Andav

 

18 de outubro,

DIA DO DISTRIBUIDOR

Especialmente ao longo das últimas quatro décadas, o agronegócio vivenciou intenso processo de transformação, que incorporou mudanças estruturais profundas e definitivas. O conceito de cadeia produtiva ganhou força em praticamente todos os setores da produção, possibilitando maior intercâmbio de tecnologias e informação. Em termos práticos, o resultado foi um enorme salto rumo à profissionalização da atividade agropecuária. O ganho de produtividade e eficiência foi impressionante.

Um novo indicador dessa revolução no campo pode mais uma vez ser evidenciado com o anúncio da safra agrícola e pecuária: mais de 160 milhões de toneladas de grãos, 25 milhões de toneladas de carnes (considerando aves, suínos e bovinos), 32 bilhões de litros de leite, entre outros. Nesse cenário, cabe destacar o indispensável papel do distribuidor de insumos, que concentra os seus esforços para estar sempre lado a lado com o produtor rural, oferecendo soluções customizadas e adequadas às necessidades da atividade final, o que tem contribuído decisivamente para impulsionar o segmento, que movimenta por ano mais de R$ 40 bilhões e atua em 60% das transações envolvendo negociação de insumos agropecuários em todo o país.

Hoje, já são mais 8 mil distribuidores, sendo cerca de mil filiados à Associação Nacional dos Distribuidores de Insumos Agrícolas e Veterinários (ANDAV), e o setor está entre os que mais empregam profissionais formados nos cursos de ciências agrárias e veterinárias do país, com mais de 50 mil funcionários contratados. Ao todo, são mais de 10 milhões de visitas realizadas por ano a produtores rurais espalhados pelos mais distantes rincões do Brasil, com participação decisiva na tomada de decisão sobre a compra de insumos ou serviços.

Em grande medida, esse avanço extraordinário observado nas cadeias produtivas encontra-se fortemente respaldado na ação estratégica do setor de distribuição de insumos agrícolas e veterinários, representantes da indústria de defensivos agrícolas, fertilizantes, sementes, saúde e nutrição animal e máquinas e implementos agrícolas. Isso só para falar dos negócios mais relevantes. No total, milhares de itens são oferecidos pelas empresas de distribuição.

O papel do distribuidor vai além. No que tange à fito e à biosseguridade da produção, são mais de 2 milhões de embalagens vazias que deixam de poluir o meio ambiente graças à ação decisiva de profissionais que orientam o produtor às boas práticas agrícolas e a entregar as embalagens usadas nos mais de 400 postos de recebimento por eles gerenciados em todo o país.

Para conhecer um pouco melhor o trabalho desempenhado pelo distribuidor de insumos é importante saber das atribuições a ele conferidas. É função do distribuidor, por exemplo, identificar demandas, prescrever a venda de produtos e serviços, cuidar de transporte, recebimento e armazenagem dos insumos, cuidar da validade e utilização correta dos mesmos, além de servir como agente financeiro no oferecimento de crédito, assumindo junto os riscos inerentes à produção.

São atribuições do distribuidor, também, promover a transferência de tecnologias, oferecer orientação técnica sobre boas práticas agropecuárias e uso racional dos insumos, além de disponibilizar local adequado para a devolução das embalagens vazias, em especial dos defensivos agrícolas, e cuidar da segurança e satisfação do produtor rural a fim de manter os indicadores da produção. É a esse profissional que cumprimentamos e agradecemos pelos serviços prestados. Parabéns, distribuidor, pelo seu dia.