A Voz do Criador

Bom não só para cavalos

Os pecuaristas estão descobrindo o que os criadores de cavalos já sabiam há muito tempo, o feno é um alimento de ótima qualidade para compensar a falta de volumoso. Na pecuária de corte, seu uso pode ser estratégico, em especial no inverno, quando o período seco inibe a produção de massa verde dos pastos. Bem conservado, dura anos. Fazê-lo está ao alcance do pecuarista mais antenado, mas existem algumas limitações em relação à produção. A chuva pode transformar o que seria um feno de excelente qualidade em cama de frango. Para não correr risco, não deixe de conferir nossa “Matéria de capa”. Aproveite também para ler as recomendações para iniciar a suplementação estratégica na seca, em “Nutrição”.

Saindo um pouco da porteira, procuramos o especialista José Luiz Tejon Megido para questionar por que o Brasil investe mal no marketing internacional e tratar de outros assuntos, como as iniciativas da campanha “Sou Agro” e a repercussão das propagandas veiculadas na televisão pelo Friboi, frigorífico pertencente ao Grupo JBS. Ele também aponta uma certa escassez de inspiração e liberdade de criação, culminando sempre em “mais do mesmo”. Marketing direto, em feiras e dias de campo, nem sempre são capazes de preencher essa lacuna. Nada como uma “propaganda daquelas, das boas”, diz. Não deixe de conferir na nossa “Entrevista do Mês”.

Outro setor que vem se mantendo estável é o da inseminação artificial. A Asbia divulgou seu relatório anual, referente à comercialização de sêmen bovino no Brasil, em 2013. Uma surpresa, já antecipada na coluna do “Pasto ao Prato” de março, foi a raça Nelore perder o reinado para o Angus. O zebuíno perdeu mercado, mas o taurino manteve, e até superou, as boas margens de crescimento registradas nos últimos anos. Confira em “Genética”. Falando em “Raças”, o gado japonês Wagyu é o destaque do mês. Seu marmoreio extremamente diferenciado vem resultando em bonificações na ordem de 40%. Só o quilo do contrafilé vale mais de R$ 500.

O leitor pediu e a Revista AG atendeu: “Escolha do Leitor” traz informações sobre o uso da cerca elétrica em pastagens extensivas. A tecnologia caiu em descrédito, mas muito da culpa reside na baixa voltagem dos equipamentos de qualidade duvidosa. Em “O Confinador”, conheça as modalidades de engorda que o pecuarista tem à disposição. Pode ser uma forma eficiente para aumentar a renda e descansar o pasto, assim como “Caprinovinocultura” apresenta as vantagens em se controlar custos e os índices zootécnicos da fazenda. Acompanhamento também é uma necessidade na pecuária leiteira, onde a morte embrionária é um risco iminente à produção de bezerros. Saber o diagnóstico correto é importante. Isso e muito mais nesta riquíssima edição de AG – A Revista do Criador.

Boa leitura!