Aqui Está a Solução

MILHO E BRAQUIÁRIA

Quais são os principais benefícios do consórcio do milho com a braquiária? Agradeço a ajuda.

Diego Godói
Dourados/MS

R- O cultivo de milho consorciado com braquiária é uma alternativa interessante visando à produção de grãos e de palha no plantio direto. O consórcio garante maior produtividade da soja e do milho safrinha em sucessão e ainda possibilita engorda de bovinos em períodos de estiagem, contribuindo para a integração lavoura-pecuária, garantindo renda ao produtor, economia de insumos e otimização da lavoura. A Embrapa Agropecuária Oeste vem realizando pesquisas sobre o tema e já percebe resultados positivos. Segundo os pesquisadores, a produção consorciada é uma alternativa para reforma ou implantação de novas pastagens. As raízes profundas e intensas da braquiária favorecem a absorção e retenção de água no solo por um maior período de tempo, o que é extremamente positivo para a cultura consorciada. Outra vantagem desse tipo de lavoura é a fixação de carbono no solo, reduzindo a emissão de Co2 e contribuindo com a redução do efeito estufa. O consórcio também proporciona cobertura do solo na entressafra, ajudando a reduzir as plantas daninhas e a consequente aplicação de agroquímicos. Outra vantagem do cultivo consorciado são os gastos menores com fertilizantes químicos, pois a adubação é realizada apenas nas linhas do milho. A pureza e a germinação das sementes de braquiária são características importantes que precisam ser observadas pelo produtor, pois evitam o surgimento de espécies indesejáveis e pragas na lavoura. Também é importante que a implantação e o manejo do consórcio sejam realizados com acompanhamento técnico, seguindo os critérios recomendados pela pesquisa, a fim de observar os novos ajustes necessários para essa tecnologia.


PRODUTORES DE TABACO

Olá, amigos da revista A Granja. Por favor, gostaria de saber quais são os municípios que mais produzem tabaco no Brasil? Grata pela informação.

Elenice Vieira
Alfredo Wagner/SC

R- Prezada Elenice, a Região Sul do país concentra 96% da produção do tabaco brasileiro, com 710 mil toneladas produzidas na safra 2011/ 12. O município gaúcho de Venâncio Aires ocupa a liderança do ranking, com mais de 24 mil toneladas, de acordo com dados da Associação dos Fumicultores do Brasil (Afubra). Em volume de produção aparecem na sequência: Canguçu/RS, São Lourenço do Sul/RS, Santa Cruz do Sul/RS, Canoinhas/SC, Candelária/ RS, Vale do Sol/RS, Camaquã/RS, Itaiópolis/SC e Rio Azul/PR.