Escolha do Leitor

 

MANUTENÇÃO, o que é preciso saber

José Henrique Karsburg e José Ernesto de Medeiros Jr.*

A manutenção dos equipamentos é um fator fundamental para aumento da produtividade e qualidade dos produtos.

O setor de manutenção tem de reagir rápido às mudanças e evoluções nas formas de intervenção, incluindo uma postura consciente do quanto a falha de cada equipamento afeta segurança, meio ambiente, qualidade do produto, confiabilidade dos equipamentos e confiabilidade das instalações, ao mesmo tempo que precisa reduzir custos.

Os serviços de manutenção começam muito antes do dia da primeira intervenção em uma maquina. Ela deve começar desde a concepção.

É na concepção que as formas de manutenção, confiabilidade, disponibilidade e durabilidade serão pré-determinadas.

O conhecimento do equipamento, das fraquezas, degradações e desvios, acumulado no dia após dia, permite correções, melhoramentos e otimizações no plano econômico.

A maneira pela qual é realizada a intervenção, normalmente caracteriza os vários tipos de manutenção existentes. Os principais são:

Manutenção Corretiva - É o mais básico tipo de intervenção. Caracteriza- se por corrigir o problema após o surgimento. Pode ser dividida em duas fases:

a) - Manutenção Corretiva não Planejada – correção da falha de maneira aleatória, ou seja, é a correção da falha ou do desempenho menor que o esperado após a ocorrência do problema. Esse tipo de manutenção implica altos custos, pois, causa perdas de produção e, em consequência, os danos aos equipamentos são maiores;

b) – Manutenção Corretiva Planejada – é a correção que se faz em função de um acompanhamento preditivo, detectivo ou até mesmo pela decisão gerencial de se operar até ocorrer à falha. Tudo o que é planejado tende a ficar mais barato, seguro, rápido e eficiente.

Manutenção Preventiva – Caracteriza- se por ser realizada para reduzir a possibilidade de falhas e queda no desempenho dos equipamentos, com intervenções que obedecem a determinado período de tempo. Este tempo varia de acordo com cada subsistema do equipamento, por exemplo, o óleo lubrificante de um compartimento deve ser trocado a cada 500 horas de trabalho e a lubrificação deve ser realizada a cada 30 horas. Um dos segredos de uma boa preventiva está na determinação dos intervalos de tempo. Há índices que relacionam os custos deste tipo de manutenção, sendo em média 30% mais econômicos que na manutenção corretiva.

A manutenção preventiva visa manter a máquina sempre em condições ideais de utilização e conservação, a fim de que a mesma execute adequadamente as tarefas.

MANUTENÇÃO PREDITIVA

É um conjunto de atividades de acompanhamento das variáveis ou parâmetros que indicam a performance ou desempenho dos equipamentos, de modo sistemático, com o objetivo de definir a necessidade ou não de intervenção.

A manutenção preditiva utiliza algumas ferramentas de detecção de problemas nos equipamentos. Problemas como desgastes e contaminações, podem ser detectados por meio de análises físico-químicas dos lubrificantes em uso no equipamento, análise essa que leva o nome de Ferrografia.

Exemplos de Manutenção Preventiva: Substituição de correntes, substituição de embreagens e limpeza do equipamento após uso

Atritos excessivos, falhas de isolamento e mau contato podem ser detectados pela Termografia, que analisa o espectro de temperatura das partes do equipamento. Alterações de densidade e de espessura podem ser detectadas por ultrassonografia. Outras técnicas como a fluorescência para detecção de trincas, a análise de vibração e o alinhamento a laser completam o arsenal preditivo.

Manutenção preditiva atua com base em modificações de parâmetros de condição ou desempenho, cujo acompanhamento obedece a uma sistemática.

A Manutenção Corretiva Emergencial representa a parte mais significativa do percentual das atividades de manutenção de implementos agrícolas no Brasil.

Inversamente à política da manutenção corretiva, a manutenção preventiva procura obstinadamente evitar a ocorrência de falhas, ou seja, procura prevenir.

Engenharia de Manutenção - A técnica busca deixar de ficar consertando continuamente, para procurar as causas básicas, modificar situações permanentes de mau desempenho, deixar de conviver com problemas crônicos, melhorar padrões, objetivando a maior resistência a falhas.

O produtor que só faz a manutenção corretiva continua “apagando incêndio”, alcançando péssimos resultados. Quem utilizar a manutenção corretiva, mas incorporando a preventiva e a preditiva, rapidamente estará executando a Engenharia de Manutenção.

Troca de filtros e Verificar nível de Óleo

O gráfico demonstra os ganhos obtidos com a aplicação de uma ferramenta de manutenção baseada no planejamento de ações do programa PREVENIR.

A ferramenta para prevenir quebras combina algumas características Preventivas e Preditivas e ainda visa ao aperfeiçoamento dos operadores, pois estes devem estar comprometidos com o projeto. Serão eles os responsáveis pela precisão no carregamento dos ingredientes, pelo tempo ideal de mistura, pela precisão na descarga de ração no cocho e pela correta manutenção dos equipamentos.

O indicado é ter um funcionário responsável pela alimentação do gado e pelo misturador, de preferência que seja uma pessoa que receba bem as informações e as execute de forma correta e, acima de tudo, esteja satisfeito com o serviço. Deparamo- nos, muitas vezes, com situações onde o responsável pelo trato é, em geral, uma pessoa que não deu muito certo em nenhum outro setor da fazenda. Esse sujeito é desmotivado, sem comprometimento com a função. A responsabilidade desse funcionário é muito grande. Sabemos que o investimento em alimentação, equipamentos, estrutura física e em animais é relativamente alto em um confinamento, no entanto, se não houver alguém que faça o serviço de trato com a qualidade necessária o risco de não se obter sucesso na atividade é alto.

É necessário a reciclagem dos operadores, constantes atualizações e correção de qualquer equívoco no modo de operação dos misturadores, além da execução de uma avaliação periódica de elementos-chave da estrutura dos equipamentos. Com este monitoramento, podemos programar o momento mais adequado e oportuno para realizar uma intervenção e corrigir qualquer possível problema que venha surgir.

O programa de prevenção de quebras proporciona um grande aumento no índice de disponibilidade dos equipamentos. Pode-se chegar até 95% de redução nas falhas inesperadas no misturador.

*Casale Equipamentos – Programa Prevenir