Notícias do Montana

A importância de se comprar touros avaliados

Gabriela Giacomini*

Estamos em plena safra de venda de reprodutores e as opções são inúmeras. Analisando as revistas, os e-mails e os canais de televisão especializados em pecuária, vemos que todos os dias são ofertados uma série de reprodutores e muito tem sido falado.

A grande questão é: como filtrar o que tem sido mostrado e separar o que realmente deve ser introduzido no rebanho para melhorar índices e aumentar a eficiência e a lucratividade da propriedade?

A verdade é que muitos produtores investem muito em marketing e pouco em seleção genética. Isso, infelizmente, resulta em propagandas bem elaboradas que chamam a atenção e em animais que não trarão o resultado esperado depois do trabalho. Aí já é tarde e o prejuízo é certo.

Há várias maneiras de selecionar os touros que realmente devem ser usados e a principal dica é verificar se o animal possui avaliação genética. Palavras como “qualificados” ou “selecionados” são usadas para maquiar a falta de avaliação genética; busque touros onde se lê “geneticamente avaliados”. E a melhor garantia oferecida por quem faz avaliação genética é o CEIP – Certificado Especial de Identificação de Produção –, documento emitido pelo Ministério da Agricultura para programas sérios de avaliação genética e que garante que somente os melhores animais de cada safra sejam comercializados como reprodutores.

Numa pecuária moderna, eficiente e lucrativa é inconcebível a aquisição de animais sem avaliação genética.

Selecionados os touros/raças geneticamente avaliados, deve-se analisar o vendedor. É sério? Qual o volume de touros produzidos por ano? Há quanto tempo está no mercado? Todos esses fatores são importantes para definir o posicionamento do fornecedor no mercado e a qualidade de sua oferta.

O Programa Montana trabalha desde 1993 na seleção de bovinos compostos, geneticamente avaliados e com CEIP. São cerca de 15.000 nascimentos por ano e seus criadores estão distribuídos em várias regiões do país e no norte do Uruguai.

São touros selecionados para trabalho em ambiente tropical, cobrindo vacas a campo em qualquer região, produzindo bezerros pesados, uniformes, com grande potencial de ganho de peso e carne de qualidade comprovada, além de fêmeas férteis e precoces.

O Montana oferece as três principais ferramentas do melhoramento genético de uma só vez: a avaliação genética, calculada pela equipe de geneticistas da USP/Pirassununga; o benefício da interação entre as raças que formam o composto, gerando animais com as características positivas das raças utilizadas; e a heterose, ferramenta indispensável para aumento de produtividade. Importante ressaltar que a heterose oferecida pelo Montana não se perde ao longo das gerações, como acontece com o cruzamento entre raças puras.

Fique atento, analise o mercado cuidadosamente e tome a melhor decisão para o melhoramento do seu rebanho e do seu bolso!

Os touros Montana estão disponíveis nas fazendas de todos os criadores. Para saber mais, acesse www.compostomontana. com.br, ligue para (17) 3231-6455 ou mande um e-mail para [email protected] compostomontana.com.br.

Você também pode nos seguir no Twitter (@programamontana) ou no Facebook (Programa Montana Composto).

*Gabriela Giacomini é zootecnista e gerente de operações do Montana

Vem aí
Remates Santa Jovita:
16/out – Alegrete e Santana do Livramento/RS
19/out – Alegrete/RS
30/out – Estância Santa Jovita, Alegrete/RS.
Venda de touros, novilhos e novilhas.