A Voz do Criador

Combate aos sugadores de lucro

O mês de setembro chegou, e, com ele, a necessidade de pensar no controle de carrapatos, uma fera que causa prejuízos na ordem de US$ 1 bilhão apenas na América Latina. Hoje, a resistência é um problema sério e merece total atenção. Posto o histórico de manejo deficiente, é preciso prestar muita atenção quanto ao momento correto de aplicação do carrapaticida e a qual molécula o ácaro pode ser resistente. Pode soar como novidade, mas é uma conduta necessária a quem realmente deseja diminuir os prejuízos com a praga. Se o terço anterior de uma das laterais do animal contiver nove ou mais carrapatos de meio centímetro – as famosas mamonas –, é momento de aplicar o veneno.

Mas qual? Quem poderá dizer qual será o melhor produto é o biocarrapaticidograma, um teste que aponta a qual molécula o parasita é mais suscetível. A Embrapa Gado de Leite faz o exame gratuitamente em Juiz de Fora (MG). A APTA/ IZ, em São Paulo (SP), cobra apenas um pequeno valor. Basta enviar as amostras, cerca de 200 insetos – equivalente a um pote de manteiga. Quem quiser por fim a grandes prejuízos, essa deve ser a nova conduta antes de decidir pulverizar os animais. Um teste caseiro também pode ser feito na própria fazenda. Veja todos os detalhes em nossa seção Sanidade. Homeopatia também é uma alternativa para enfrentar o ectoparasita, como poderá ser visto em nossa Escolha do Leitor. Tratase de uma solução nova para um velho problema.

Agora, se a intenção é diversificar a produção, não deixe de ler Entrevista do Mês, com Carla Guerra, docente e especialista no sistema silvipastoril. Cultivar floresta junto com o gado proporciona renda extra e ainda colabora para aumentar a produtividade do rebanho. Ela conta todos os detalhes do processo. Não perca também, em Nelore, as turbulências enfrentadas pelo mercado elite, que, desta vez, perdeu a consagrada Fazenda Mata Velha. Isso e muito mais nesta riquíssima edição de AG!

Boa leitura!