Negócios

  Untitled Document

CASALE COMPLETA
50 ANOS

Fundada em 1964, a Casale come-mora bodas de ouro em 2014. Localizada às margens da Rodovia Washington Luís, em São Carlos (SP), é considerada uma das empresas mais modernas na fabricação de equipamentos de alta tecnologia para atender a demanda do setor de pecuária intensiva de carne e de leite.

Presente em todo o território nacional, é formada por uma equipe de 130 colaboradores. Hoje, a Casale dispõe de um portfólio com 92 produtos, destacando-se as linhas de misturadoras: Totalmix, Vertimix e Rotormix. Segundo o diretor presidente, Celso Casale, a empresa oferece a linha mais completa de mixers do mundo. “Com toda segurança afirmo que não há nenhuma fábrica que tenha tantos modelos e tamanhos de mixers para oferecer, atendendo cada necessidade do mercado, do pequeno ao macro produtor. Alguns modelos ainda são produzidos em baixa escala. Porém, são compostos de soluções tecnológicas avançadíssimas, atendendo às mais exigentes condições brasileiras de operação. Temos todo know how para competir com empresas do primeiro mundo”, ressalta.

Para Casale, o Brasil tem um grande potencial na área de produção de alimentos de origem vegetal e animal. “A oportunidade está aqui, mas, para que alcancemos total êxito, precisamos ter planejamento e produtos de alta tecnologia para suprir as demandas do mercado que precisa tec-nificar e mecanizar a produção, buscando redução de custos e aumento de produtividade”, explica.

Reconhecida pela tecnologia e pela parceria com o produtor, a cada ano, agregam-se novas máquinas com o objetivo de aprimorar o agronegócio. “Nos últimos três anos foram investidos em torno de R$ 3 milhões de reais em desenvolvimento de novos produtos e modernização do parque fabril”, ressalta.

Foto aérea da fábrica da Casale em São Carlos-SP

HISTÓRIA

Casale é uma empresa familiar dirigida pelo descendente de italianos Celso Casale, um homem que fez história na produção de equipamentos agrícolas.
Tudo começou na cidade de São Carlos, numa pequena oficina mecânica dentro de um galpão, em 1964, chamada Casale & Ferrari. “No início, a empresa consertava caminhões e máquinas agrícolas. Mas, nos fundos do galpão, a empresa manufaturava algumas carretinhas agrícolas e roçadeiras de arrasto até se transformar, em 1972, na Indústria e Comércio de Implementos Agrícolas Casale Ltda”, relembra o diretor-presidente, que se tornou sócio da empresa em 1979. Em 1980, a razão social mudou para Casale Equipamentos Ltda (atual nome da empresa).

 Tudo começou na cidade de São Carlos, numa pequena oficina mecâni­ca dentro de um galpão, em 1964, chamada Casale & Ferrari. “No iní­cio, a empresa consertava caminhões e máquinas agrícolas. Mas, nos fundos do galpão, a empresa manufaturava algumas carretinhas agrícolas e roça­deiras de arrasto até se transformar, em 1972, na Indústria e Comércio de Implementos Agrícolas Casale Ltda”, relembra o diretor-presidente, que se tornou sócio da empresa em 1979. Em 1980, a razão social mudou para Ca­sale Equipamentos Ltda (atual nome da empresa).

Em maio de 1983, iniciou-se a cons-trução da atual sede, inaugurada em fevereiro de 1984. O grande marco na história da Casale foi em outubro de 1984, quando fabricaram a primeira “misturadora de ração total” da América Latina. É uma história um tanto curiosa. Neste mesmo ano, o cientista e físico, professor Dr. Sérgio Mascarenhas havia recém-criado a então Unidade de Pes-quisa de Instrumentação Agrícola da Embrapa, atualmente CNPDIA.

“O professor Mascarenhas me contou que a Embrapa tinha importado uma máquina dos Estados Unidos destinada à alimentação de gado e que teria a ver com o futuro da pecuária no Brasil. Eles buscavam uma empresa nacional que desenvolvesse o projeto em solo brasileiro, porque sabiam do mercado emergente para esse tipo de equipamen­to aqui e que não poderíamos depender de produto importado”. Foi neste mo­mento que Celso viu a oportunidade de ouro. “O mestre Mascarenhas co­mentou de nossa empresa com o então presidente da Embrapa Eliseu Alves, que solicitou uma reunião. A Embrapa nos emprestou a máquina para que pu­déssemos estudá-la e, no mesmo ano, produzimos a versão brasileira. Mas, inicialmente, com as mesmas caracter­ísticas da máquina americana e, em se­guida, conforme ganhávamos experiên­cia, adequamos o projeto para nosso mercado, criando novos tamanhos e modelos”, conta Casale.

Segundo Celso Casale, não existe outra fábrica que tenha tantos modelos e tamanhos de mixers

ROTORMIX

O grande salto da Casale aconte­ceu, em fevereiro de 1999, devido a um fato ocorrido na World Ag Expo, na cidade de Tulare (Califórnia – USA) – uma das principais feiras de gado de leite e máquinas agrícolas dos Estados Unidos. “Na oportunidade, um amigo me ofereceu um espaço pequeno em seu stand para divulgar nossos equipa­mentos. Com pouca estrutura, apenas com um banner e um vídeo exibindo informações do maior misturador de três roscas do mundo - Totalmix de 25m³ -, fiquei à espera de interessados. De repente, surge um americano, que assistiu ao vídeo e me solicitou uma cópia. Depois de um tempo, ele me li­gou e combinamos uma visita dele ao Brasil”, conta.

Durante a visita, Rod Neier, dono da Roto-Mix, empresa líder em mixers na América do Norte, ficou impres­sionado com as tecnologias dos equi­pamentos e propôs a compra do know-how da Totalmix. “Acertamos a venda, mas em troca solicitei a tecnologia dos misturadores Roto-Mix, que ele produ­zia nos Estados Unidos, porque sabia que este modelo teria mercado no Bra­sil”, relembra.

A primeira Rotormix, da Casale, foi produzida em 2000, seguindo os mes­mos padrões do modelo americano e foi vendida para uma empresa no Mato Grosso, em Barra do Bugre, chamada Capitão Verdi Agropecuária. “Para que este equipamento pudesse atender às condições de trabalho no Brasil, fizemos diversos ajustes em seu siste­ma de transmissão e reforçamos alguns componentes. Hoje, toda a linha Rotor­mix de 4 m³ até 27m³ é a mais utilizada no sistema de confinamento no Brasil, principalmente por produzir com mais eficiência ração total com alto teor de grãos para alimentação de gado confi­nado. Atualmente, 70% do faturamen­to da empresa pertencem às vendas das linhas Totalmix e Rotormix.

“Com novos lançamentos - inclu­sive a terceira geração do Rotormix, chamada de Rotoflex-Eco, oferecendo uma mistura mais rápida e com menor consumo de combustível pelo trator ou pelo caminhão, nossa perspectiva é crescer em torno de 40% em fatura­mento em relação ao ano passado e au­mentar em 20% as vendas em exportação”, comenta Casale.