Pista

 

Encontro das AVALIAÇÕES

Adilson Rodrigues - [email protected]

A quinta edição da Expogenética chegou ao fim em 26 de agosto, após oito dias, no Parque Fernando Costa, em Uberaba/ MG, mostrando que deve ter vida longa no calendário agropecuário. Logo no primeiro dia do evento, foi lançado o primeiro sumário unificado da Raça Nelore, um feito inédito na pecuária nacional. “Há mais de 20 anos se tenta fazer algo do tipo e hoje conseguimos unir os programas da Associação Nacional dos Criadores e Pesquisadores (ANCP), da Associações Brasileira dos Criadores de Zebu (ABCZ) e da Embrapa Pecuária de Corte”, ressalta Luiz Antônio Josahkian, superintente técnico da ABCZ.

O trabalho reúne um gigantesco banco de dados, possui mais de 7 milhões de animais dos sumários do Programa Nelore Brasil (ANCP), Programa de Melhoramentos das Raças Zebuínas (ABCZ) e Embrapa Geneplus. “Estou orgulhoso de participar dessa história. Em 2010, começamos a estudar a unificação das três publicações. E não se trata de qualquer touro, reunimos apenas aqueles com alta acurácia”, complementa o superintendente técnico.

Galvin, o touro mais comentado da Expogenética

“Conseguimos reduzir a base de dados da ABCZ para 5,6 milhões de touros e o da ANCP para 1,7 milhão de reprodutores. Foi um trabalho que exigiu envolvimento de toda a equipe e sintonia entre os colaboradores das três entidades”, afirma Raysildo Barbosa Lobo, presidente da ANCP. Segundo Raysildo, a maior vantagem será para o criador que utiliza a avaliação genética como ferramenta de seleção. “O sumário unificado reduz as margens de dúvidas e facilita a interpretação e a comparação entre os dados dos animais para aplicação mais adequada em cada rebanho”, explica.

Mas não só isso foi interessante. A grade de apresentações priorizou temas em evidência na pecuária atual. Destaque para eficiência alimentar residual (CAR), seleção genômica e avaliação de carcaça. “A intenção foi criar uma temática de tecnologias emergentes. A eficiência alimentar precisa de protocolos, com a genômica os pecuaristas ainda não sabem lidar. A ultrassonografia, apesar de incorporada à pecuária, necessita de padrões e de ampliação”, explica Josahkian, ressaltando que a Expogenética se consolidou e que a partir do ano que vem a estrutura vai ser repensada para acolher um maior número de programas e produtores.

Teve gente que veio de muito longe para acompanhar a mostra de genética avaliada. Caso do pecuarista Márcio Maluf, proprietário da Fazenda Rio Novo, localizada em Porto Velho/RO. “Esta foi minha primeira participação. Gostei muito do formato, com cada pavilhão mostrando seu trabalho de melhoramento genético e apresentando as informações que você quisesse fazer”, relata o criador. Mostra que a exposição tem ainda muito a crescer. Nos pavilhões, a maior sensação foi o touro Galvin, pertencente à Fazenda Bonsucesso, de Michel e Patrícia Zancaner Caro. Galvin possui quatro anos e é top 0,1% em habilidade materna e outros bons índices em outras qualidades.