Vitrine

 

POR UM SÃO PEDRO PARTICULAR

Olhar para o céu para pedir uma graça é um ritual corriqueiro até de produtores que não acreditam em Deus. Todos imploram pela bênção da chuva, pois, sem ela, a lavoura não consegue produzir. Isso é óbvio. Mas o que não fica bem claro é por que este país agrícola irriga tão pouco suas lavouras. A estimativa é que apenas 7,44% da agricultura brasileira seja irrigada, mas que este “talhão” responda por 41% do valor da produção nacional. Ou seja, irrigar faz bem, é lucratividade certa – e, sobretudo, evita as sucessivas e dolorosas perdas para a adversária das adversárias, a estiagem. As razões da restrita área irrigada, assim como os depoimentos assertivos de produtores que há muito aderiram a esta tecnologia, compõem a nossa principal reportagem desta edição.

O que igualmente constitui-se numa história bem positiva é o que nos conta o paranaense ex-plantador de batatas Paulo Fachin, que hoje cultiva 65 mil hectares. “Quando fui para o Maranhão, meu capital inicial tinha origem na produção de batatas mantida no Paraná. Fui para o Maranhão com a esposa e as duas filhas, e levei junto dois tratores e um caminhão”, descreve em O Segredo de Quem Faz.

Quem sonha no futuro ter histórias semelhantes às do produtor Fachin para contar vai ter que obrigatoriamente se adaptar às normas do novo Código Florestal. Para colaborar, publicamos um artigo bem esclarecedor e detalhado – didático – sobre o que emergiu até agora de tantas discussões entre parlamentares (sejam eles ruralistas ou ambientalistas) e a presidente Dilma.

A edição ainda veicula outras relevantes reportagens e artigos que podem contribuir em muito para o seu êxito na atividade. Esta é a missão mensal d’A Granja desde 1945: fazer com que você execute do começo ao fim a melhor safra. Tire da lavoura a melhor das colheitas.

Por falar nisso, A Granja obteve uma colheita histórica. Conquistou o Prêmio Massey Ferguson de Jornalismo, obra da sua jornalista Denise Saueressig. Mais detalhes sobre este triunfo na página 44.

Boa leitura!