Falou

 

Pitangueira deixa ranking BRAFORD

Após dez anos consecutivos no topo da raça, o proprietário Pedro Monteiro Lopes expõe os planos fora das pistas

“Com o nosso afastamento, mais criadores participarão do ranking ABHB”

Revista AG - Por qual motivo está deixando o Ranking Nacional de criadores das raças Hereford e Braford?

Pedro Monteiro Lopes - Ser melhor naquilo que nos propusemos a fazer era o nosso principal propósito e, ao longo desses anos, atingimos o objetivo. Agora, entendemos que devemos dar oportunidades aos outros, principalmente aos criadores que estão ingressando na raça. Com o nosso afastamento, mais criadores participarão.

Revista AG - Qual será o novo foco de trabalho agora?

Pedro Monteiro Lopes - As atenções estarão voltadas para as medições e avaliações de touros a campo. Queremos aprimorar todas as nossas ferramentas, para melhor avaliar e aumentar os índices produtivos dos reprodutores Pitangueira. Estamos investindo no Braford no Centro Oeste, onde há 10 anos fizemos os testes e, hoje, temos a garantia de que a raça também tem grande capacidade de produção de carne fora do Sul.

Revista AG - A que se atribui essa crescente demanda pela raça Braford fora do RS?

Pedro Monteiro Lopes - O reconhecimento das virtudes da raça, permitindo produzir o biótipo ideal para cada região, preservando e potencializando as virtudes de qualidade de carne e alta produtividade. Outra vantagem é a boa adaptação aos diferentes climas. Por trazer em sua genética a rusticidade do Nelore conciliado à docilidade do Hereford, o Braford tem plena capacidade de se adaptar às diversas regiões.

Revista AG - Seus animais premiados em pista não são oriundos apenas de doadoras, mas também do plantel “normal” de matrizes. Como explica o sucesso alcançado?

Pedro Monteiro Lopes - Sempre buscamos um nível de qualidade em todo o plantel, não só dos animais que vão às exposições. Na reprodução, utilizamos basicamente vacas primíparas, inseminação Artificial em Tempo Fixo (IATF) e repasse com touros.

Revista AG - Quais fatores fizeram com que esse sistema reprodutivo refletisse em tantos prêmios de pista?

Pedro Monteiro Lopes - Entre os principais fatores, destaco os critérios técnicos de acasalamento. É necessário ter uma forte pressão de seleção, sendo imperdoáveis na eliminação de animais medianos. Essa sempre foi nossa política de trabalho, o que refletiu em todas as nossas premiações dentro e fora das pistas.

Revista AG - Como está atualmente o mercado de touros e quais as expectativas para a Pitangueira?

Pedro Monteiro Lopes - O mercado tem se mostrado bastante aquecido, com números expressivos nos leilões de reprodutores. Esperamos que se mantenha assim e que tenhamos um ano de pistas limpas.

Revista AG - Como foi o leilão Liquidação do plantel de elite realizado em Alegrete/RS?

Pedro Monteiro Lopes - Tivemos um leilão espetacular. O grande destaque foi a venda do touro Bitrem Pitangueira (I 214), valorizado em R$ 216 mil, o maior preço já pago pela Braford no Brasil. Comercializamos 64 lotes de animais de elite a um faturamento superior a R$ 1 milhão.

Revista AG - Qual é o segredo para estar no topo do Ranking por tantos anos e colecionar 10 troféus do prêmio The Best, da Revista AG?

Pedro Monteiro Lopes - Na intenção de promover a raça, participamos de vários eventos com o que tínhamos de melhor no plantel e uma pressão de seleção muito forte. Durante 10 anos consecutivos, recebemos o The Best e credito aos meus colegas de trabalho, funcionários, jurados e clientes. Ao mesmo tempo em que nos envaidece, também faz com que sejamos cada vez mais humildes.