O Martelo

 

Infinidade de ofertas

Megalote foi a grande novidade do Mega Leilão Estância Bahia 10.013, que faturou R$ 29 milhões

Bruno Santos
[email protected]
r

Só quem sobrevoa os 600 hectares da Estância Bahia consegue entender a magnitude do Mega Leilão. E o repórter que aqui vos escreve enfrentou um ultraleve para descrever a grandeza desse evento e tentar entender a logística do manejo de tantos animais. Logo que decolei do aeroporto de Água Boa, no leste do Mato Grosso, já era possível ver no horizonte um “mar de gado”, e quanto mais me aproximava da propriedade, mais ficava impressionado com toda aquela estrutura.

Mas, se de cima a quantidade de bois me comovia e enchia a lente da minha câmera, lá em baixo, no tattersal, eram os números que chamavam a atenção e cresciam a cada lance dado pelos mais de 5 mil pecuaristas que estavam presentes no recinto, representantes de várias regiões do Mato Grosso e de todo o país.

O maior evento da pecuária mundial (que não leva o nome de Mega à toa) comercializou 33.509 bovinos de cria, recria e engorda, além de um lote especial de matrizes PO. Em apenas sete horas, o remate realizado no dia 20 de abril comercializou 21.512 machos e 11.987 fêmeas, negociadas em 131 lotes parelhos e de visível padronização. A etapa em Água Boa, a principal do circuito, gerou faturamento de R$ 29 milhões, registrando média geral de R$ 865,00.

Os machos atingiram a melhor cotação, R$ 990,00/cada, e as fêmeas, R$ 625,00. “Tivemos uma oferta menor que em 2012, por respeito ao momento do mercado, pois temos de ter a sensibilidade de analisar o cenário. Bater recordes nunca foi nosso objetivo. Estou feliz com a venda de 100% dos lotes que nos foram confiados”, afirma Maurício Tonhá, presidente do Grupo Estância Bahia.

A grande novidade do Mega Leilão deste ano foi um lote especial vendido pela própria Estância Bahia, com 1.013 machos de 24 meses, que pesavam 300 kg, em média - o maior em um leilão no Brasil -, adquirido pelo empresário Kiko Quagliato. O dono da Fazenda Favorita, de Nova Crixás, em Goiás, desembolsou R$ 1,1 milhão para ficar com os animais.

Quagliato, que na primeira parte do remate adquiriu quase todos os lotes que foram à pista, também foi destaque como maior comprador desta edição do Mega Leilão. “Essa é a segunda vez que compro no Mega Leilão, um balizador de preço no mercado e referência na pecuária nacional”, acredita Quagliato.

Com oferta garantida por quase 50 fazendas de Água Boa e região, o destaque foi a Fazenda dos Mineiros, de José Lúcio Vieira (foto), que está localizada no município de Campinópolis (176 km de Água Boa). O pecuarista, que enviou 4.600 animais para o leilão, entre machos e fêmeas, cria Nelore há 35 anos, entretanto, está liquidando o plantel para investir na agricultura. “Por uma questão de renda, estou arrendando minha propriedade para o cultivo de soja. Escolhi o Mega Leilão por permitir vender muitos animais de uma só vez”, confidencia o proprietário.

Com a pecuária atravessando um momento de baixa, essa tendência de os pecuaristas abrirem as porteiras para a agricultura está cada vez mais latente, e boa parte opta pela integração Lavoura x Pecuária. Um exemplo dessa realidade é o Grupo Safra S/A, proprietária da Agropecuária Couto Magalhães, que abriu o Mega Leilão 10.013 com um lote de 250 animais. A propriedade trabalha com uma pecuária de precisão e agora começa a experimentar a agricultura, colhendo soja na safra e milho na safrinha para somente depois colocar gado. “Nossa pecuária já tem certo reconhecimento, por isso, abrimos o leilão com o melhor lote trazido. A integração vai ajudar muito a pecuária, que enfrenta uma margem negativa”, destaca o titular do grupo, Antonio Carlos.

“Escolhi o Mega Leilão por permitir vender muitos animais de uma só vez”, diz José Lúcio Vieira”, da Fazenda dos Mineiros

PADRONIZAÇÃO

Uniformidade é o que toda a cadeia produtiva da carne busca e talvez este seja o motivo que faça do Mega Leilão um sucesso a cada edição. “Todos os criadores vêm até Água Boa com a certeza de encontrar animais uniformes e parelhos”, afirma o pecuarista Abel Leopoldino, da Fazenda Califórnia.

Comprador e vendedor presente em quase todas as edições, Abel destaca a base sólida encontrada no Mega Leilão. “A qualidade do gado encontrado aqui é de bom para ótimo. Nunca vai ter cabeceira nem fundo nos lotes, isso é uma garantia para quem está comprando.”

Ele explica que a indústria tem pedido lotes parelhos nos frigoríficos, o que facilita a desossa e os ajuda nos custos. É muito provável que eles deem algo em troca para o criador. “Nós temos de melhorar e entender a cadeia como uma união de forças do varejo, da indústria e da produção. O Mega Leilão é um ponto fantástico da produção e temos de aproveitar essa comercialização de qualidade”, finaliza.

“Estou feliz com a venda de 100% dos lotes que nos foram confiados”, diz Maurício Tonhá, presidente da Estância Bahia

O governador do estado do Mato Grosso, Silval Barbosa, também prestigiou o evento e aproveitou para falar sobre a revitalização da BR 158 no trecho entre Ribeirão Cascalheira e Barra do Garças, além do projeto MT Integrado, que planeja levar o asfalto para municípios como São José do Xingu, Santa Terezinha, Cocalinho, Araguaiana e Canabrava do Norte. Também participaram outras autoridades.

O próximo encontro do Mega Leilão da Estância Bahia acontecerá no dia 18 de maio (sábado). A capital mato-grossense, Cuiabá, receberá a última etapa do circuito, reunindo, no mínimo, 10.013 animais e grandes confinadores do estado do Mato Grosso. O remate terá transmissão do Canal Terraviva. Mais informações no site www.estanciabahia.com.br.


Fazenda Bonsucesso abre calendário de leilões

O 1º leilão da Fazenda Bonsucesso, realizado no início de março, comercializou 3.500 doses de sêmen de touros provados da seleção Nelore ZAN. Com faturamento total de R$ 60 mil, destaque para genética dos touros Berloque, Galvin, Musgo, Saveiro e Handicap. O maior comprador foi o criador Wellington Negri, de Presidente Prudente/SP.


Leilão Nelore Embryo alcança R$ 3,2 milhões

O leilão Nelore é o Amor, também chamado Nelore Embryo, foi realizada pelo cantor Zezé Di Camargo e pelo criador Gilmar Garcia, a bordo do MSC Magnífica. Foram comercializados 31 lotes de embriões. O destaque foi para um lote extra de Zezé Di Camargo, a bezerra Capital Fiv, comercializada 50% para Walter Egídio, pela soma de R$ 640 mil.


Liquidez total no Leilão Virtual Nelore CFM

A CFM Agro-Pecuária realizou seu primeiro Leilão virtual de Nelore de 2013 com a venda de touros CEIP e média de R$ 4.028 num total de 81 touros comercializados. Como já é característico, neste leilão houve importante participação de novos compradores oriundos de Mato Grosso, Goiás, São Paulo e Mato Grosso do Sul.


Mega Leilão Criadores de Tabaporã

Com a comercialização de 4.670 animais para cria, recria e engorda, o remate realizado em Tabaporã/MT teve a média geral de R$ 1.034,81. Os machos tiveram preço médio de R$ 1.046,40 e as fêmeas, de R$ 1.011,07.


Leilão Criadores de Primavera do Leste

O remate realizado na cidade matogrossense comercializou 4.122 animais para cria, recria e engorda. Os machos tiveram média de R$ 1.024,00 e as Fêmeas, de R$ 599,00. A média geral foi de R$ 874,00.


3º Leilão Brasileiro de Santa Gertrudis

Durante o remate, realizado em Avaré/SP na 48ª Emapa, foram leiloados 15 fêmeas e cinco touros da raça, com médias de R$ 7 mil e R$ 5 mil, respectivamente. O destaque foi Felicita UB, Grande Campeã da raça na exposição e que foi vendida por R$ 22.400,00. Mais em www.santagertrudis.com.br.


Nova Vida se prepara para oito remates

O próximo encontro será em 20 de junho, às 20 horas, na Feicorte, com a venda de 35 doadoras Senepol. A transmissão será pelo Canal do Boi. No dia 11 de agosto, o Leilão Touros Nelore Nova Vida apresenta 500 zebuínos provados PMGZ. Já no dia 31 de agosto, acontece o Megaleilão Senepol Nova Vida, com a oferta de mais 100 fêmeas Senepol. Mais em www.fazendanovavida.com.br.


Leilões de Nelore agitam Rio de Janeiro

Dois remates realizados em Mangaratiba/RJ, renderam números expressivos. O primeiro, promovido pela Monte Verde, fez média de R$ 35 mil para um faturamento em torno de R$ 1,3 milhão. No dia seguinte, os números continuaram expressivos, com movimentação superior a R$ 1,8 milhão, para uma média de quase R$ 100 mil por animal.


5º Leilão Royal Angus

Promovido por José Paulo Dornelles Cairoli (Fazenda Reconquista), Luiz Anselmo Cassol (Cabanha da Corticeira) e Marco Costa (Fazenda Terra Costa), o remate obteve faturamento total de R$ 376,2 mil, com média de R$ 9.966,00 pelas fêmeas de elite e R$ 5.728,00 pelas fêmeas rústicas. Os touros especiais foram ofertados pela média de R$ 9 mil. Prenhezes alcançaram R$ 12,1 mil e pacotes de sêmen, R$ 10 mil.


Leilão da HoRa repete sucesso na ExpoLondrina

Foram comercializados 720 animais que renderam a soma de R$ 1,1 milhão. A média geral ficou em R$ 1.086,00. Já entre as fêmeas LA prenhes ofertadas, a média de preço foi de R$ 1.896,00, sendo para os touros Nelore PO de R$ 6.015,00. As vacas de atingiram R$ 2.893,00. O lote mais caro da noite foram 30 garrotes meio-sangue Angus, vendidos por R$ 36,9 mil.