Raças - Braford e Hereford

 

DOS PAMPAS para o mundo

Parcerias com institutos de pesquisa, empresas do setor e programas estratégicos impulsionam crescimento no mercado nacional e internacional

Fátima Costa

Na sede da Associação Brasileira de Hereford e Braford (ABHB), em Bagé/RS, nas últimas semanas de agosto, os telefones não pararam no gancho. O correio eletrônico também andava lotando a caixa postal da entidade. Tanta movimentação tinha uma justificava. Desde a Feira Internacional da Cadeia Produtiva de Carne (Feicorte), evento ocorrido em junho, em São Paulo, a entidade vem fazendo um incansável trabalho para cumprir uma longa agenda de eventos, que ocorrerão até o final do ano. Entre eles, estão o Projeto Brazilian Hereford & Braford (BHB), parceria da associação e da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), e mais recentemente o lançamento oficial da marca de carne Seara Hereford.

Após dois anos com a parceria ABHB e grupo Marfrig, por meio do “Programa Carne Certificada Pampa”, a empresa passará a comercializar cortes oriundos de animais jovens da raça Hereford. Com a nova marca, de acordo com a associação, o objetivo será focar nos mercados mais exigentes, concorrer com as melhores carnes do mundo, difundir a raça além das fronteiras gaúchas e, sobretudo, valorizar os animais certificados. “Fomos procurados pelo Marfrig para iniciar essa parceria, que contribuirá para aumentar a oferta e a procura por carne de qualidade. Há ainda a expectativa de um incremento de, no mínimo, 50% no número de animais certificados em 2012”, diz o presidente da ABHB, Fernando Lopa, que lançou a marca mês passado, no Rio Grande do Sul.

Além da Seara Hereford (grupo Marfrig), as grifes certificadas pela associação são: Seleção de Novilho Braford (Carrefour), Best Beef Hereford (Frigorífico Silva) e Zaffari Hereford (Rede Zaffari). O presidente da entidade, que foi reeleito neste ano, afirma que a ABHB foi uma das pioneiras em muitas ações que ocorrem atualmente, no mercado pecuário, quando o assunto são as parcerias e programas para fomentar raças no País e no exterior.

Em 2001, a associação criou o “Programa Carne Certificada Pampa”, no Rio Grande do Sul. Atualmente, ele mantém 3 mil fornecedores de gado para as plantas dos frigoríficos Silva (localizado em Santa Maria) e Marfrig (Alegrete, Bagé, São Gabriel e Capão do Leão). Dados da associação apontam que no ano passado foram abatidos 146 mil animais. “A expectativa é que em 2012 este número feche em 200 mil. Foram 486 toneladas de carne certificada e embalada”, diz Guilherme Dias, gerente do programa.

Na opinião de Fernando Lopa, a certificação amplia novos mercados, estreita a relação de parceria entre criadores, frigoríficos e redes de varejo e, por último, todos os produtores têm a vantagem de obter bonificações sobre os animais que se enquadram nos padrões exigidos. “Para recebê-las, os animais precisam ter no máximo quatro dentes definitivos e no mínimo 3mm de gordura subcutânea. O adicional ao produtor varia de 3% a 10% sobre o valor do quilo da carcaça. São aceitos machos castrados e fêmeas Hereford e Braford e suas cruzas, desde que não ultrapassem 50% de sangue zebuíno”, explica Lopa.

Associação monitora o desempenho dos animais a campo

Graças às parcerias com as indústrias e também as alianças estratégicas, o Programa Carne Certificada Pampa se fortalece e toma forma por meio das ações criadas pela própria entidade. Uma das mais importantes foi o Projeto BHB, realizado entre a associação e a Apex- Brasil, desde 2009. Juntas, elas promovem o BHB International Road Show. O evento conta com a participação de 35 empresas do segmento pecuário, dentre elas, 23 são de produtos genéticos, o restante de insumos agropecuários. “O International Road Show funciona como um canal para promover as raças mundo afora. Participam do evento jornalistas estrangeiros que vêm de países como Colômbia, Uruguai, Paraguai, Venezuela, Bolívia, Uruguai, México e Angola. No ano passado, começamos a negociação com o primeiro país africano”, explica Luciana Bueno, gerente de Promoção Comercial Internacional.

Segundo ela, durante as visitas às fazendas brasileiras é notória a impressão positiva dos profissionais. “A iniciativa é uma forma que encontramos para que eles possam reforçar em seus países as características dos animais das raças Hereford e Braford”, diz. Recentemente, a parceria trouxe a imprensa colombiana e uruguaia para acompanhar as atividades do BHB no Centro-Oeste brasileiro. “O resultado foi fantástico, já que viram o gado Braford muito bem adaptado à rusticidade de campo e à temperatura do estado mato-grossense”, afirma.

Luciana Bueno destaca negociação com o primeiro país africano

Na Exposição Internacional de Animais, Máquinas, Implementos e Produtos Agropecuários (Expointer), realizada no Rio Grande do Sul, no ano passado, os jornalistas convidados também foram levados às empresas participantes. Com o intuito de disseminar a raça pelo mundo, o International Road Show ganhou força e pode-se dizer que caiu nas graças dos gringos. Em 2011, as exportações do Projeto Brazilian Hereford e Braford somaram US$ 118,04 milhões, ultrapassando a expectativa da entidade de US$ 100 milhões. “Superamos a venda de material genético e já esperamos alcançar, em 2012, US$ 150 milhões”, afirma Luciana.

No ano passado, dentre os produtos que puxaram a lista das exportações, os embarques de animais vivos lideram a lista junto à exportação de sêmen. Esta última teve um acréscimo de 30,24% sobre o volume embarcado em 2010. Segundo dados da entidade, hoje a Colômbia e o Paraguai lideram as compras de sêmen, com negócios na ordem de US$ 91,29 mil e US$ 103,8 mil, respectivamente. “Temos a possibilidade de apresentar o Projeto para diversos públicos, pecuaristas e empresários, que poderão ampliar uso das genéticas Hereford e Braford e dos produtos e serviços agropecuários que oferecemos”, diz.

Hereford, qualidade de carne aliada à mansidão

Em junho deste ano, um novo convênio do Projeto Setorial Brazilian Hereford e Braford, para o período de 2012 a 2014, foi assinado. Por meio dele, serão investidos R$ 2 milhões para a promoção, no mercado internacional, da genética brasileira das raças Hereford e Braford e de produtos agropecuários brasileiros. O foco do novo convênio entre Apex-Brasil e a associação será o posicionamento e fortalecimento da imagem setorial buscando o aumento das exportações e a adesão de novas empresas.

Além do projeto International Road Show, outro promovido em parceria é o BHB International Business Travel. O evento, que nada mais é do que levar a genética das raças brasileiras para fora, ou seja, empresários e investidores estrangeiros participam das mais importantes mostras agropecuárias brasileiras, a exemplo do que ocorreu na Feicorte. A iniciativa conta com apoio de empresas.

Outra ação é a participação da entidade em Congressos Mundiais, como os das raças Braford, no Paraguai, e Hereford, no Canadá; o Workshop BHB, na Colômbia; recentemente a participação na Feira Internacional de Santa Cruz (Expocruz), em Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia; missões comerciais à Expoprado (Uruguai) e à Expofeira dos Ganadeiros del Litoral, no Equador. “Em 2013, a intenção é ampliar novos mercados”, afirma. “Temos 26 ações propostas entre participação em feiras, missões internacionais e rodada de negócios, contra 16 efetivadas em 2011”, diz.

Além dos campos lá fora, a ABHB tem como projeto a disseminação dessa genética aos pequenos produtores brasileiros, aqueles associados à agricultura familiar. “A proposta é levar genética de ponta aos pecuaristas que possuem em média 15 vacas e mostrar o potencial do Braford e Hereford”. Só hoje são 245 sócios de produção de genética, 2 mil criadores de gado comercial, 2 milhões de matrizes da raça Braford e Hereford. “Somam um total de 45 mil animais e, em 2013, o objetivo é atingir 60 mil”, diz Lopa.

TRABALHO CONJUNTO

“O objetivo de qualquer associação de raça é obter maior quantidade de criadores e divulgação positiva dos trabalhos. Entretanto, é preciso destacar o desempenho que a raça oferece. No caso do Hereford e Braford, é a maior eficiência alimentar, maciez e docilidade, em relação a qualquer outra, o que proporciona facilidade no manejo e lucratividade”, defende o presidente da ABHB.

Para comprovar essas vantagens, a associação passou a contar com a parceria da Embrapa Gado de Corte, de Campo Grande/MS e Pecuária Sul, de Bagé/ RS. “A entidade mantém parcerias para oferecer aos seus associados o Programa de Avaliação Genética da ABHB para as raças, conhecido como PampaPlus. A parceria certifica e comprova outros trabalhos já existentes pela entidade”, informa o veterinário Gabriel Isaacsson, superintendente da entidade.

De acordo com a associação, o PampaPlus constitui-se como um programa de melhoramento genético animal, composto por um software que facilita o gerenciamento de informações provenientes do campo, permitindo ao produtor realizar diversos tipos de simulações, sob variados índices de desempenho, de forma a direcionar acasalamentos, gerando relatórios no computador que facilitam a condução do manejo a campo.

“Ele possibilita a formação de banco de dados adequado às análises genéticas, no qual o produtor pode manuseá- lo e comparar animais com a média geral da raça e sob os mais variados índices desejados por ele, fornecendo, então, os instrumentos necessários ao melhoramento genético”, esclarece a presidente do Conselho Técnico da ABHB, Thaís Pires Lopa.

Fernando Lopa continua valorizando a genética nacional

De acordo com a entidade, o programa de avaliação genética com suporte da equipe Geneplus da Embrapa - executado no centro Gado de Corte - é coordenado pelo pesquisador Fernando Flores Cardoso, do Centro Pecuária Sul. O suporte do Geneplus veio por um convênio firmado com a Embrapa Gado de Corte e a Fundação de Apoio à Pesquisa Agropecuária e Ambiental (Fundapam). “Há alguns anos, temos a parceria com a associação para o desenvolvimento de programas de pesquisa e tecnologia. Entre eles destacamos, o ‘BifeQuali’, no qual avaliamos todo o desempenho do animal, qualidade de carcaça, habilidade materna, entre outros aspectos”, enumera Cardoso.

O pesquisador ressalta que os primeiros resultados foram apresentados em um encontro que disponibilizou estudos sobre estratégias genéticas para a produção de carne de qualidade aplicados nas quatro regiões brasileiras. Apesar da pesquisa ainda ser recente, já estão sendo analisados os resultados com as primeiras crias das vacas cedidas por meio do convênio. “A ideia é buscar, por meio do melhoramento genético, animais adaptáveis a esta região e que atendam, ainda, não só uma demanda do mercado, mas o consumidor final”, diz. “É fundamental termos animais adaptados ao nosso ecossistema, e não alterá-lo para que sirva às condições do animal não adaptado. Dentre as pesquisas uma das conclusões é que o Hereford é uma raça que mostra grande eficiência alimentar. Queremos também identificar os genótipos mais adaptados para a Região Sul do País e aumentar a resistência a carrapatos”, afirma.

Nos programas de qualidade, adicional ao produtor varia de 3% a 10% sobre o valor do quilo de carcaça

Para Thaís Lopa, o Programa de Melhoramento Genético não acontece plenamente se apenas descartar os piores animais do plantel e selecionar os melhores, apresentando-os depois em sumários, “as DEPs não são o resultado final e sim o instrumento inicial do processo de seleção e melhoramento genético”, acredita. “A associação faz o produtor de genética tomar mais consciência da importância desse instrumento, mostrando que apenas ocorrerá o melhoramento genético de um rebanho, quando aquele que decide os acasalamentos tem objetivos claros e bem determinados”, diz.

Os trabalhos são conduzidos por meio de parceria com a Embrapa Pecuária Sul, fazendo com que a ABHB tenha maior facilidade de acesso às discussões sobre as modificações que se fizerem necessárias para a condução do projeto.

BHB divluga genética brasileira no mundo

O veterinário e superintendente da ABHB destaca que as raças têm apresentado um incremento nas vendas de sêmen e reprodutores, condição atribuída à adoção do maior volume de cruzamentos, especialmente, com o Braford nacional. “Esse tem sido usado na vacada zebuína ou nas fêmeas F1 Nelore/Taurino”, diz. “O berço da raça é o Sul do País, no entanto, ela vem crescendo, há três anos, no Centro-Oeste”, destaca.

“O foco é o uso da genética nacional, adaptada ao nosso ambiente”, explica. Uma prova da expansão dessa adaptação aconteceu no mês de agosto, durante o Workshop Braford Brasil, na cidade de Rondonópolis (MT), promovido pelo Projeto Brazilian Hereford & Braford. O evento reuniu um público de 80 pessoas, mostrando o grande interesse da Região Centro-Oeste do Brasil na utilização das raças Hereford e Braford e seus cruzamentos.

As atividades do workshop ocorreram na Fazenda Três Marias, em Santo Antônio de Leverger (MT), pertencente a Pedro Monteiro Lopes, vice-presidente da ABHB. Segundo explicou o gerente do Programa, Guilherme Dias, a certificação contempla animais com o mínimo de 50% de sangue Hereford, “por isso é muito importante o produtor atentar para seu programa de cruzamento e buscar utilizar genética Hereford sobre as vacas brancas. O Braford entra sobre animais já britanizados (fêmea meio-sangue zebu/taurino) e, desta forma, poderemos aproveitar estes animais para o Programa”, disse Dias. “A utilização do Braford encaixa como uma luva nos programas de cruzamento já existentes, tanto na inseminação quanto no repasse com touros e possibilita, ainda, a formação do Braford 3/8, por meio da absorção, obtendo um rebanho homogêneo, fértil e muito fácil de manejar.”

Segundo a associação, durante o workshop, que aconteceu em agosto, os participantes viram lotes de animais. No primeiro, foram apresentadas 155 fêmeas Braford 3/8, com 2,5 anos e prenhas (índice de 84% de prenhez), levadas do Rio Grande do Sul e recriadas no Mato Grosso. Dando prosseguimento, no segundo lote, foram mostradas 91 vacas Braford de 3,5 anos, desmamadas e também prenhes. Chegando ao terceiro grupo, foram mostrados 48 bezerros e 65 bezerras Braford 3/8 desmamados. No último, foram apresentados touros, sendo alguns ofertados durante o Leilão Braford do Grupo Pitangueira. Para o presidente da entidade, o evento pode ser considerado um impulso para a ampliação do uso das raças Hereford e Braford nas demais regiões do País.

CARACTERÍSTICAS MARCANTES

Em outra propriedade, que também produz touros com o objetivo de comercialização no Brasil Central, a Fazenda Pitangueira, o Hereford é usado como raça-mãe. A raça de origem inglesa, criada no Canadá, Austrália, Nova Zelândia, África do Sul, Estados Unidos, Argentina e Uruguai, conquistou o Brasil por meio dos cruzamentos entre raças britânicas, pela carne saborosa e, por último, porque também se adaptou ao nosso clima. “Até porque no verão, a temperatura nos Pampas fica em torno de 25ºC”, explica Thais Lopa.

No Brasil, o Hereford é cruzado com o Nelore, assim, chega-se ao Braford. “Uma das vantagens do Braford é a precocidade sexual. Aos 12 meses, é possível identificar cio nas novilhas, e, aos dois anos, elas já estão prontas para reprodução e começam a ser inseminadas. Em um lote de vacas recémparidas, os bezerros com seus dois ou três dias já começam a ser selecionados”, diz. “A associação tem realizado um controle maior dos animais que são comercializados, há uma preocupação muito grande em relação aos reprodutores que serão destinados ao trabalho a campo”, conclui.

Para Lopa, a principal ação é mostrar as características e a qualidade das raças no País, garantir o mercado internacional e, acima de tudo, promover uma agenda cheia de eventos e prospectar novos horizontes.


O QUE VEM POR AÍ NAS DUAS RAÇAS

Expoprado – Uruguai

Na 107ª Exposição Internacional de Gado e Amostra Internacional Agroindustrial e Comercial, que ocorre entres os dias 5 e 16/09, em Montevidéu (Uruguai), haverá a participação por meio de missão comercial do BHB, com presença institucional, ações de mídia e de networking, contando com a presença dos empresários.

BHB International Road Show

O evento que acontecerá, entre os dias 13 a 15/09, em São Gabriel e Rosário do Sul, municípios da Fronteira Oeste do RS, reforçará a imagem de excelência das raças HB e dos produtos e serviços agropecuários por meio de visitas técnicas com jornalistas de países alvo do BHB. Oportunidade de verificar a genética brasileira, in loco, especialmente, com possibilidade imediata e futura de negócios.

Expocruz – Bolívia

A 37ª Feira Internacional de Santa Cruz (Expocruz), ocorrerá entre os dias 21 a 30/09, em Santa Cruz de La Sierra, contará com a participação da entidade por meio de estande, com presença institucional, ações de mídia e de networking, contando com a presença dos empresários do Projeto.

67ª La Feria Ganadera del Litoral

Equador - A participação de representante do Projeto para realizar mapeamento de geomarketing e do setor agropecuário, especialmente quanto a empresas de material genético, entidades representativas e de pecuaristas. Ocorre nos dias 9 a 12/10, em Guaiaquil (250 Km da capital Quito).

BHB International Business Travel

Rio Grande do Sul (Projeto Comprador 2/2012) Entre os dias 5 e 08/12, acontece a Rodada Internacional de Negócios, em Porto Alegre/RS.

Results of Genetic HB 2012

O evento será realizado em conjunto com o tradicional jantar de Entrega de Prêmios do Ranking Nacional de Criadores Hereford e Braford, promovido pela ABHB. O evento marcado para o dia 7 de dezembro, em Porto Alegre, ainda apresentará os resultados do Projeto BHB/ano 2012 em uma confraternização acompanhada por Imprensa nacional e internacional, autoridades e criadores. Participação reforçada por um Projeto Comprador que contará com investidores internacionais.