Pista

Uma onda VERMELHA

Gir Leiteiro supera mais uma vez o Nelore, e Sindi consegue feito histórico na pista da ExpoZebu

Adilson Rodrigues [email protected]

Quem chegou à 78ª ExpoZebu, realizada de 28 de abril a 10 de maio, em Uberaba/MG, se surpreendeu com a paisagem na reformada pista de julgamento do Parque Fernando Costa. O sempre dominante branco do Nelore, que levou a julgamento 707 exemplares, cedeu lugar para o vermelho do Gir Leiteiro, que esteve com 718 cabeças sob a batuta dos juízes e outras 72 no torneio leiteiro. Vermelho também reforçado por 120 animais Sindi, que dividiram o espaço com as duas raças.

O gado de origem paquistanesa também foi o responsável por um feito inédito na ExpoZebu. Pela primeira vez, um pai - no caso, o touro Querente da Estiva - chegou à disputa de um Grande Campeonato com um filho. “Um pai disputar com o filho já foi incrível. Agora o fato do pai ser o Grande Campeão e seu filho, o Reservado entra para história da ExpoZebu e da raça Sindi. Além do mais, Buldogue AJCF [o filho] é um bezerro maravilhoso e deve dar muito trabalho nas pistas da raça no ano que vem”, relatou com muita satisfação Adaldio José de Castilho Filho, proprietário dos dois animais.

Mal sabia Adaldio o que estaria por vir logo em seguida, pois durante a entrevista à Revista AG o locutor anunciava que o outro filho de Querente, Belo AJCF, acabara de ser nomeado o Terceiro Melhor no grande campeonato. Após segundos de silêncio, um grito de “nossa senhora” foi ressoado pelo criador, encerrando a conversa de forma prazerosa. Antes com uma participação muito tímida na mostra, o Sindi realizou a segunda edição do seu leilão nacional, que teve média de R$ 20 mil, e expôs 120 exemplares para julgamento.

No mais, destaque à conduta política da Associação Brasileira dos Criadores de Zebu (ABCZ), que recebeu o deputado federal Paulo Piau, relator do Código Florestal Brasileiro, e a participação mais ativa da entidade nos interesses do homem do campo, ao sediar reunião da CNA para esboço das propostas do setor a serem apresentadas na conferência Rio+20. Na pauta, meio ambiente, inovação e tecnologia, educação, segurança alimentar e nutricional e erradicação da pobreza. “A pecuária brasileira é moderna, competitiva e sustentável, conquistas obtidas graças ao investimento contínuo em melhoramento animal, nutrição e manejo”, destaca o presidente da ABCZ, Eduardo Biagi.

Especificamente sobre o tópico meio ambiente, os pecuaristas reivindicam remuneração pelos serviços prestados em termos de preservação da biodiversidade. Até por essa condição é que os participantes sugeriram, também, a criação de um ranking global de países em relação à preservação do meio ambiente, para que a sociedade saiba como cada nação está lidando com o assunto. Um desafio, posto que os países mais poluidores recusam-se a aderir ao Protocolo de Kyoto.

Adaldio Filho feliz com a conquista dos seus animais

FATURAMENTO

Com quatro leilões a menos que o número registrado no ano passado, a ExpoZebu 2012 computou R$ 48.880.720,00, com a venda de 1.221 lotes. A média geral ficou em R$ 40.033,00, valor que supera os R$ 35.635,00 registrados no ano passado, segundo os promotores. Associado aos R$ 70 milhões negociados pelas 100 empresas presentes ao Parque Fernando Costa e a quatro shoppings realizados, os 13 dias da ExpoZebu renderam um faturamento total de R$ 120 milhões, superando em 20% a edição de 2011.

O animal mais valorizado da ExpoZebu foi a fêmea Nelore Rani FIV da Java, cuja metade de sua posse foi vendida no 28º Leilão Noite dos Campeões pelo valor de R$ 1.220.000,00. O segundo animal mais caro foi o clone Essência TE Guadalupe TN2, com 50% de sua propriedade vendida por R$ 740.000,00 no leilão Elo de Raça.

Várias raças tiveram pregões na ExpoZebu. Os valores comercializados por raça e o total de leilões promovidos por cada uma foram: Brahman (R$ 2.070.000,00 – três leilões), Gir (R$ 14.834.780,00 – 16 leilões), Guzerá (R$ 1.628.240,00 – dois leilões), Tabapuã (R$ 1.306.800,00 – três leilões), Nelore (R$ 26.842.680,00 – 13 leilões) e Sindi (R$ 656.400,00 – um leilão), além de jumentos e muares (R$ 1.541.820,00 - dois leilões).

PISTA

O julgamento da raça Nelore apresentou uma mudança positiva, com um animal com biótipo mais voltado ao pasto, discussão tratada na Revista AG de abril. Guzerá, Sindi, Gir apresentaramse mais equilibrados entre pista e pasto e o Brahman está próximo do desejável. O problema mais evidente ainda está na raça Nelore, destacaram alguns jurados efetivos da ABCZ presentes à mostra.

ESTRANGEIROS

Visitaram a feira 380 pessoas vindas de África do Sul, Alemanha, Angola, Argentina, Austrália, Bolívia, Canadá, Colômbia, Congo, Costa Rica, Equador, Eslovênia, Estados Unidos, França, Guatemala, Haiti, Índia, Itália, México, Namíbia, Nicarágua, Panamá, Paraguai, Peru, Portugal, República Dominicana, Sudão e Venezuela.

GENOMA

Também foram lançados na Expo- Zebu os sequenciamentos do genoma do Guzerá Leiteiro e do Gir Leiteiro. A Apex-Brasil (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos) anunciou aporte de R$ 4,3 milhões para divulgação do potencial genético do Brasil nos países de clima tropical.

FIM DO PROCAN

O programa foi substituído pelo PRODUZ, mais funcional. “Um novo software para controle de produção e escrituração zootécnica é um anseio antigo da ABCZ. O objetivo foi desenvolver um programa mais “amigável ao usuário”. Em breve, serão lançados módulos para compatibilidade com tablets, PADs, smartphones”, explica o diretor de Tecnologia da Informação da ABCZ, Rafael Mendes. São novidades controle de consanguinidade, acesso a avaliações genéticas, paridade com identificação eletrônica e tutorial para iniciantes.