A Granja do Ano – 33 anos da melhor prestação de informações e serviços ao profissional do campo.

Radiografia das principais atividades agrícolas, relação de instituições e empresas do agronegócio brasileiro.

Silos e Armazenamento

Inovação para ARMAZENAS a safra

Qualidade do grão e segurança nas operações são prioridades nos produtos e serviços da Kepler Weber

A Granja do Ano - Qual é o potencial para o crescimento do segmento de armazenagem de grãos no Brasil?

Olivier Colas - A visão da Kepler Weber para o mercado de armazenagem de grãos no País é positiva. Já havíamos previsto, há cerca de um ou dois anos, que 2015 seria um período no qual o segmento passaria por uma estabilização, contudo, ainda enxergamos grandes oportunidades motivadas pelo déficit em armazenagem. Cerca de 40 a 50 milhões de toneladas de grãos não possuem equipamentos adequados para armazenagem no Brasil, esse número representa entre 20% e 25% de toda a safra que, atualmente, chega a ultrapassar 200 milhões de toneladas. O produtor precisa se modernizar para ganhar vantagem competitiva.

Com os grãos sob seu próprio cuidado, ele mantém um controle maior ao negociar sua carga. Para se ter uma ideia, a FAO indica que o agricultor tenha 20% a mais de sua capacidade estática; países como Estados Unidos e Canadá operam dessa forma. Um grande aliado para mitigar esse quadro é o novo Plano Safra. Linhas como PCA (Programa para Construção e Ampliação de Armazéns) e Plano Cerealista oferecem boas oportunidades para o investimento dos produtores: os juros, na casa de 7%, extremamente atrativos quando comparamos à Selic; o prazo de financiamento de 15 anos; o tempo de carência fixado em três anos e a possibilidade de financiar a obra civil.

A diminuição da verba destinada à armazenagem não é um fator que deve refrear os produtores. Prevemos que quem está bem capitalizado irá utilizar recursos próprios, já o agricultor familiar terá o crédito facilitado.

Como foi o desempenho da empresa em 2014 e como estão os negócios da Kepler no exterior?

A Kepler Weber encerrou 2014 com lucro líquido de R$ 132,7 milhões, uma alta de 113,7% em relação a 2013 e um recorde histórico para a companhia. Já a receita líquida cresceu 52,3%, quando comparada ao ano anterior, somando R$ 905,8 milhões. Também em 2014, a companhia forneceu 3,5 milhões de toneladas em capacidade estática, 45% do volume negociado no mercado de armazenagem. Os produtos da Kepler se encontram em terras agrícolas de 40 países e nos cinco continentes do globo. Acumulamos três décadas de liderança na América Latina e nossa meta para os próximos anos é aumentar ainda mais nossa representatividade mundial. As apostas são para América Latina, Leste Europeu, África e Oriente Médio.

Olivier Colas é vice-presidente da Kepler Weber

Quais são os diferenciais dos produtos e soluções da Kepler no mercado de armazenagem?

A inovação na Kepler Weber é encarada como principal parâmetro para a criação e aperfeiçoamento de nossas linhas. A nossa marca representa o que há de mais tecnológico e sofisticado em soluções para armazenagem de grãos e movimentação de granéis sólidos em terminais portuários, centros de transbordo e mineração. O próximo momento da Kepler Weber é buscar por soluções mais seguras e automatizadas. Além de oferecermos um produto que possibilita mais qualidade ao grão, trazendo consideráveis ganhos econômicos para nossos clientes em todas as escalas, prezamos também pela proteção, agilidade de operação e bemestar dos produtores.

Quais são as mais recentes novidades da Kepler no mercado de armazenagem?

A companhia mantém um departamento chamado CETEK, o Centro Tecnológico de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação, responsável pela melhoria contínua dos produtos. Neste ano, lançamos três novidades adequadas às mais recentes normas de segurança do mercado: O Silo Elevado 36’ de diâmetro é preparado para permitir acesso seguro à operação em manutenção. Os sistemas de termometria e aeração são opcionais, possibilitando a adequação da necessidade de cada cliente.

As Roscas Varredoras 2015 passam a ser automáticas e assistidas, prezando pela segurança do operador ao eliminar a necessidade de colocar pessoas dentro do silo durante o processo de descarga. Automatizadas, é possível operar as roscas varredoras por meio de um quadro de comando instalado na parte externa do silo. Já as Passarelas Modelo 2015 foram dimensionadas para resistir aos efeitos de ventos em até 144 km/h, com estrutura totalmente metálica com chapas zincadas e os itens de segurança são destacados em amarelo.