Aqui Está a Solução

 

ROTAÇÃO CANA E SOJA

Qual é a viabilidade de um sistema produtivo de rotação da cana com a soja? Desde já, obrigado.

Francisco Faustino
Ipameri/GO

R- Estudos da Embrapa mostram que a rotação cana/soja no Centro-Sul do país é tecnicamente viável, nas áreas de reforma que estejam dentro do zoneamento climático para soja. Muitas das áreas de reforma permanecem em repouso durante a primavera e o verão, períodos críticos, quando os solos são mais suscetíveis à degradação. A ocupação dessas áreas para o cultivo de outras espécies representa uma oportunidade de gerar receita para usinas, produtores associados e agricultores familiares. A produção de oleaginosas, principalmente de soja, é uma oportunidade para maximizar o uso do solo e oferece vantagens para a cultura da cana-de-açúcar, como o controle de ervas daninhas invasoras e o aumento da eficiência dos fertilizantes, especialmente de nitrogênio por fixação biológica pelas leguminosas, explica Fábio César da Silva, pesquisador da Embrapa Informática Agropecuária. O sistema ainda tem o efeito de reduzir o custo de produção da cana e de amortização do capital. Para a viabilidade da rotação de culturas de oleaginosas nas áreas de reforma de cana, é desejável que a variedade de soja tenha bom desempenho agronômico e esteja adaptada às condições de solo e clima locais, o que resultará em bom desempenho, facilidade de colheita e apoio ao ciclo de produção da cana-de-açúcar.


CULTIVO DE MORANGO

Gostaria de saber quais são os principais benefícios do cultivo de morango em substrato. Agradeço as informações.

Gabriel Esteves Tedesco
Nova Petrópolis/RS

R- O número de produtores interessados no sistema de cultivo em substrato, conduzido em ambiente protegido, vem crescendo nos últimos anos, constata o engenheiro agrônomo Enio Ângelo Todeschini, da Emater do Rio Grande do Sul. Nessa técnica, as mudas de morango são plantadas em sacolas plásticas cheias de substrato, especialmente formulado para a espécie, dispostas sobre bancadas elevadas a uma altura de 80 centímetros em relação ao solo. Segundo o agrônomo, por meio do sistema, é possível utilizar três vezes mais mudas por área do que no cultivo tradicional, havendo, por consequência, incremento no rendimento. “Em 250 m², podem ser cultivadas 3.400 mudas. E a produtividade pode chegar a até um quilo por planta, contra cerca de 350 gramas do cultivo realizado no solo”, destaca. Além das vantagens produtivas, ele ressalta melhorias nas condições de trabalho. “A penosidade do trabalho diminui ao permitir que o produtor trabalhe em pé. E como se reduz em até 80% a aplicação de agroquímicos, o produtor fica menos exposto a esses produtos”, explica, destacando também que esse tipo de cultivo leva uma fruta mais saudável até o consumidor. Outra vantagem é a possibilidade de produzir durante todo o ano, chegando ao mercado, inclusive, em períodos de entressafra.