Caindo na Braquiária

A fêmea F1 Senepol na prática

Caindo

Alexandre Zadra – Zootecnista
[email protected]

Ultimamente, tenho me deparado com questões intrigantes e que, ao mesmo tempo, me remetem a experiências já vividas no campo. Minha satisfação é ter a oportunidade de transmiti-las quando tenho oportunidade.

José Macedo Junior é um criador de Aripuana, município no Norte do Mato Grosso, onde tive a oportunidade de conhecê-lo, na caravana do Acrimat em Ação, evento da Associação dos Criadores de Mato Grosso que roda parte das principais cidades do estado, levando, através de palestras, informações sobre o uso de tecnologia no campo.

Logo que a palestra máster acabou, fui abordado por Macedo Junior, comumente chamado por todos de Junior, que me inquiriu prontamente, como de costume, sobre um cruzamento que fez.

“Zadra, temos, aqui em Juína, um núcleo forte de Senepol, onde comprei alguns touros para repassar minhas fêmeas Nelore. As fêmeas F1 Senepol x Nelore me parecem muito boas, e gostaria de usá-las como matrizes. Pela sua experiência, você acha que essas matrizes seriam tão precoces sexualmente quanto as F1 Angus x Nelore?”

Com galhardia me dispus a dirimir sua dúvida: “Sua pergunta vem ao encontro da realidade do uso de raças adaptadas cobrindo a campo as Nelore no País, cruzamento esse que vem produzindo fêmeas F1 muito boas. Recomendo que use essas novilhas F1 Senepol x Nelore com toda certeza. Mesmo podendo não apresentar, na média, a mesma precocidade sexual que as F1 Angus x Nelore, suas fêmeas F1 Senepol são excelentes como matrizes e, com um pouco de capricho, entrarão no cio até os 15 meses de idade. Seus irmãos F1 Senepol x Nelore serão bois com ótimo potencial de ganho em peso e adaptados da mesma maneira”.

E dando continuidade à interessante questão, continuei com os esclarecimentos: “Quanto à raça a usar nas suas F1 Senepol x Nelore (fêmea 100% tropical), temos algumas boas opções.

A primeira delas é inseminá-las com Angus provados com altas DEPs para desempenho e altura (sendo o mais recomendável Angus americano), logrando os benefícios da heterose aliada à adaptabilidade total, pois, nesse caso, os produtos tricross Angus x Senepol x Nelore terão os 50% de grau de sangue máximo de raças europeias exigido pelo clima tropical da região. Outra opção de uso como raça rotacional é o Black Simental, que traz em sua composição racial 1/8 de sangue Angus, sendo um animal de maior porte que o Angus e mais musculoso. Dessa forma, a complementariedade entre o Simental e a F1 Senepol x Nelore será maior, gerando um boi maior. Já se pensando num cruzamento terminal, não descarte o uso do Charolês mocho, reconhecidamente uma das raças de maior desempenho no tocante a ganho em peso e rendimento de carcaça”.

Nossa conversa se estendeu por horas, e Junior não se furtou de fazer a última e intrigante pergunta no quesito genética: “Posso usar meus touros Nelore no repasse da IATF nessas F1 Senepol?”.

Como já citado inúmeras vezes nesta coluna, o uso de touros Nelore no repasse das F1 Senepol x Nelore gera natural preocupação com problemas de parto, pois, como sabemos, as maiores causas de distocia são registradas quando usamos zebu em novilhas F1. Dessa forma, recomendamos que se dê especial atenção nas linhagens dos touros Nelore a serem usados na estação e no peso das primíparas no momento do parto. Para minimizar esse problema, o ideal é que venham parir pela primeira vez com, pelo menos, 450 kg.

Finalizando nossa prosa, me vi na obrigação de fazer algumas indicações de raças a serem utilizadas no repasse de suas novilhas F1 Senepol x Nelore. Assim, indicamos touros das raças Caracu e, caso tenha um bom manejo nutricional e sanitário, recomendamos, também, touros Bonsmara, Canchim, Braford ou Brangus.

Eventos como esse unem os criadores em torno do mesmo objetivo. Parabenizo a Acrimat e agradeço a oportunidade de participar do giro anual dessa importante associação de nossa classe.