Do Pasto ao Prato

 

AS MELHORES VACAS DO MUNDO

Fernando Velloso é médico-veterinário e sócio-proprietário da Assessoria Agropecuária FF Velloso & Dimas Rocha – www.assessoriaagropecuaria.com.br –

Pode parecer pretensioso o título deste texto, mas creio que com os dados expostos a seguir muitos concordarão que não é exagero.

A seleção das vacas em um rebanho (registrado ou comercial) é a base animal para se alcançar produtividade e eficiência. Existem diversas formas de selecionar boas matrizes e uma das mais completas é o programa Pathfinder, da Associação Americana de Angus, identificando matrizes superiores desde 1978.

O objetivo do Pathfinder é apontar matrizes superiores com ênfase em precocidade sexual (puberdade), reprodução e parição em idade jovem, seguida de regularidade de parição com progênie acima da média da raça. O programa requer o mínimo de três filhos com índice 105 ou mais (que superam a média em 5% ou superior). Em 2014, foi identificado o total de 8.842 matrizes qualificadas como Pathfinder de um grupo de mais de 2 milhões de matrizes candidatas e com mais de 7 milhões de produtos (dados de desmame).

O foco do programa é identificar e amplificar as vantagens da raça. Para tanto, são usados os seguintes critérios:

a) idade ao primeiro parto: a primeira parição deve ocorrer dentro da média do rebanho para essa característica. A idade máxima aceita para primeiro parto é a média do rebanho mais 30 dias;

b) intervalo entre partos: a vaca tem de manter regularidade de partos, e animais com intervalo entre partos superior à media do rebanho não são qualificáveis;

c) desempenho dos produtos: os primeiros três produtos da matriz devem ter peso de desmame igual ou maior ao índice 105. Após esse período, a matriz deve seguir reproduzindo regularmente e mantendo a média de seu índice de peso ao desmame acima de 105.

As matrizes que alcançam o status Pathfinder são identificadas no registro genealógico com o símbolo “#” e, assim, são facilmente reconhecidas em catálogos de leilões, catálogos de sêmen, exposições, etc. O status Pathfinder nunca é retirado de uma matriz, mas esta somente segue participando dos relatórios anuais se mantiver produção superior.

Conheça os rebanhos americanos que possuem mais de 30 matrizes Angus Pathfinder no relatório 2014:

Touros Pathfinder

A identificação dos touros que mais produzem fêmeas eficientes é uma importante informação gerada por esse programa. Um touro integra esse relatório somente se ele possuir cinco ou mais filhas no relatório atual..

Conheça os touros Angus com maior número de filhas Pathfinder em 2014:

Outra forma de ranquear esses reprodutores é através do percentual de filhas superiores. Confira a seguir os touros que foram mais eficientes em produzir filhas Pathfinder.

A preocupação com a eficiência reprodutiva é um grande mérito desse programa, pois ele combina uma série de características buscadas em todos os rebanhos: novilhas precoces, matrizes que reproduzam com as condições normais de produção (alimentação) e produtos apropriados ao mercado.

É sabido que existem diferenças no desempenho de genética importada em nosso País, pois ocorre a Interação Genótipo Ambiente, e logo os mesmos touros listados podem não produzir filhas superiores no Brasil, porém, o propósito deste texto é ressaltar as virtudes do método e da construção de valor para fêmeas verdadeiramente superiores.

Creio que denominar essas matrizes como “as melhores do mundo” não é exagero então, pois são fêmeas que cumpriram a função e foram identificadas tecnicamente como tal.

No Brasil, não temos um programa similar, seja com raças europeias ou zebuínas, mas já tabulamos a eficiência reprodutiva e habilidade materna das matrizes em diferentes programas de melhoramento genético. Especificamente na raça Angus, o PROMEBO publica anualmente em seu Sumário a relação de “Vacas Líderes” (mães superiores) e também disponibiliza para os criadores o “Relatório de Ventres”, no qual estão indicadas as melhores matrizes de acordo com a avaliação genética de seus produtos. Ainda de forma mais simples, podemos consultar o desempenho reprodutivo das matrizes diretamente no Herd Book, e, dessa forma, checar o intervalo entre partos e quantos produtos registrados uma matriz possui (pelo menos nos indica o potencial de produzir um produto registrável).

O status Pathfinder# nos EUA e as outras fontes de informação citadas no Brasil são bons critérios para eleição de doadoras para programas de Transferência de Embriões, assim como o uso de touros provados para este fim também seja recomendável para formação de rebanhos puros. Saímos de uma seleção ainda muito baseada em visual e pedigree, para métodos bem mais técnicos e seguros.

Nesse momento, o Brasil usa muita genética Angus voltada para cruzamento e sem a preocupação com a eficiência da vaca. Entretanto, é compromisso do criador (plantel) estar atento a essa característica e buscar continuamente a seleção de matrizes superiores.