Falou

 

Aplicando tecnologia a campo

Júlio Emrich Pinto, diretor-comercial da Vaccinar Nutrição e Saúde Animal, explana sobre os produtos, projetos e expectativas da empresa

"O nosso desafio é permanecer no patamar de crescimento atual"

Revista AG – Em quais segmentos a empresa tem mais presença no mercado?

Júlio Emrich Pinto – Temos grande presença na avicultura, suinocultura, seguidas pela bovinocultura. A vantagem é que essa presença é bastante equilibrada e, em no caso de uma crise setorial, o impacto é diluído.

Revista AG – Que produtos se destacaram na área de bovinos no ano passado?

Júlio Pinto – O TecnoForte, suplemento proteico mineral, destinado a suprir deficiências de animais a pasto na época das secas. Destacamos também o Bovimaster Leite, Núcleo Mineral Vitamínico para suplementação de vacas em lactação, bem como o Vacciphos 60 ADE Leite, suplemento mineral vitamínico, pronto para uso, recomendado para de bovinos de leite. Já na linha de confinamento sobressaiu-se o Bovimaster Grão Inteiro, concentrado proteico-mineral aditivado, destinado à alimentação de gado confinado e que dispensa a utilização de volumoso.

Revista AG – Quais os outros destaques da linha de confinamento?

Júlio Pinto – Também contamos com o TecnoFort R, núcleo mineral aditivado para formulação de dietas. Seu objetivo é atender às exigências da fase de terminação. Contamos também com o TecnoAdapt, núcleo mineral vitamínico aditivado para formulação de rações de confinamento na fase de adaptação, período em que o animal passa por muito estresse.

Revista AG – Quais os principais suplementos minerais disponibilizados pela empresa?

Júlio Pinto – Vaccinar 60 ADE, Tecnophos Engorda, Tecnophos Cria e Vacciphos 90 ADE. Eles são preparados com fontes minerais de altíssima disponibilidade e balanceados rigorosamente para suprir as deficiências minerais nas diferentes fases da vida produtiva do animal. São produzidos em fábricas com alto grau de inovação tecnológica e rigoroso controle de qualidade.

Revista AG – Como foram as exportações da empresa no ano passado?

Júlio Pinto – Atualmente, estamos presentes no mercado paraguaio. É objetivo da empresa prospectar todo mercado da América Latina. Desse modo, em nosso planejamento estratégico consta o levantamento de novas oportunidades, a partir de 2015.

Revista AG – O ano de 2013 foi bom em termos de crescimento para a Vaccinar?

Júlio Pinto – Nós somos uma empresa de grande porte e, sendo assim, nosso objetivo é continuar a crescer. Para se ter uma ideia, de 2010 a 2013, a empresa cresceu 143%.

Revista AG – Como estão as fábricas da empresa em termos de funcionalidade e qualidade?

Júlio Pinto – As fábricas da empresa apresentam a estrutura fabril e os controles como pontos fortes. Contam com tecnologia e equipamentos atualizados e com rígido controle de qualidade. Continuaremos a investir na modernização do nosso parque fabril e nos processos produtivos. Planejamos novas fábricas e centros de distribuição para os próximos dois anos.

Revista AG – Qual a avaliação do mercado de bovinos corte e leite?

Júlio Pinto – Baseado na nossa estratégia e nos indicadores do segmento, que mostram um cenário positivo para os preços dos produtos acabados, aliados ao aumento do consumo de proteína animal (leite e carne), em função da movimentação das classes sociais e das exportações, esperamos um bom crescimento destes setores.

Revista AG – O que se espera de 2014? Quais são as grandes apostas da empresa?

Júlio Pinto – Nosso desafio é permanecer no patamar de crescimento atual. A nossa grande aposta é em uma equipe de alta eficiência e expansão da nossa presença territorial. Foco no planejamento e inovação tecnológica para ter uma empresa sempre voltada à busca da melhor solução em nutrição e saúde animal. Em síntese: "Qualidade como devoção, controle de custos como obsessão e o cliente como razão".