Na Pista - Sommet

Sommet de L´Élevage

Em pleno maciço central da França realiza-se anualmente uma das mais importantes feiras de pecuária da Europa: o Sommet de L’Elevage, em Clermont-Ferrand, que neste ano comemorou a 20ª edição. Reuniram-se mais de 80.000 visitantes (dos quais 80% agricultores), um número saudado pelo presidente do evento, Roger Blanc: “Um novo recorde: estamos muito satisfeitos. Mais importante que público histórico foi a presença de 3.000 visitantes provenientes de 62 países. Nosso esforço de desenvolver um Sommet Internacional atingiu um marco decisivo, pois os estrangeiros eram compradores em potencial”.

Boas notícias vieram também dos 1.250 expositores satisfeitos com a qualidade dos negócios realizados. A perspectiva da pecuária como um todo (gado de leite, de corte e ovinos) é excelente, acompanhando a tendência de alta dos preços, mas os produtores estão de olho nos movimentos dos próximos meses, com a reunião dos ministros da agricultura do G20 e as propostas de reforma da política agrícola da Comunidade Europeia.

Pecuária
No total, foram expostos 2.000 animais de 64 raças de bovinos, ovinos e equinos. Como de praxe, a raça homenageada neste ano foi o Limousin. “Fizemos uma competição excelente, mostrando o melhor da raça”, afirma Romain Ferrier, agente de relações públicas do Livro Genealógico da raça. Foram para a pista francesa 420 animais, de 200 criadores oriundos de 48 departamentos do país. Segundo ele, o leilão também foi um sucesso, com a venda de todos os 21 lotes (para exportação).

Outro sucesso foram os remates de gado leiteiro Pardo Suiço (lá chamado de Eurobrune). A raça é a segunda mais expressiva na Europa, com mais de 600.000 vacas em lactação. 80 animais provenientes de 5 países estiveram em exposição.

Em ovinos, os destaques foram Texel, Charolaise e Grivette. Havia dez raças muito locais em exposição que atraíram a atenção do público, principalmente as de aptidão para carne e para manejo em situações difícies como em terras altas e com pouca pastagem. Nesse ponto o destaque foi a raça Grivettte.

Os equinos estiveram representados por 300 cavalos de um programa de melhoramento de nove raças francesas ao lado de cavalos de sela. Destaque neste segmento para a venda de 40 cavalos para o Cazaquistão.

Insumos e serviços
Em dois pavilhões e em áreas externas foram montados os estandes de fornecedores de suprimentos, insumos e serviços. Muitas novas tecnologias e prestação de serviços, assessoria e consultoria estavam à disposição do público.

Máquinas
O setor de máquinas e equipamentos para pecuária também chamou a atenção, não só pela quantidade de expositores (cerca de 200) como pela diversidade dos equipamentos expostos. Como o caso de um estande de ordenha móvel, automotriz, caracterizando um manejo de gado a campo.

Participação brasileira
O Sommet tem um Pavilão Internacional, onde recepciona os visitantes internacionais e abriga alguns expositores selecionados. O Brasil estava representado nesse pavilhão com um estande da Feicorte, operado pela Agritours Brasil. A presença brasileira (único representante das Américas) foi muito importante não apenas em termos de atração de produtores para a Feicorte e outros programas de visitas à pecuária brasileira como de negócios potenciais.

Vários contatos foram mantidos com representantes de países querendo importar a genética brasileira de raças zebuínas de dupla aptidão, equipamentos e de feiras querendo a presença brasileira no Oriente Médio, Ásia ou norte da África.