A Voz do Criador

 

Briga de titãs

De um lado a agricultura; do outro a pecuária. A primeira necessita de mais terras e a outra, de maior produtividade. O mundo precisa de grãos e cereais, entretanto, também deseja um bife gostoso e macio dentro do prato. A agricultura goza de um alto nível de profissionalização e emprego de alta tecnologia. Já a pecuária engatinha neste quesito, mostrando apenas algumas cases de sucesso na produção de carne. Com a aprovação do novo Código Florestal, ficam proibidos novos desmatamentos. Desta forma, resta para a agricultura assediar os criadores de gado para arrendamentos das áreas de pastos degradados ou até mesmo aquisição de algumas porções de terra, a cifras pecaminosamente sedutoras.

Criadores mais antenados veem uma oportunidade de negócio e aproveitam-se da profissionalização dos agricultores para ceder áreas e no fim do contrato receber, além do valor do aluguel, um solo recuperado e pronto para novas pastagens. Por este motivo, independente dos resultados, nesta briga quem deve sair ganhando é a pecuária. O atual momento pode ser um divisor de águas da pecuária brasileira, tornando-a tão eficiente como a australiana ou a nossa própria agricultura. Como? Com o uso de tecnologia, conhecimento técnico, gestão profissional e qualificação de mão de obra, só para citar alguns exemplos. O boi abatido com cinco ou seis anos na década de 1970 deve se tornar carne aos 24 meses ou menos.

Por isso, não deixe de conferir a matéria de capa. Quem também fala bastante sobre o assunto é o nosso entrevistado do mês Alcides Torres, da Scot, que avalia a sobreposição da agricultura uma brisa passageira. E no quesito "Seleção", veja como os novos rumos da bovinocultura estão impactando as assessorias genéticas, resultando no oferecimento de bois com bula. Você pediu e a Revista AG atendeu: "Escolha do Leitor" aborda a longevidade de matrizes. Na seção "Pista", a ExpoZebu 2013 mostra que tem algo a mais que as pistas de julgamento abarrotadas de gado e os leilões milionários. Em "O Confinador", o confinamento é apresentado como proposta para produção de mais arrobas por unidade de área.

Na matéria de "Leite", dicas importantes para formulação de uma dieta equilibrada e, em "Caprinovinocultura", destaque à qualificação técnica dos proprietários e funcionários das cabanhas. Isso e muito mais nesta imperdível edição de AG – A Revista do Criador.

Boa leitura!