Notícias do Charolês

Notícias do Charolês

A cidade de Londrina, no Paraná, foi premiada com uma grande exibição da raça Charolesa. Mais de 60 animais es­tiveram presentes no Parque Governador Ney Braga, durante a 54ª ExpoLondrina.

A exposição que tradicionalmente abre a temporada do Ranking Nacional contou com a organização do Núcleo dos Criadores de Charolês do Norte do Paraná, comandado pelo criador Carlos Henrique da Silva, presidente do núcleo, e sua esposa, Viviane Branco.

Segundo Carlos Henrique, o ano co­meçou de forma muito positiva para o Charolês. “A ExpoLondrina é uma prévia de como será o ano para a raça. Por ser a primeira exposição ranqueada do calen­dário, temos um parâmetro da continuida­de de 2014 e a participação da nossa raça foi de entusiasmar, tanto na quantidade de animais em pista (como), e principalmen­te, na qualidade apresentada”, diz.

O Leilão Estrelas do Charolês, ocor­rido na Casa do Charolês, reforçou o en­tusiasmo dos criadores, com pista limpa para os 18 lotes de animais PO e lotes  de cruza Charolês x Zebu. Fêmeas PO alcançaram média de R$ 10.000,00, os tourinhos PO atingiram R$ 7.500,00 de média e as cruzas Charolês/Zebu obtive­ram média de R$11,33/ kg vv.

A avaliação de toda essa qualidade destacada pelo presidente Carlos Henri­que ficou a cargo do experiente jurado Iriberto Tozzo, zootecnista da cidade de Chapecó/SC. Segundo o jurado, foi uma honra o convite para julgar em uma das mais importantes exposições do Bra­sil, exaltando a organização impecável e a dedicação do casal Carlos e Vivia­ne: “Os expositores e organizadores do evento estão de parabéns, esse esforço em fazer o melhor para o crescimento do Charolês me faz vislumbrar um ótimo futuro para a raça”.

Tozzo também salientou a qualida­de dos animais em pista. “Excelente a representação que esteve na ExpoLon­drina, mas o destaque ficou na disputa das fêmeas, devido à funcionalidade e à habilidade materna das mesmas”, sa­lientou o jurado.

Aumenta em 56% a venda de sêmen Charolês

Mais uma boa notícia para os admiradores da raça Charolesa. Com base em dados do Relatório da Associação Brasileira de Inseminação Artificial (ASBIA), em 2013 foram comercializadas 95.023 doses de sêmen Charolês, um aumento substancial de 56% em relação a 60.904 doses de 2012.

Segundo o diretor de Divulgação da Associação Brasileira de Criadores de Charolês, André Correa Berta, o aumento na demanda se deve à conscientização do pecuarista de que o cruzamento industrial é uma ferramenta disponível que não pode ser desconsiderada, por mais que alguns defensores das raças zebuínas insistam em negar a eficácia desse instrumento.

“A opção pelo Charolês vai trazer para o criador uma vantagem de uma a duas arrobas de peso no desmame, e de seis meses a um ano de encurtamento de ciclo para o abate, com o mesmo ganho de uma a duas arrobas a mais. Podemos levar em conta também que o Charolês tem uma ótima conversão alimentar, excepcional ganho de peso e um rendimento de carcaça e de desossa inigualável entre as raças europeias. Somando todos estes aspectos, com certeza, o resultado final será o esperado: maior lucratividade dentro da sua propriedade’’, afirma Berta.