Ag Na Fazenda

 

Pecuária paulista MOSTRA FORÇA

Road in Farm foi a principal atração da Expô Araçatuba 2013

Bruno Santos*
[email protected]

Exposição Agropecuária de Araçatuba, a famosa Expô Araçatuba, realizada tradicionalmente desde 1959 no Recinto de Exposições Clibas de Almeida Prado, no interior paulista, neste ano contou com uma programação diferente. Pela primeira vez, a exposição, que por várias décadas foi considerada referência no setor, não teve a participação de bovinos de pista, contemplando apenas julgamento na raça equina Mangalarga.

O grande destaque da programação ficou por conta do Road in Farm - o Mapa da Genética. O evento realizado pela Central Leilões, em parceria com o Siran (Sindicato Rural da Alta Noroeste), atraiu cerca de 150 pessoas, movimentando o recinto de exposições. Além das apresentações de técnicos, especialistas e criadores, os participantes foram guiados em visitações aos principais criatórios do interior paulista para ver de perto o trabalho de seleção de cada propriedade.

Além de proporcionar o contato e a troca de informações entre criatórios e consumidores de genética animal, o Road in Farm estimulou a realização e a participação nos leilões promovidos no período da Expô Araçatuba. Segundo a assessoria de comunicação do Siran, foram realizados 13 remates (sete deles virtuais), enquanto em 2012 houve a promoção de apenas sete.

Cerca de 2 mil animais foram leiloados, entre touros, matrizes, animais para corte, cavalos e muares. Os bovinos, equinos e ovinos ocuparam 16 pavilhões do recinto, contra apenas quatro pavilhões do ano passado.

Carlos Eduardo Novaes apresenta o plantel Nelore Cen

Os leilões proporcionaram uma movimentação financeira de R$ 6 milhões, sendo 25% maior que a registrada na edição de 2012. Número que pode ser multiplicado, pois muitos dos criadores que participaram do Road in Farm estiveram no evento com o interesse de conhecer a genética dos criatórios da região para, posteriormente, adquirir animais em leilões específicos.

Entre os remates, destaque para o Leilão Genética Britânica, realizado no encerramento do Road in Farm, no Recinto Clibas de Almeida Prado. O pregão foi marcado por uma valorização média relevante. Os animais Angus, da Agropecuária HR, foram arrematados por R$ 8,3 mil em média; os Brangus, da Brangus HP Agrícola Anamélia, por R$ 10,8 mil; Braford, oferecidos pela Fazenda Nova e pela Agropecuária Caty, por R$ 9,6 mil. A média geral do leilão foi de R$ 9,2 mil. Os animais foram comercializados para criadores dos estados de São Paulo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, Minas Gerais e Paraná.

NELORE CEN

O primeiro dia da programação do Road in Farm contou com visitação à Fazenda Crioula, que abriga o desenvolvimento do Nelore Cen, propriedade do criador Carlos Eduardo Novaes.

O pecuarista, após um belíssimo almoço, tratou de apresentar os animais aos visitantes e falou sobre o sistema de produção. Segundo ele, os princípios que regem a seleção Nelore Cen são os mesmos de 47 anos atrás: a busca por animais produtivos, funcionais e com perfeita caracterização racial.

A seleção é focada rigorosamente no cumprimento de realçar três características essenciais em um animal de corte: fertilidade, habilidade materna e conformação. Para ele, o manejo natural, sem artificialismos, é fundamental para que se identifiquem qualidades e defeitos dos indivíduos que, do contrário, poderiam passar despercebidos. "É regra a eliminação, sem perdão, dos animais que não atinjam os parâmetros estabelecidos. A superioridade genética e a consistência de um rebanho selecionado com esses métodos há tanto tempo é simplesmente inegável", salienta Novaes.

A propriedade usa um sistema de estação de monta de 90 dias, o que expõe com mais facilidade as matrizes menos férteis. Todas as fêmeas que estiverem vazias após o período são eliminadas. Segundo o proprietário, outro benefício de uma estação curta é a concentração dos nascimentos e das desmamas em um período menor. "Isto possibilita a formação de grupos contemporâneos mais homogêneos, o que facilita a comparação entre os indivíduos", destaca. Dentro da habilidade materna, o criador foca em três critérios.

Flávio Aranha apresentou os animais que levará a leilão no próximo dia 31 de agosto

1. Eliminação anual das vacas que desmamaram os produtos mais leves;

2. Seleção à desmama das bezerras mais pesadas: elas demonstram que suas mães têm boa habilidade materna;

3. Somente os machos que atingirem pesos excepcionais ao desmame (em regime exclusivo de pasto) são considerados touros em potencial.

O criador frisa ainda que, além de serem filhos de vacas de boa habilidade materna, os animais selecionados devem estar dentro de determinados padrões de caracterização e conformação, critério extremamente fundamental no processo de seleção de ponta. Atributos como comprimento, profundidade, arqueamento, musculosidade, ossatura, aprumos e umbigo são avaliados à desmama e ao sobreano pela propriedade em um critério de pontuação de 1 a 6.

Com base nessa pontuação, os animais que não atinjam índices compatíveis com os padrões da propriedade são descartados. Animais de temperamento muito agitado ou agressivo também são penalizados. "São privilegiados aqueles que demonstram estar perfeitamente adaptados ao meio ambiente, não necessitando de assistência ao parir, para aleitar e que não necessitem de tratamento ou suplementação especial", complementa Novaes.

Os visitantes analisam a qualidade genética do plantel Bela Alvorada

Os animais com a marca Cen são acompanhados e avaliados pela equipe da ANCP há mais de 10 anos. O programa contribui com o processo de seleção do projeto, ajudando a mensurar as características produtivas desejadas pelo padrão da propriedade.

Entre os principais raçadores do criatório, destaque para: Insoluto, Hajastan, Mexicano, Labisco, Adonis, entre outros. Vale lembrar que recentemente o criatório lançou o cartão Fidelidade, com o qual os clientes da propriedade ganham percentuais em pontos em cada pagamento efetuado.

FAZENDA BELA ALVORADA

Bela Alvorada Um lindo dia de sol contribuiu para que a visita de mais de 70 pessoas à Fazenda Bela Alvorada, em Guararapes/SP, fosse muito produtiva durante o circuito Road in Farm. Na oportunidade, Flávio Aranha, pecuarista e proprietário da Bela Alvorada, apresentou as novidades do plantel para o segundo semestre de 2013.

Entre as novas doadoras da seleção, ele destacou as filhas do touro Avesso da Bela, reprodutor que conquistou o 1º lugar no Sumário de Touros da Reprodução Programada e o 3º lugar no Sumário Geral de Touros da ANCP (Associação Nacional de Criadores e Pesquisadores), com MGT (mérito Genético Total) de 22,26, TOP 0,1%.

Os visitantes também puderam conhecer os touros e as doadoras provadas que serão levadas ao leilão da Bela Alvorada, em 31 de agosto. "Nossos reprodutores possuem avaliação genética nos programas de melhoramento genético ANCP e Nelore Qualitas e são colocados à venda somente se aprovados como melhoradores nestes programas, além dos 50 anos que já possuem de seleção para desempenho. Além dos animais que vão a leilão, os visitantes apreciaram as progênies de Grafite da Bela e do Garden da Bela", comenta Flávio Aranha.

A Fazenda Bela Alvorada tem como diferencial reprodutores selecionados para características econômicas evidentes, como fertilidade, velocidade de ganho de peso, habilidade materna, rusticidade e musculosidade.

O plantel conta atualmente com 550 matrizes Nelore PO distribuídas em duas unidades: a Fazenda Bela Alvorada, em Guararapes, no interior paulista, onde também são produzidas cana-de-açúcar, soja e borracha, e a Fazenda Nova Santo Ângelo, localizada em Jateí/MS, onde é feito o manejo de Integração Lavoura-Pecuária (ILP) e Floresta-Pecuária. "Essa integração traz um ganho de produtividade maravilhoso. Plantamos aveia no inverno e depois entramos com a soja. Temos também eucaliptos" explica o proprietário.

Ambas as propriedades são certificadas pelo selo Global G. O G1 é dado para os plantéis que realmente abasteçam o programa Nelore Brasil com dados confiáveis, o G2 é dado aos participantes que já completaram quatro anos de progresso genético na ANCP e o G3 valida plantéis que produzem atendendo as responsabilidades ambientais.

Bonsucesso produz em média 180 touros por ano

Para Flávio Aranha, a utilização dos marcadores moleculares não tem mais volta, entretanto, o custo dessa tecnologia ainda é muito alto e tem de baixar para ficar mais acessível aos criadores. "Ninguém aguenta o alto custo na produção de um reprodutor. O valor dessa tecnologia terá de baixar", prevê o pecuarista.

Ainda segundo ele, o produtor brasileiro tem de seguir o modelo americano, que já utiliza os índices econômicos para a venda de reprodutores. Com esse sistema, o cliente receberá um animal já sabendo quantos reais de lucro o mesmo vai render à propriedade mais tarde. "Estamos trabalhando junto à ANCP para ter o índice maternal dirigido para os pecuaristas que fazem cria e outro para quem foca a terminação em ciclo completo (cria, recria e engorda)", revela.

FAZENDA BONSUCESSO

Com a pecuária brasileira moderna avançando rapidamente para se tornar a grande força mundial na produção de carne, a Fazenda Bonsucesso, pertencente aos criadores Michel Caro e Patricia Zancaner, passou a investir em novas tecnologias de avaliação para aprimorar a evolução e o melhoramento genético permanente no rebanho. Um desses investimentos foi recentemente fruto da parceria com a central Alta Genetics. O criatório integra a bateria AltaEmbryo, programa que comercializa prenhezes de matrizes rigorosamente selecionadas e acasaladas com touros de alto potencial genético, promovendo rápida evolução genética para o pecuarista.

O criatório participa ainda dos programas de melhoramento genético Nelore Brasil, da ANCP (Associação Nacional de Criadores e Pesquisadores), do PMGZ (Programa de Melhoramento Genético de Zebuínos), da ABCZ (Associação Brasileira de Criadores de Zebu) e do Qualitas.

Michel Caro destaca o constante investimento em melhoramento

A seleção Nelore Zan é focada nas características de ganho de peso, fertilidade, habilidade materna, desempenho pós desmama e precocidade sexual. E para ter máximo de ganho nessas características, os proprietários estão investindo na ultrassonografia para conseguir melhores padrões de carcaça e de qualidade de carne.

A Fazenda Bonsucesso dedica-se à seleção de Nelore PO há mais de 50 anos, conta com sistema de criação a pasto tanto na propriedade de Guararapes, no interior de São Paulo, quanto na fazenda de Água Boa/MT. Os criadores submetem os bezerros a um processo rigoroso de avaliação em regime de pasto na fase de recria e engorda. Já aos 18 e 21 meses, respectivamente, machos e fêmeas passam por um filtro criterioso ao selecionarem os jovens reprodutores para a reposição do rebanho.

Atualmente, o plantel conta com 800 matrizes PO. "Temos 500 doadoras inseminadas e 300 receptoras. Além disso, produzimos, em média, 180 touros por ano e 23% desses machos são disponibilizados ao mercado", comenta Michel Caro.

Entre os animais, destaque para Nadã da Bonsucesso, que foi 1º colocado por dois anos seguidos (2006 e 2007) no sumário do Programa de Melhoramento "Aliança Nelore", da Gensys, e também líder como touro PO no sumário do PAINT 2008. Berloque da Bonsucesso é outro exemplo da qualidade da marca. Líder na comercialização de sêmen, com mais de 40.000 doses em 2011, contratado pela Alta, ele vem comprovando todo o seu potencial nos mais exigentes plantéis comerciais do País.

KATAYAMA PECUÁRIA

Gilson Katayama recebeu os participantes do Road in Farm, também em Guararapes/SP, em mais um dia de visitação do grupo. Na oportunidade, o criador fez uma breve apresentação do seu criatório e, na sequência, guiou os participantes para um passeio.

A Katayama Pecuária é constituída por dois sólidos segmentos: Corte e Genética, que, além da propriedade de São Paulo, conta ainda com mais duas, uma no Mato Grosso do Sul e outra no Mato Grosso.

O segmento de corte realiza a pecuária do ciclo curto, utilizando material genético para produção de bezerros precoces. Esses são recriados em pastos adubados e rotacionados, com o objetivo de produzir-se animais jovens e pesados para a terminação em confinamento, com grande qualidade e rendimento de carcaça.

Participantes do Road in Farm conhecem a seleção Katayama

Na Genética, a Katayama desenvolve o PKGA+ (Programa Katayama de Genética Avaliada), um rigoroso programa intrarrebanho de melhoramento genético, destinado à produção e à seleção a pasto de matrizes e reprodutores Nelore. Esse programa é o alicerce do sistema de produção e seleção massal da propriedade, contando com uma base genética com mais de 5 mil matrizes Nelore registradas, cadastradas e geneticamente avaliadas com o máximo rigor zootécnico possível pela ANCP e pelo Gensys, por meio da DeltaGen.

De acordo com o médico-veterinário e consultor da Katayama, Márcio Ribeiro, o PKGA+ tem por objetivo a produção de animais precoces, desenvolvidos e musculosos, de bons atributos maternos e reprodutivos, boa índole, com adequada caracterização racial e que expressem e transmitam precocidade sexual e de acabamento. "É a busca incessante pela genética do gado moderno e produtivo", destaca.

No Escopo do PKGA+, a seleção é feita em duas etapas: seleção fenotípica e de desempenho dos animais jovens, com até 16 meses de idade; e a seleção genética com o uso das DEPs (Diferença Esperada na Progênie), de maior acurácia, para a seleção de touros e matrizes que serão os patriarcas das próximas gerações.

Todos os animais nas idades de desmama, ano e sobreano, passam por mensurações que incluem pesagem, medição do perímetro escrotal, altura e avaliação por ultrassonografia de AOL (Área de Olho de Lombo), além de cobertura de gordura. Estas análises são complementadas por avaliações visuais de E/CPMU - Estrutura/Conformação, Precocidade, Musculatura e Umbigo -, temperamento e raça, gerando DEPs e índices que permitam o descarte dos indivíduos inferiores, a identificação dos superiores e candidatos a touros PINT-KA (Programa de Identificação de Novos Touros da Katayama). Também nessa etapa são apartadas as fêmeas de reposição geneticamente superiores.

Fábio Souza de Almeida tenta reconstituir a linhagem Golias

O PINT-KA identifica os melhores machos a partir do desempenho, fenótipo e de suas DEPs, garantindo a escolha dos touros repassadores e aqueles que irão para a coleta de sêmen dos testes de progênies. "Os touros destinados a teste de progênie somente são liberados para a comercialização de sêmen quando com prova completa e positiva, trazendo confiança e credibilidade aos clientes", completa Ribeiro.

A propriedade desenvolveu ainda o PAD-KA (Programa de Acasalamento Dirigido Katayama). Nesta etapa, somente touros que apresentam DEPs superiores para as características objetivadas no PKGA+ e que sejam morfologicamente corretos são indicados para o acasalamento de cada matriz.

NELORE DO GOLIAS

A Fazenda Água Branca, localizada em Birigui/SP, sempre se destacou pelo pioneirismo no Brasil. A propriedade foi precursora da irrigação de cafezais e na plantação do rami (fibra natural). Agora fiel à história, desempenha mais uma vez seu papel, mas, desta vez, no campo da genética bovina.

O pecuarista e proprietário da centenária fazenda, Fabio Souza de Almeida Filho, há 10 anos vem trabalhando focado nos cruzamentos endogâmicos (acasalamento consanguíneos) para reconstituir a linhagem do Genearca Golias POI, importado da Índia em 1962.

Para Fábio, depois de décadas de evolução dos aspectos morfológicos do Nelore, ele sentiu a necessidade de fazer a melhoria da raça por dentro. "Queremos produzir animais com carne macia, marmorizada e com maior área de olho de lombo, e a reconstituição do DNA do lendário Golias será fundamental para isso", destaca.

O processo altamente tecnológico de reconstituição do DNA do Genearca Golias está sendo feito através do material genérico de 11 filhos do reprodutor, e o trabalho, que está em fase final, em breve será comprovado. "Com o reprodutor Futuro POI do Golias, vamos oferecer aos criadores de Nelore inúmeros ganhos, entre eles, a oportunidade de se ter um "refrescamento" de sangue, por ser uma linhagem fechada (propícia à heterose); melhorar a proporção de carnes nobres na carcaça, elevar a precocidade sexual, melhorar o temperamento e a longevidade", acrescenta o proprietário.

O projeto Nelore do Golias mantém parceria com Universidade Estadual Paulista (UNESP), Universidade de São Paulo (USP) e também com o departamento de Estudos Genômicos do Departamento Americano de Agricultura (USDA). A propriedade participa também de quatro programas de Avaliação Genética: Associação Nacional de Criadores e Pesquisadores (ANCP), Embrapa Geneplus, Programa de Melhoramento Genético de Zebuínos (PMGZ/ABCZ) e Qualitas.

Além do investimento em progresso genético, a fazenda Água Branca trabalha para produzir carne bovina a partir dos métodos econômicos mais avançados para a produção de novilhos gordos em regime de pastagens. A propriedade conta ainda com a produção de cana-de-açúcar e grãos.

*O jornalista acompanhou o Road in Farm a convite da Central Leilões