o nível de óleo na caixa de marcha, diferencial e redução final, o sistema de levante hidráulico, o nível de óleo hidráulico e, se houver necessidade, o mesmo deve ser completado.

Manutenção de 250 horas: nesse tipo de manutenção é importante realizar a troca do óleo lubrificante, que deve ser feita com o motor aquecido, de modo a permitir todo o escoamento do óleo pelas paredes do motor. Evitar a mistura de marcas ou tipos de óleos diferentes, devendo dar preferência para os óleos sugeridos pelo fabricante. Também trocar o filtro de óleo lubrificante. A troca do óleo da bomba injetora de pistão deve ser realizada utilizando o mesmo óleo e intervalo de tempo do óleo lubrificante do motor.

Manutenção de 500 horas: alguns cuidados devem ser observados nessa manutenção, como lubrificar as rodas, que devem se desmontadas, limpadas e lubrificadas com graxa no modelo 4x2. Nos modelos 4x2 TDA (tração dianteira auxiliar) deve ser feita a troca do óleo do eixo dianteiro e dos redutores finais dianteiros. Limpeza do radiador, limpar o radiador, retirando toda a água do radiador e do bloco do motor, adicionar um aditivo antiferruginoso, de modo a evitar acúmulo de impurezas no sistema de arrefecimento.

Todo o trator possui um manual de instruções e nele estão contidas todas as informações necessárias para uma boa manutenção, explica Gusmão

Substituição do filtro de combustível: o filtro de combustível deve ser substituído e todo o ar do sistema eliminado por meio da sangria. Este processo consiste na abertura da conexão da tubulação de combustível próximo ao filtro de combustível ou próximo aos bicos injetores. Nos modelos que apresenta a válvula solenoide, deixar a chave de ignição ligada para fazer a abertura da mesma e, em seguida, no bombeamento manual do combustível por meio da bomba alimentadora, até que se expulse todo o ar da tubulação. Tanto o óleo como o filtro do óleo da direção hidrostática devem ser substituídos. Devese ainda realizar o reaperto de todas as porcas e parafusos do cabeçote do motor e proceder à regulagem da folga das válvulas, e também limpar o tubo de respiro do motor.

Manutenção de 1.000 horas: os principais itens a serem verificados nesse tipo de manutenção, são os seguintes: substituir o óleo e verificar transmissões. É preciso trocar o óleo das transmissões, como caixa de marcha, diferencial e reduções finais. Nesse momento, também limpar os rolamentos e remover graxa dos cubos, caso exista. Ainda trocar o óleo do sistema hidráulico e verificar se há necessidade de trocar também o filtro.

Controle dos intervalos de manutenção: para efetuar um controle adequado dos intervalos de manutenção, é necessário que todas as informações sobre o trator sejam registradas na caderneta de manutenção. Por meio desta, é possível controlar a quantidade de combustível ou de óleo lubrificante consumido e, com isso, analisar se o consumo está ou não de acordo com o esperado. Além disso, esses dados servem para determinar o custo das horas trabalhadas.