Notícias do Angus

Angus anuncia apoio a pesquisas com marcadores moleculares envolvendo animais da raça

A Associação Brasileira de Angus, por meio de seu conselho técnico, anunciou recentemente o apoio a três projetos de pesquisa para seleção genômica na raça Angus. Todos os estudos serão conduzidos pela Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias da Unesp, localizada em Jaboticabal/SP. "Entendemos que o apoio à pesquisa é fundamental para encontrarmos as soluções para os problemas que atrapalham a evolução da raça e, consequentemente, da pecuária no Brasil. Por isso, decidimos apoiar os estudos, cujos resultados podem trazer inúmeros ganhos para nossos criadores", afirma o presidente do conselho técnico da Angus, Ricardo Gregory.

O primeiro estudo irá se debruçar sobre um problema que, além de ser uma barreira para a expansão mais acelerada do Angus em determinadas regiões do País, pesa no bolso do pecuarista, pois no último ano contabilizou (entre manejo, medicamentos e perdas de produtividade) um custo de cerca de R$ 3 bilhões: o carrapato.

Coordenada pelo professor Henrique Nunes de Oliveira, a pesquisa, que deve durar cerca de três anos, tem o intuito de identificar os animais com maior resistência aos parasitas e tentar isolar os genes responsáveis por essa menor suscetibilidade, explica o pesquisador. "O carrapato é um dos principais flagelos da pecuária. Os avanços que tivermos nesse estudo irão beneficiar não somente a raça Angus e as demais raças europeias, mas toda a cadeia da pecuária", afirma.

Além de isolar os genes responsáveis pela maior resistência aos carrapatos, a pesquisa pretende também identificar animais mais resistentes ao protozoário Babesia Bovis, responsável pela Babesiose, ou tristeza bovina, doença que pode até causar a morte do animal infectado.

As coletas para o estudo estão sendo realizadas em Uruguaiana/RS, na GAP Genética. De acordo com a veterinária responsável pela área de seleção genética da empresa, Angela Linhares, a primeira já foi realizada no início de janeiro. "Separamos um rebanho de 500 fêmeas da mesma geração. O animador é que notamos diferenças expressivas entre um animal e outro. Alguns tinham mais de 100 carrapatos e outros quase nenhum. Ou seja, há animais mais resistentes", frisa. Segundo Angela, a próxima coleta, de um total de três, está prevista para a segunda semana de fevereiro.

Uso dos dados - O segundo estudo, conduzido pelo pesquisador Roberto Carvalheiro, irá avaliar o impacto do uso de informações moleculares em programas de melhoramento genético de bovinos da raça Angus. "Ou seja, gerar informações que auxiliem os criadores a definir estratégias para o uso das informações moleculares em programas de melhoramento, de forma a potencializar o progresso genético e aumentar a eficiência produtiva e econômica de seus rebanhos", explica Carvalheiro.

Segundo ele, as bases de dados dos programas Natura e Promebo serão utilizadas para fornecer informações de características de crescimento, associadas a carcaça, reprodução, adaptação e funcionalidade. "Em torno de 300 touros serão genotipados com painel de alta densidade. De posse dessas informações, diferentes estudos serão conduzidos. Inicialmente, os genótipos dos touros serão utilizados para o cálculo de parâmetros populacionais que servirão como base para os demais estudos."

Eficiência alimentar - O terceiro estudo, coordenado pela pesquisadora Drª Lucia Galvão de Albuquerque, terá foco na questão da eficiência alimentar de bovinos da raça Angus. "Aproximadamente 300 animais da raça Angus, com idade em torno de nove meses, terão o consumo alimentar individual mensurado por um período de 70 dias, após 42 dias de adaptação ao regime alimentar e local do confinamento onde os animais serão avaliados. O objetivo é que os resultados forneçam informações que auxiliem a inclusão de características de eficiência alimentar em programas de melhoramento genético. A seleção para eficiência alimentar permitiria redução dos custos de produção, além de um impacto positivo esperado no meio ambiente", frisa a pesquisadora.


Nacional de Angus ocorrerá durante a 54ª Expolondrina

A Associação Brasileira de Angus irá realizar durante a 54ª Expolondrina, em Londrina/PR, a sua Exposição Nacional de Animais de Argola, segunda etapa do calendário de 2014 do ranking nacional de criadores e expositores.

A escolha da entidade em realizar sua principal exposição de animais de elite na feira deve-se, além da importância da Expolondrina dentro do calendário de eventos agropecuários do Brasil, ao crescimento da raça Angus no estado do Paraná, explica a gerente administrativa da entidade, Juliana Brunelli. "Somente ano passado recebemos mais de 150 inscrições para a Expolondrina, vindas de diversos estados do País. Este ano a expectativa é de que este número cresça expressivamente, com a realização da Nacional Angus durante o evento", prevê a gerente.

Os julgamentos, que ocorrem nos dias 11 e 12 de abril, serão feitos pelo experiente e renomado juiz argentino Maurício Groppo.