Primeira Mão

 

Hidrobras a caminho?

O Governo pode anunciar ainda neste ano a criação de mais uma estatal: a Hidrobras, que daria as cartas em relação a portos fluviais, hidrovias e eclusas. Além de ser responsável por projetar, construir, operar, manter e restaurar a estrutura de navegação em rios – uma importante via de escoamento das safras brasileiras. A notícia foi divulgada pelo jornal O Estado de S. Paulo.


ÂNCORA NA LAVOURA

Só se o campo não decepcionar, a meta PIB do País poderá ser alcançada em 2013. O Governo espera que a agropecuária cresça 6% em 2013 (ante redução de 2,3% no ano passado em razão do clima), expectativa que, somada ao PIB da indústria (+2,3%) e serviços (+3,1%), propiciaria um crescimento para o PIB total do País de 3,1%. Todas as projeções (e sonhos) são do Banco Central.


680%

A valorização acumulada das terras agrícolas do Tocantins em dez anos (até último bimestre de 2012). É o que apurou a consultoria Informa Economics FNP, especializada no mercado de terras, que justifica o aumento pelo avanço da agricultura na fronteira agrícola Mapitoba – que inclui Maranhão, Piauí e Bahia (Região Oeste). Conforme o levantamento, o valor do hectare pode chegar a até R$ 13 mil, na região de Dianópolis, a sudeste do estado, R$ 5 mil a mais que a média nacional.


549%

O crescimento em valores das exportações de milho em março em relação ao mesmo mês de 2012. Foram embarcados US$ 473,9 milhões, valor correspondente a 1,6 milhão de toneladas, incremento de 577% ante as 278,3 mil toneladas do março anterior. Já o preço médio das exportações aumentou 12,3%, de US$ 262,4 para US$ 294,6 por tonelada.


PARECE MENTIRA

Parece mentira Revejam suas aulas de Geografia; a China está mais próxima do Mato Grosso do que a região Nordeste. Na verdade, a “distância” aqui significa custos de transporte do milho que deixa as lavouras do Mato Grosso. Apesar do caos dos portos, transpor os 3.500 quilômetros entre Sorriso e Pernambuco está mais complicado que os 17 mil km do município mato-grossense até os portos chineses. Visto a safra de soja e as más condições das estradas, os caminhoneiros recusam-se a levar o milho para o Nordeste. Para portos como os de Santos/SP e Paranaguá/PR, a carroceria vai com soja e volta carregada de fertilizantes, enquanto para o Nordeste, além de 8 a 10 dias na estrada, o caminhão que levou milho retorna vazio.


CSMIA-ABIMAQ: NOVA DIRETORIA

Foi definida até 2015 a nova diretoria da Câmara Setorial de Máquinas e Implementos Agrícolas (CSMIA), da Associação Brasileira de Máquinas e Equipamentos (Abimaq). A presidência da entidade está com o empresário Gilberto Zancopé (foto), sócio-fundador da Montana Agriculture, que substitui Celso Casale, após quatro anos, dois mandatos. Entre as principais propostas da nova direção, que reúne 200 empresas fabricantes de máquinas e implementos agrícolas, estão continuar o empenho pela desoneração da carga tributária que incide sobre a cadeia produtiva do setor e fortalecer tecnologicamente o segmento.


CHOVEU DEMAIS

Em apenas 30 dias foram por água abaixo – literalmente – R$ 4 bilhões que iriam direto para os bolsos dos produtores mato-grossenses. Foi o que apurou o Valor Bruto de Produção (renda antes da porteira, levantamento realizado pelo Ministério da Agricultura) entre março e abril, que constatou redução de R$ 45,63 bilhões para R$ 41,53 bilhões. A justificativa para o rombo foi a chuva em excesso na época da colheita, precipitação que comprometeu a produtividade.


RECONHECIMENTO

Oito em cada dez cidadãos urbanos no Brasil reconhecem que o agronegócio é “muito importante” para a economia do País. Foi o que apurou pesquisa encomendada pela Associação Brasileira do Agronegócio (Abag), com o apoio do Núcleo de Estudos do Agronegócio da ESPM, realizada no início do ano nas 12 maiores capitais. A ideia de pesquisa é aprimorar o nível de conhecimento e de valorização da atividade agropecuária pelos moradores de cidades. “Os resultados servirão para nortear nossas ações no sentido de ter uma comunicação que seja menos subjetiva e que nos ajude a entender os pontos fracos para melhorarmos o nosso relacionamento com a sociedade urbana de forma geral”, comentou o presidente da Abag, Luiz Carlos Corrêa Carvalho.


NÃO É MILAGRE

O estudo “Transporte e Economia – o Sistema Ferroviário Brasileiro”, elaborado pela Confederação Nacional do Transporte, apurou que o preço do frete para escoar a safra de grãos desde o médio-norte do Mato Grosso até os portos poderia cair 37% simplesmente se a Ferrovia da Integração do Centro-Oeste (Fico) tornar-se realidade. Conforme o levantamento, a partir da instalação de um terminal de cargas em Lucas do Rio Verde, o valor do frete por tonelada de soja cairia de R$ 232,74 (atualmente até o Porto de Paranaguá/ PR) para R$ 148,58, desde que os caminhões fossem substituídos por vagões até o Porto de Itaqui/MA.


DOUTOR HONORIS CAUSA

O paranaense Herbert Bartz, o pioneiro do sistema plantio direto no Brasil, foi homenageado pela Universidade Estadual de Londrina/PR com o título Doutor Honoris Causa. “O País, em especial o norte do Paraná, e a América Latina devem muito a Herbert Bartz por todo o seu trabalho e pesquisa”, justifica a universidade. E na mesma noite em que a distinção foi entregue a Bartz, a Federação Brasileira do Plantio Direto (Febrapdp) comemorou 40 anos da primeira colheita de soja produzida via sistema plantio direto no Brasil, por Bartz, na fazenda dele, a Rhenania, em Rolândia/PR.


Sem silo, sem solução

O caos logístico para o escoamento da safra recorde 2013 seria amenizado em muito se o Brasil tivesse uma boa estrutura de armazenagem, tanto pública quanto privada. A capacidade de armazenamento do país é suficiente para comportar apenas 80% da produção, enquanto a FAO - Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura recomenda que seja de 120%. O curioso é que especialistas estimam que para suprir esta necessidade seriam necessários apenas R$ 15 bilhões em investimentos, quase dez vezes menos que os R$ 133 bilhões previstos para serem demandados por estradas e ferrovias.