Falou

Linha de produtos consolidados

O gerente de Cattle&Sheep apresenta os produtos que levaram a divisão de Saúde Animal da Novartis a ser sondada e adquirida pela Elanco, por US$ 5,4 bilhões

"Investimento em pesquisa e desenvolvimento é um diferencial importante da Novartis Saúde Animal"

Revista AG - Hoje, quais são os produtos carros-chefes da Novartis Saúde Animal para Bovinos e Ovinos?

Márcio Bellintani - Na área de bovinos, temos diversos produtos consagrados, os famosos "carros-chefes", podendo destacar o AGROVET® - antibiótico de amplo espectro, o ACATAK® para o controle do carrapato e o GANASEG® para o tratamento da Babesiose (Piroplasmose). Além disso, o nosso mais recente lançamento na área de Ovinos, ZOLVIX®, já se tornou um líder de vendas. Na área de Bioproteção, o destaque é o AGITA®, um mosquicida com atrativo sexual para uso em instalações rurais, estábulos, granjas de aves e suínos, haras, etc.

Revista AG - A Novartis sempre investiu muito em pesquisa. Esse foi o grande trunfo para o sucesso dos produtos da empresa?

Márcio Bellintani - Com certeza podemos afirmar que o investimento em pesquisa e desenvolvimento é um diferencial importante da Novartis Saúde Animal e que foi decisivo para o lançamento de inúmeros produtos inovadores no mercado veterinário. Somente para ilustrar, podemos lembrar que a Novartis foi a responsável pelo surgimento do Fluazuron (ACATAK®), da Ciromazina (NEPOREX® e LARVADEX®), do Lufenuron (PROGRAM®), do Nitempiram (CAPSTAR®), do Piriprol (PRACTIC ®), e mais recentemente do Monepantel (ZOLVIX®), a primeira classe de vermífugos em mais de 28 anos que elimina até mesmo os vermes resistentes.

Revista AG – Então, uma dessas pesquisas certeiras foi o Zolvix. Ele caiu na graça dos criadores de ovinos?

Márcio Bellintani - ZOLVIX® tem nos surpreendido mês após mês! Já sabíamos que o produto era ansiosamente aguardado pela grande maioria dos ovinocultores, que enfrentavam uma situação delicada, com muita dificuldade para o controle dos parasitos gastrointestinais dos rebanhos. Mesmo assim, imaginávamos que aqueles consumidores mais conservadores demorariam um pouco para adotar o produto. E nesses dois primeiros anos de ZOLVIX®, pudemos comprovar que o produtor entendeu nossa proposta. Hoje, tornou-se comum ouvirmos os próprios consumidores defendendo o produto e afirmando que foi o melhor investimento que já fizeram no rebanho.

Revista AG - Durante a Expointer, a empresa apresentou uma ação muito interessante, fazendo o teste de detecção de verminose nas fezes de ovinos coletadas no parque. Quando e como surgiu a iniciativa?

Márcio Bellintani - Surgiu na Expointer de 2012, quando fizemos o lançamento oficial de ZOLVIX® no Rio Grande do Sul. Nosso colaborador da região, Ulisses Ribeiro, em conversa com parasitologistas, professores da UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul), foi informado que os alunos faziam trabalho de coleta e análise de OPG (ovos por grama) nas fezes dos ovinos da exposição e que havia incidência de animais com significativa carga parasitária. Apesar de todo o cuidado dos produtores, temos de lembrar que não havia no mercado moléculas capazes de alcançar níveis altíssimos de eficácia em todos os rebanhos, devido ao processo natural de resistência dos parasitas àquelas utilizadas por longo tempo. Então, surgiu a ideia de se fazer o controle de OPG antes e depois da aplicação de ZOLVIX® em diversos animais da feira, com prévia autorização dos produtores que aceitaram participar desse programa. Com isso, foi possível demonstrar a criadores renomados que eles poderiam passar a ter animais com índices insignificantes de verminose e, assim, obter o máximo potencial produtivo de seu rebanho.

Revista AG - Aliás, qual a expectativa da empresa para o controle do carrapato no Brasil a partir deste ano? Novidades devem surgir em um futuro próximo?

Márcio Bellintani - Apesar do alto investimento em pesquisa, é cada vez mais raro se descobrir uma molécula que seja segura e altamente eficaz para o controle de carrapatos. Sabemos que novidades irão surgir, mas ninguém pode garantir quando. Portanto, o segredo é cuidar bem das moléculas atuais, ou seja, preservar sua eficácia por meio do uso correto dos produtos e da rotação de princípios ativos na propriedade. O apoio de um médico-veterinário é fundamental para orientar o produtor nesse sentido.

Revista AG - Quais projeções a empresa faz para a pecuária brasileira após este ano eleitoral?

Márcio Bellintani - Sem dúvida, há muitos fatores que continuarão impulsionando a pecuária brasileira. Entre eles, a perspectiva de forte aumento nas exportações de carne bovina e a queda nos custos de alimentação.