Raças

 

CEM ANOS DE BRASIL

De norte a sul, a pecuária brasileira conta há mais de um século com a presença da raça Devon

Matheus Kern

De pelagem pigmentada de vermelho alaranjado inconfundível, sua rusticidade contribui para adaptação aos climas tropicais, como o das regiões Nordeste e Centro-Oeste do Brasil. Essa adaptabilidade é um dos grandes trunfos na criação da raça, que encara desde o frio e a umidade dos Campos de Cima da Serra gaúcha até o calor e o clima tropical da Bahia. Criado de forma pura ou cruzado com outras raças, o Devon apresenta rápido apronte e excelente rendimento de carne. Sua capacidade de conversão alimentar e de produção de carne de qualidade estão entre as melhores do mundo. Além da rusticidade, são marcantes a fertilidade, a habilidade materna, a precocidade e a docilidade no trato.

A chegada dos primeiros exemplares da raça no Brasil ocorreu em 1906. Os animais foram importados da cabanha Lorrine, pertencente ao Dr. G. J. French, do Uruguai. Esses mais de 100 anos foram marcados pelo crescimento e pela evolução constantes da raça entre os diversos estados que se dedicam à criação do Devon, com destaque para a Região Sul do Brasil (Rio Grande do Sul, Paraná e Santa Catarina). Boa parte dessa conquista do território nacional está atrelada ao trabalho desenvolvido pela Associação Brasileira de Criadores de Devon (ABCD) e aos próprios criadores, que reforçam, por meio da qualidade do manejo, as características marcantes do Devon criado no Brasil.

Estudos recentes apontam que o consumo de carne de qualidade, bem como em geral, no mercado interno nos últimos anos, tem crescido de maneira importante. “Paralelamente, o Brasil hoje é reconhecido como o maior exportador de carne do mundo, e os criadores estrangeiros reconhecem o nosso país como referência, em termos de qualidade e quantidade, na produção do rebanho Devon”, afirma Elizabeth Cirne Lima, vice-presidente da ABCD. Essa qualidade se traduz no sabor único, no acabamento de carcaça, na maciez e na marmorização que a carne Devon oferece.

A raça caracteriza-se por apresentar incrementos produtivos tanto no cruzamento com raças zebuínas quanto europeias. Do acasalamento com zebuínos, produziu-se inclusive uma nova raça sintética: o Bravon. De fácil adaptação em qualquer região do Brasil, os reprodutores Devon e Bravon se destacam por rusticidade e eficiência.

A alta capacidade de serviço e o grande poder de conversão de pastos em carne de qualidade são a garantia de adaptabilidade desses reprodutores em qualquer região do País. As vacas são rústicas e dotadas de alta capacidade leiteira. “Isso pode ser observado na prática tanto pela grande capacidade de ganho de peso dos touros, mesmo em condições de pastagens modestas, quanto pelo diferenciado volume e pela qualidade de lactação das vacas, que são consideradas mães por excelência”, diz Gilson Hoffmann, presidente da ABCD.

TRABALHO DE VALORIZAÇÃO

A cada ano que passa é possível observar a evolução do trabalho desenvolvido com a raça Devon no Brasil. Parte desse crescimento é obra da Associação Brasileira de Criadores de Devon, que procura sempre inovar nas ações relacionadas à raça. No ano passado, o País sediou a 9ª edição da World Devon Conference & Devon Tour, evento bianual que reuniu nos estados do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina criadores de diferentes países, como EUA, Austrália, Nova Zelândia, Uruguai e Grã-Bretanha, para promover atualizações e troca de informações sobre seleção genética, criação e manejo do gado Devon. O resultado desse encontro foi a assinatura do Acordo de Cooperação Internacional entre os países participantes, com o objetivo de facilitar e viabilizar a exportação da genética brasileira, de touros e matrizes para os criatórios estrangeiros.

Visitantes do World Conference & Devon Tour, evento realizado a cada dois anos

“Apresentamos durante a conferência a qualidade da criação, do manejo e da genética do Devon brasileiro. Ainda estamos acertando detalhes do acordo internacional, mas percebemos um grande interesse por parte dos estrangeiros na nossa evolução”, diz Elizabeth. Jeremy Engh, médico e criador de Devon nos EUA, foi um dos visitantes que se impressionou com o que viu por aqui: “Existem muitas áreas nas quais podemos fazer intercâmbio de conhecimento. Nosso trabalho com a raça é muito parecido com o brasileiro, mas fiquei impressionado com a genética apresentada pelo Brasil", diz.

Carne de qualidade, um dos principais atributos do Devon

A criatividade do trabalho realizado pela ABCD também pôde ser conferido nas últimas participações da raça na Expointer, maior feira do setor agropecuário da América Latina, realizada na cidade de Esteio, no Rio Grande do Sul. Nas duas últimas edições, a Associação inovou com a criação de duas premiações: o Troféu Chiripá e o Prêmio Jovem Expositor.

Com o objetivo de reconhecer a participação direta das mulheres na criação da raça Devon no Brasil, a ABCD realizou pela primeira vez, em 2012, o Troféu Chiripá, entregue para as expositoras que conquistaram o prêmio máximo dentre os animais de galpão. A ideia é repetir a fórmula em 2013, contando com um número ainda maior de criadoras com animais inscritos na disputa. Além do Troféu Chiripá, a Associação já realiza há dois anos o Prêmio Jovem Expositor, destinado aos novos criadores com idade entre 8 e 18 anos. “Nossa ideia é integrar cada vez mais as famílias em torno da criação do Devon, revitalizando a raça através da participação direta de filhos, netos e sobrinhos nas premiações e julgamentos realizados”, explica Hoffmann.

CARNE DE QUALIDADE

Para Henrique Ribas, médico-veterinário e vice-presidente Comercial da ABCD, não há dúvidas: o Devon é a melhor opção para quem procura carne de qualidade aliada ao máximo rendimento de carne por carcaça. Em diversos eventos da Associação, Ribas tem apresentado a palestra “Devon: passado, presente e futuro”, na qual aborda temas como a origem e as características que qualificam a raça como a mais viável para ser desenvolvida em sistemas pecuários voltados para os mercados mais exigentes. “Procuro sempre destacar as características mais marcantes que fazem do Devon a melhor escolha dentre todas as raças britânicas: rusticidade, fertilidade, precocidade, habilidade materna e qualidade da carne, entre outras”, diz. Cada uma dessas características analisadas tem o suporte de resultados científicos que Ribas buscou no Brasil e no exterior, fundamentados em estudos que comparam as principais raças de origem britânica. “Os números comprovam a superioridade produtiva e econômica do Devon frente às outras raças que participaram desses estudos”, afirma o veterinário.

Os resultados podem ser vistos na prática: nas últimas edições da Expointer, os exemplares cedidos pela ABCD para a Vitrine da Carne Gaúcha, ação promovida pela Federação da Agricultura do Estado do RS (Farsul) durante a feira, tiveram ótimo desempenho. Além disso, a participação do Devon nos concursos de carcaças da Expointer sempre traz ótimos números. O concurso promove uma avaliação complementar as já tradicionalmente realizadas para definir se os melhores exemplares avaliados em pé são os campeões em rendimento de carne após o abate. “Os exemplares da raça Devon sempre se destacam por apresentar alto nível de conversão alimentar, carcaças de melhor acabamento e melhor cobertura de gordura”, diz Ribas.

Gilson Hoffmann destaca o desempenho da raça, mesmo em pastagens modestas

PLANOS

O ano de 2012 ficou marcado pela ampla valorização dos exemplares da raça, tanto pela participação destacada em eventos e feiras quanto nos resultados alcançados em remates por todo o Brasil. No segundo semestre, principalmente, as feiras e os leilões provaram que a procura por animais da raça está cada vez maior. Em Santa Catarina, animais comercializados pelo criador Ivo Bianchini em novembro alcançaram ótimas médias, com R$ 8.100,00 para os touros e R$ 8.700,00 para as fêmeas. “Percebemos que, em todos os remates realizados recentemente, o Devon teve pista limpa e isso demonstra que a qualidade do nosso gado está despertando o interesse de criadores que veem nessa raça uma excelente opção para melhorar seus rebanhos”, afirma Gilson Hoffmann.

Para este ano, a meta é manter os resultados positivos alcançados em 2012, dando maior enfoque para a divulgação da raça e a busca de novos associados. Para isso, já estão programados na agenda da ABCD dois eventos de destaque: a participação inédita na 19ª edição da Feira Internacional da Cadeia Produtiva da Carne (Feicorte), em São Paulo, e a Convenção Anual de criadores, em Gramado, na Serra gaúcha.


ALGUMAS CARACTERÍSITICAS MARCANTES DA RAÇA

O reprodutor Devon transmite:

• Fertilidade? Capacidade leiteira? Habilidade materna? Longevidade? Habilidade na conversão alimentar

• Docilidade? Rusticidade (adaptação a qualquer clima e qualquer altitude)? Conformação de carcaça

O reprodutor gera um bezerro:

• Com maior resistência a doenças ? Com pequeno tamanho ao nascer, não tendo problemas de parto

• Dócil ? Hábil na conversão alimentar (menor quantidade de pasto ou grãos consumidos por quilo de carne produzida)

A novilha de cruza Devon:

• É precoce, produzindo bezerros mais cedo ? É fértil, o que representa mais bezerros ? Produz excelentes vacas reprodutoras