Cartas, Fax e E-Mails

 

COM TODA A SEGURANÇA

Bem legal a reportagem sobre a agricultura familiar que A Granja publicou em setembro. De fato não se pode esperar só pelo Governo. Esta iniciativa do Walmart é um belo exemplo de ganha-ganha. O supermercado recebe uma mercadoria, no caso hortifrutigranjeiro, garantida e de qualidade. Já o agricultor tem a certeza de um bom preço e até de pagamento. Quem vive no campo sabe que vender algo e depois ficar a ver navios é bem comum!

Joana Moreira - Itambé/PE


ALERTA CONTRA A FERRUGEM DA SOJA

Muito didáticos os artigos sobre a ferrugem da soja (Fitossanidade em Destaque, edição de setembro). Esta doença é barra-pesada mesmo. Ando aqui na minha região e já vi muita, mas muita perda. Quando ela ataca, se não receber a devida atenção, ela dizima mesmo. Não podemos dar trégua jamais. Seguir as orientações técnicas desde o período de vazio sanitário até o monitoramento constante. Não conheço ninguém que não tenha perdido alguma produtividade por causa desta doença.

Walmor Reis - Castro/PR


A CONSTRUÇÃO DA FERTILIDADE DO SOLO

Gostei do espírito da reportagem de capa sobre a adubação (edição de setembro). É exatamente isso: a fertilidade deve ser construída. Nada ocorre por acaso. Os solos deste país precisam sim da injeção de elementos para que as plantas se nutram e assim gerem frutos. De nada adianta despejar sementes de qualidade num solo pobre com uma plantadeira gigante. É preciso oferecer nutrientes na medida, nem menos e também nem mais, senão vai ter prejuízo. Repito: muito oportuna a abordagem desta revista.

Cleyton Seabra Luziânia/GO

A CONSTRUÇÃO DA FERTILIDADE DO SOLO II

Um dado me chamou atenção na reportagem sobre a fertilização. De 30% a 40% dos custos variáveis da produção de uma lavoura de grãos são decorrentes de fertilizantes. 30% a 40%! É muita coisa! Então, nada mais inteligente do que nos dedicarmos ao máximo a esta prática, sobretudo para evitar perdas. Neste aspecto, nada melhor do que investir pesado na agricultura de precisão. Tudo o que tenho visto nos últimos tempos me remete a esta ideia que agricultura de precisão é um investimento que se paga logo, logo.

Juvenal de Castro - Bagé/RS