Leite

 

FAMÍLIA investe mais na saúde

Novo nicho de mercado: lácteos com propriedades funcionais ou enriquecidos caem no gosto do consumidor

Jéssyca Guerra e Rafael Ribeiro de Lima Filho*

O que são alimentos funcionais e o que são alimentos enriquecidos? Segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), o alimento ou ingrediente funcional é o que, além de funções nutricionais básicas, produz efeitos metabólicos e/ou fisiológicos benéficos à saúde, devendo ser seguro para consumo sem supervisão médica.

Ainda segundo a ANVISA, considera-se enriquecido todo alimento ao qual for adicionado algum elemento com o objetivo de reforçar o seu valor nutritivo, seja repondo quantitativamente os nutrientes destruídos durante o processamento do alimento, seja suplementando-os com outros em nível superior ao seu conteúdo normal.

Os lácteos funcionais no Brasil

Os alimentos funcionais surgiram no Japão na década de 80. No Brasil, estão consolidados desde 2004, com o lançamento da linha de produtos Activia, da Danone.

Hoje, a linha de produtos Activia está disponível nas versões polpa de frutas, líquido e natural. Estão disponíveis também na versão 0% de gordura.

Nos países desenvolvidos, os lácteos funcionais respondem por aproximadamente 65% do mercado, enquanto no Brasil representam entre 20% e 30% do total de produtos comercializados, incluindo os leites fluídos.

Em função da crescente procura por lácteos funcionais e/ou enriquecidos e do crescimento deste segmento no Brasil, foi realizada uma breve pesquisa para se ter uma ideia deste mercado e sua representatividade no país. A pesquisa teve como base o estado de São Paulo.

Fatia de mercado

Na pesquisa realizada, observouse que o principal produto com propriedades funcionais presente nos supermercados paulistas é o iogurte, com 34,7% do mercado.

Em segundo lugar, aparece o leite fluído (UHT), com 29,2%, e, em terceiro lugar, o leite em pó, com 26,4%. Nestes dois casos, trata-se de produtos enriquecidos.

O iogurte, os leites fluídos e o leite em pó, juntos, totalizam 90,3% do mercado de lácteos (funcionais e/ ou enriquecidos). Nos 9,7% restantes, aparecem a bebida láctea achocolatada, os queijos e o leite fermentado.

Veja na figura 1 o resultado da pesquisa no quesito representatividade, por tipo de produto, no segmento de lácteos funcionais e lácteos enriquecidos.

Analisando os lácteos pela sua propriedade ou composição nutricional, os produtos fortificados com cálcio aparecem em primeiro lugar, com 25,9% do mercado.

Na segunda colocação, aparecem os produtos com baixo teor de lactose, com 19,8% do total. Logo em seguida figuram os produtos com adição de fibras, com 17,3%. Juntas, as três principais propriedades perfazem 63,0% do mercado.

Outras propriedades funcionais encontradas foram probióticos (com função de regulador intestinal), produtos fortificados com ferro, produtos com adição de vitaminas (principalmente as vitaminas A e D), produtos com adição de colágeno e também com adição de fitoesteróis, que é uma substância encontrada apenas nas plantas, a qual está cientificamente comprovada ter papel importante na redução de absorção de colesterol em humanos.

Os produtos comumente encontrados são iogurte com fibras ou com probióticos reguladores, leite fluído UHT com baixo teor de lactose e leite em pó com adição de vitaminas e cálcio.

Cabe destacar que alguns produtos possuem mais de uma propriedade funcional. Os mais encontrados foram as associações de fibras e cálcio e de vitaminas e ferro.

Preços mais elevados

Na tabela 1, podemos observar que os alimentos com propriedades funcionais custam mais caro na comparação com os alimentos convencionais.

Quando se observa a média de preços por produto, nota-se que o leite em pó com propriedades funcionais é o que possui maior valor agregado. Os preços são, em média, 54% mais altos em relação ao produto convencional, chegando até 92,6% quando se trata do leite em pó enriquecido com fibras (tabela 2).

Em segundo lugar aparece o leite fluído, com 46,2% de alta na média de preços. A menor diferença de preços é encontrada no leite fermentado, no qual o alimento convencional custa em média R$3,35 (400g) e o alimento com propriedades funcionais custa 24,8% mais.

Franca expansão

Apesar de os preços dos alimentos com propriedades funcionais serem mais elevados que os alimentos convencionais, esse é um mercado que está em franca expansão no Brasil e tem reflexo na demanda por leite no país.

A procura por esse tipo de produto é crescente em função da maior preocupação com a saúde. O consumidor está disposto a pagar mais por este tipo de produto.

Por fim, o incremento da renda do brasileiro colabora para que as camadas de menor renda também tenham acesso a estes produtos, e, com o incremento do salário mínimo, a perspectiva é de expansão do setor.

*Zootecnistas e consultores da Scot Consultoria.