Uma edição que vale por 12. A publicação destaca análises anuais dos principais setores da pecuária brasileira.

Informação com credibilidade há 17 anos!

Mão de Obra

 

Agregando valor

Capacitações causam impacto nos índices produtivos e reprodutivos, bem como na qualidade de carne do rebanho

Jéssika Corrêa

A associação do melhoramento genético com a qualidade das pastagens, o bem-estar animal e a sustentabilidade é uma das receitas para um rebanho produtivo e rentável. Com o objetivo de elevar o empenho nesses quesitos, em 2015 muitas propriedades têm investido na qualificação dos funcionários.

Um bom exemplo é a Fazenda Ressaca, pertencente à Nelore Grendene, localizada em Cáceres, no Mato Grosso, que aposta em uma parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural de Mato Grosso (Senar/MT) e com o Sindicato Rural de Cáceres para qualificar cerca de 80 colaboradores ainda neste ano, direcionando o conhecimento adquirido para as atividades da propriedade, estimulando a receita e a qualidade da produção.

Cursos ajudam a melhorar a qualidade do produto final e a rentabilidade da fazenda

Ao todo, serão 256 horas de aulas práticas e teóricas dentro da fazenda, sendo 40 horas voltadas para a atualização das técnicas de Inseminação Artificial (IA) em bovinos de corte. A capacitação comprova que o método, além de rentável, contribui para o melhoramento genético, ao multiplicar animais com maiores aptidões ao ganho de peso.

“Com essa técnica aplicada na fazenda, por profissionais qualificados, a valorização de um animal chega, em seis anos de ciclo produtivo, a R$ 3 mil a mais se comparado a um gado gerado por monta natural, segundo estudo da Terra Assessoria”, destaca o instrutor do Senar/MT, Marcos Coelho de Carvalho, ao justificar o uso da técnica em prol da seleção e da lucratividade. Segundo o diretor-geral da Nelore Grendene, Ilson Corrêa, a finalidade da parceria entre as entidades é a manutenção da excelência na atuação profissional, satisfação pessoal e produção de qualidade.

“Só conseguimos atingir os níveis de produção desejáveis valorizando o colaborador com recursos que vão além dos monetários. Consideramos o capital intelectual peça fundamental para o sucesso pessoal e coletivo, com reflexo direto no andamento positivo do mercado pecuário”, salienta o diretor, que, seguindo a grade de prioridades do criatório, selecionou, para os colaboradores no ano de 2015, cursos relacionados ao manejo dos animais, inseminação, defensivos agrícolas e outras cinco capacitações.

A inseminação artificial tem sido aliada no melhoramento genético do rebanho Fazenda Ressaca. O número de inseminações, que em 2014 somou 3,2 mil, aumentou 58,7% e, em 2015, já contabiliza 5,5 mil. Para o médico-veterinário da propriedade, Vinícius Garcia, além da antecipação da prenhez, o processo contribui para diminuir a idade entre partos e proporcionar a formação de lotes mais homogêneos.

“Os resultados aplicados na propriedade remetem ao melhoramento da eficiência reprodutiva, pois, a partir dele temos animais com maior potencial de produção e reprodução”, destaca Garcia, que confirma ainda 1,8 prenhez por meio da IATF. Ao ressaltar o papel do profissional responsável pela inseminação, Carvalho afirma que a técnica, aliada a outros fatores, estimula, inclusive, a precocidade sexual, diminuindo o ciclo do rebanho e os custos de produção.

Segundo Ilson Corrêa, a finalidade da parceria com o Senar é a manutenção da excelência na atuação dos funcionários da propriedade

“Hoje, paga-se muito mais por qualidade e a diferença de um bezerro comum para outro com melhoramento genético é imensa. Um animal gerado por IA que recebe suplementação e tem como base alimentar o pasto rotacionado e água de boa qualidade acarreta em imediato ganho de peso, aumento de lotação por hectare e diminuição do tempo de abate”, enfatiza, sem desconsiderar que a utilização de touros provados, tanto para inseminação quanto para monta, podem gerar resultados surpreendentes.

Para completar o cenário de produtividade dentro da fazenda e contrapor as estatísticas que indicam que cerca de 20 milhões de hectares de pastagens em uso deveriam passar por reforma até 2017, como aponta a Agência Agroconsult, a equipe do Senar/MT desenvolve, também dentro da Nelore Grendene, a capacitação referente ao Manejo e Recuperação de Pastagens, aumentando a qualidade nutricional dos pastos a partir da rotação de piquetes.

“A qualidade do capim é resultado da composição nutritiva do solo e influencia diretamente na qualidade da carne produzida. Nesse sentido, o manejo é peça-chave para que um animal tenha rendimento frigorífico e atributos na proteína desenvolvida”, constata Marco Antônio Malburg, instrutor do curso de manejo.

Malburg ressalta ainda que, com o aumento da produtividade, não é preciso explorar outras áreas para aumentar a produção. “O produtor, com a reforma de pastagens, consegue aliar produtividade e sustentabilidade, passando a contar com bom pasto, bons animais e, consequentemente, maior volume de carne com qualidade, acompanhado da preservação ambiental”, afirma.

Segurança no trabalho – NR 31.8 (Aplicação de Agrotóxicos), Segurança no trabalho - NR 12 (Máquinas e Implementos Agrícolas), Aplicação de Agrotóxicos Utilizando Pulverizador Tratorizado, Inseminação Artificial em Bovinos, Manejo e Recuperação de Pastagens, Instalação de Cerca Elétrica, Operação e Regulagem de Implementos Agrícolas Para Plantio e Controle Fitossanitário e Casqueamento em Bovinos serão os cursos oferecidos na Fazenda Ressaca durante o decorrer do ano.

“É essencial que voltemos a atenção para a importância da aplicação dos métodos corretos no dia a dia, atingindo resultados cada vez mais efetivos”, conclui o responsável pelas qualificações na Fazenda Ressaca, Joabe Aires.