Uma edição que vale por 12. A publicação destaca análises anuais dos principais setores da pecuária brasileira.

Informação com credibilidade há 17 anos!

A Edição

 

Poderia ser melhor

Esta é a melhor definição para 2012, um ano apático e de grandes sustos em alguns segmentos. Na chegada da entressafra, a arroba ainda não havia ultrapassado os R$ 100, como aconteceu nos dois últimos anos, e muitos altos e baixos foram presenciados no decorrer do período. O resultado foi um mercado patinando de um lado para outro, o que refletiu em todos os outros setores, como veremos nas análises setoriais presentes neste guia.

A demanda por carne bovina não deslanchou, devido às crises em outras proteínas, que as tornaram ainda mais atrativas economicamente. Soma-se a esse fator a irregularidade das chuvas e a elevação dos preços dos insumos no segundo semestre, que derrubou por terra as intenções de confinamento, por exemplo. A casca de soja chegou a dobrar de preço e o milho subiu 33%, provocado pela quebra de safra norte-americana e, também, pela seca que atingiu algumas regiões brasileiras. O mercado nutrição para gado de corte caiu 3% e para o de leite, 2,5%.

Um fato interessante foi o grande número de abate de fêmeas registrado, atípico frente às tendências costumeiras do ciclo pecuário. A chuva que caiu em momentos inesperados possibilitou que os pecuaristas promovessem a terminação do gado a pasto, mandando as vacas para o abate. A maior oferta garantiu o preenchimento das escalas dos frigoríficos, derrubando os preços da arroba do boi gordo. Isso refletiu sobre os demais setores, como o leitor pode apurar nas páginas do Guia do Criador.

A oferta de reprodutores manteve o ritmo crescente, mas a demanda e o preço não acompanharam a elevação. E se 2011 foi o ano do bezerro, 2012 é para ser esquecido. A cotação apresentou valorização, mas os elevados custos de produção achataram o rendimento do ciclo de cria. Vendas de sêmen e transferências de embriões não impressionaram, mas algumas raças promoveram boa alta para os respectivos setores. Na pecuária leiteira, sem muitas novidades, com custo alto e grande volume de importações. A novidade fica para uma nova inversão de safra.

Para dar pistas do que pode estar por vir em 2013, o Guia do Criador ouviu pesquisadores, consultores, especialistas e empresários. A publicação também traz o conteúdo convencional da Revista AG, com as colunas e as matérias técnicas que você já conhece. Destaque para os resultados do Touro de Ouro 2012, consolidando sua quarta edição. Neste ano, houve alternâncias até então inesperadas, mostrando como está feroz a concorrência entre grandes cases da pecuária nacional.

Não deixe de acompanhar também a relação das doenças economicamente importantes, bem como o calendário de vacinação, além do planejamento forrageiro para 2013, um conteúdo exclusivo do Guia do Criador, com informações preciosas para uma boa gestão da propriedade.

Boa leitura!