Do Pasto ao Prato

 

LEILÕES CERTIFICADOS

CAMINHO PARA MELHOR COMERCIALIZAÇÃO

Fernando Velloso é médico-veterinário e sócio-proprietário da Assessoria Agropecuária FF Velloso & Dimas Rocha – www.assessoriaagropecuaria.com.br

Retomo o assunto comercialização de gado de reposição porque o tema é importante para o pecuarista e temos alguns avanços a comunicar. A comercialização de gado gordo é tema permanente de eventos, cursos, associações de produtores e vem avançando com melhorias na relação produtor/indústria. São diversos os exemplos de programas de bonificação, a produção para marcas especiais, a formação de grupos de fornecedores, os “clubes” de produtores, o boi a termo, o boi futuro e tantas outras iniciativas para melhorar a comercialização do gado para abate. O mesmo não ocorre na venda do gado de reposição (bezerro, boi magro, etc) e ainda comercializamos, na grande maioria das vezes, da mesma forma de sempre: na venda direta, via leilões de gado comercial e através de corretores. Estas modalidades são efetivas e são as disponíveis, mas temos de concordar que são formas que evoluíram muito pouco nos últimos 20 anos.

Especialmente em relação aos leilões (ou “feiras” como dizemos no RS) de gado comercial. Observa-se um enfraquecimento destes eventos por diversos fatores e, com isso, o fortalecimento dos agentes comerciais (corretores). Outro dia um leiloeiro experiente me comentava que o principal concorrente das feiras, hoje, é o telefone celular... Pois bem, compartilho da visão de muitos que o remate é uma forma justa para vendedores e compradores. Os produtos são expostos para apreciação e comparação e o mercado paga mais pelo que considera superior. Para o vendedor, oferece-se a possibilidade de ofertar seus animais para um grande número de interessados e, ao comprador, a oportunidade de adquirir em um só momento grande número de animais com a vantagem de revisá-los e compará-los. Partindo desta premissa, precisamos buscar alternativas que viabilizem e fortaleçam grandes leilões.

Uma das alternativas mais modernas e exitosas na venda de gado comercial no mundo são os Leilões Certificados; este é um novo desafio para a pecuária gaúcha.

O QUE SÃO LEILÕES CERTIFICADOS?

Esta modalidade de venda consiste em Leilões Virtuais, porém, com certificação. Ou seja, leilões transmitidos via televisão ou internet com lotes filmados nas fazendas e com todas as informações importantes para o comprador descritas de forma padronizada e garantidas por um processo de certificação. Todo lote tem o seu responsável técnico (certificador) e, assim, avançamos para uma nova relação comercial, baseada em transparência e compromisso profissional.

Nos EUA, este conceito já está no mercado faz mais de 20 anos e, no Uruguai, os leilões de “pantalla” já chegam aos 15 anos. Especificamente em relação ao Uruguai, que tem muita similaridade com a pecuária gaúcha, trazemos a confiança de que o modelo é totalmente replicável aqui, pois a população bovina tem praticamente o mesmo tamanho, o sistema de produção é muito próximo do nosso e os hábitos e costumes do pecuarista uruguaio também se assemelham aos do produtor gaúcho. Atualmente, ocorrem de três a quatro leilões por mês no Uruguai neste modelo e com ofertas que variam de cinco a mais de 20 mil bovinos por evento. Por ano, o sistema comercializa quase 500 mil animais, ou aproximadamente 25% do abate nacional.

VANTAGENS

Os benefícios deste mecanismo são muitos e atendem tanto vendedor quanto comprador:
a) venda em R$/kg (e não por unidade) e com pesagem na retirada dos animais (carregamento);
b) gado vendido na fazenda, sem prejuízos de transporte, manejo e oncentração de animais;
c) facilidade e “conveniência” ao comprador através de informações prévias, vídeos e sistema de pesquisa dos lotes;
d) praticidade com horários pré-definidos para a transmissão de cada categoria animal e lote;
e ) grandes ofertas, permitindo solução comercial para vendedores e compradores;
f) certificação: informações garantidas por um processo técnico e padronizado;
g) construção de real valorização para lotes superiores em qualidade e uniformidade;
h) transparência e disponibilidade total dos resultados e cotações detalhadas por categoria animal.
Aparentemente, pode-se imaginar que este é simplesmente um sistema diferente de leilões, mas creia que é muito mais. A contínua disponibilidade de informações sobre as vendas e cotações leva a um sistema de produção direcionado para o mercado e o entendimento da cadeia de que características têm mais valor comercial. Para o futuro, temos ainda muito que avançar, pois surgirão as certificações especiais para protocolos sanitários, superioridade genética (para rebanhos que usam touros registrados superiores), lotes aprovados para programas especiais de carne e tantas outras características que o mercado busca e reconhece valor.

A cadeia da carne tem muito a ganhar com avanços na comercialização de gado, pois um dos atributos mais importantes da pecuária deve ser preservado: a liquidez. Havendo contínua e forte comercialização, teremos mais investimento no campo e confiança na atividade. Com o esperado volume crescente de animais ofertados em leilões certificados, vamos ter melhor compreensão dos movimentos do mercado e das decisões e mudanças de rumo que devemos aplicar em nosso sistema de produção e tipo de produto.

O Canal Rural está liderando este processo no RS com a parceria de nove empresas leiloeiras ou escritórios rurais. A Assessoria Agropecuária participa deste trabalho como Coordenação Técnica e de Certificação. O pontapé inicial será dado em 21 de maio, com o Leilão Certificado N°1, com transmissão direta e aberta no Jockey Clube do RS. Entre conosco neste páreo que só tem vencedores.