Primeira Mão

 

BEM ADUBADAS

O consumo de fertilizantes nas lavouras brasileiras em 2012 foi recorde: 29,5 milhões de toneladas, segundo estimativa da RC Consultores. Aumento de 4,24% sobre 28,3 milhões de toneladas de 2011. E, para 2013, a expectativa é de novo recorde, de 30,5 milhões de toneladas, crescimento de 3,38% – tudo segundo a consultoria. Os dados oficiais da Associação Nacional para Difusão de Adubos (Anda) ainda não foram divulgados.


Portos agitados

Um montante de US$ 95,81 bilhões em produtos agrícolas deixou o Brasil em 2012, o que significou o ano das maiores exportações brasileiras – 1% superior a 2011. Já as importações atingiram US$ 16,41 bilhões, ou 6,2% menos. O saldo comercial foi de US$ 79,41 bilhões (também recorde). Isso que as vendas foram influenciadas pela redução dos valores de mercado dos principais produtos exportados em razão da crise mundial. Os preços caíram, em média, 7,1%, enquanto o peso total aumentou 8,6%. A China continua o principal destino dos produtos do agro e passou da fatia de 17,4% para 18,8% – compras de US$ 17,975 bilhões. Depois, Estados Unidos (US$ 7 bilhões), Países Baixos (US$ 6,12 bilhões), Japão (US$ 3,5 bilhões) e Alemanha (US$ 3,1 bilhões).


180,4 milhões

de toneladas. Este deverá ser o volume da safra de grãos e fibras da safra 2012/13, que já começou a ser colhida. A estimativa é da Conab e representa recorde, 8,6% a mais que a safra anterior – de 165 milhões. A soja deverá se consolidar em 82,6 milhões de toneladas. Já o milho deverá atingir 72,19 milhões de toneladas, e o arroz, 12 milhões.


OLHA O QUE ELE FEZ!

O narrador Galvão Bueno agora é sócio do Miolo Wine Group, vencedor do prêmio Destaques 2012 A Granja do Ano, grupo que é um dos maiores produtores e exportadores de vinhos finos do país. Ele é o quinto acionista da empresa das famílias Miolo, Benedetti, Tecchio e Randon. A parceria do narrador com a Miolo iniciou em 2009 com a vinificação, pela empresa, do espumante Bueno Cuvée Prestige e do assemblage Bueno Paralelo 31, elaborados com as uvas cultivadas pelo narrador em Candiota/RS. A Miolo Wine Group elabora mais de 100 rótulos.


“...E semear o grão, saciar a fome com a plantação...”

A escola de samba Unidos da Vila Isabel vai homenagear o produtor rural no Carnaval 2013 do Rio de Janeiro. A proposta de reverenciar quem produz alimentos foi apresentada à escola pela Basf, que será sua patrocinadora. O enredo “A Vila Canta o Brasil Celeiro do Mundo - Água no Feijão que Chegou mais Um” tem como compositores Martinho da Vila, Arlindo Cruz, André Diniz, Tunico da Vila e Leonel; Rosa Magalhães e Alex Varela são os autores do enredo. “É um trabalho para que a imagem do produtor seja mais reconhecida pela sociedade”, justifica Eduardo Leduc, vice-presidente sênior da Unidade de Proteção de Cultivos da Basf para América Latina. “O agricultor é o herói, não o vilão. É hora de chamar a atenção da sociedade”, argumenta Mauricio Russomanno, vice-presidente para o Brasil. Na imagem, um do ensaios da escola, na Sapacuaí.


MONSATO DO BRASIL TEM NOVO LÍDER

O engenheiro mecânico aeronáutico André Dias, que ocupava a presidência da Monsanto do Brasil desde julho de 2008, foi promovido a vice-presidente global para Operações de Manufatura da Monsanto Company. E em seu lugar assumiu o engenheiro agrônomo Rodrigo Santos (foto), 39 anos, que era, desde 2011, vice-presidente da companhia no país. Santos está na empresa desde 1999, onde ocupou vários cargos nas áreas de Marketing, Vendas e Estratégia, e entre 2007 e 2009 liderou a área comercial da Monsanto no Leste Europeu (Romênia e Bulgária). “Estou muito honrado em assumir a liderança da Monsanto do Brasil. Tenho pela frente o desafio de liderar uma equipe altamente comprometida a realizar nossa missão de ajudar agricultores brasileiros a produzir mais, de forma sustentável.”


EFICIÊNCIA

O empenho de produtores e pesquisadores em fazer o melhor é o que tem levado a agricultura brasileira a bater recorde após recorde de produção. Segundo números do Ministério da Agricultura, nos últimos dez anos agrícolas a produção foi ampliada em 46,5% numa área apenas 15,7% maior. É que a produtividade foi ampliada em 24% desde a safra 2002/03. A área cultivada pulou daquela temporada de 43,9 milhões de hectares para 52 milhões em 2012/13 e a produção, de 123,1 milhões de toneladas para 180 milhões (projeção).


FAO APELA À EMBRAPA

Um contingente de 870 milhões de pessoas passa fome no mundo todos os dias, apesar do crescimento constante da produção global de alimentos. O número consta no relatório “Estado da Insegurança Alimentar no Mundo – 2012”, da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), e foi discutido no mês passado, na Embrapa, em visita do diretor-geral da instituição, o brasileiro José Graziano. Especificamente sobre a África, Graziano ressaltou a relevância da transferência de tecnologia da Embrapa para a revitalização dos seus institutos de pesquisa. “A Embrapa é uma matriz conhecida mundialmente para fazer essa capacitação, de modo que eu vejo que hoje, mais do que ser um exportador de alimentos, que também ajuda muito a acabar com a fome, o Brasil pode transferir tecnologia, principalmente às regiões tropicais da África, que ajudarão muito a combater a fome também nesses países.”


ANOS DOURADOS

O milho atingiu em 2012 o recorde no seu Valor Bruto de Produção (renda antes da porteira), apurado pelo Ministério da Agricultura: foram R$ 34 bilhões, resultado da produção história de 72,8 milhões de toneladas – até superior à da soja, de 66 milhões. Só na Região Centro-Oeste o cereal ampliou seu VBP em 83,4% sobre 2011, para R$ 14,4 bilhões. E a perspectiva do ministério é que o VBP do milho neste ano cresça 22,3% ante 2012, para R$ 41,7 bilhões. E o país passou no ano passado a segundo maior exportador do cereal, atrás apenas dos Estados Unidos. O Brasil exportou o volume histórico de quase 20 milhões de toneladas, simplesmente o dobro das exportações de apenas um ano antes. Contou, é verdade, com boa demanda internacional em razão da quebra de safra norte-americana e ainda com a queda da produção argentina.