A Granja do Ano – 33 anos da melhor prestação de informações e serviços ao profissional do campo.

Radiografia das principais atividades agrícolas, relação de instituições e empresas do agronegócio brasileiro.

Pecuária de Corte

GENÉTICA para impulsionar a produção

Touros da CFM colaboram para aprimorar os índices do rebanho bovino brasileiro

A Granja do Ano - Como você avalia a contribuição do trabalho da CFM para a melhoria e para o crescimento da pecuária brasileira?

Geraldo T. Martins - Nosso programa de seleção de touros foi o primeiro, no caso do Nelore, a ser aprovado pelo Ministério da Agricultura para a emissão do CEIP – Certificado Especial de Identificação e Produção - e hoje somos os maiores produtores de touros com essa chancela no País. Em atividade desde 1980, nosso programa é fundamentado em critérios técnicos e com reflexos de desempenho econômico dos animais. Desde o início do Programa de Seleção da CFM, conquistamos grandes resultados na produção de touros. Nossos reprodutores alcançaram ganhos genéticos da ordem de 91 kg a mais de peso ao sobreano, o que, em uma conta rápida, significa potencial de ganho extra ao redor de R$ 58 mil por touro CFM em serviço ao longo de sua vida útil. Já produzimos, fechada a última safra de touros, quase 35 mil touros para atender a necessidade de reposição da CFM e também de nossos clientes. Isso tudo sem contar o mercado de inseminação artificial, no qual já produzimos mais de 1,5 milhão de doses de sêmen.

Geraldo T. Martins é presidente da CFM

Qual é o perfil dos clientes da CFM e como está a atuação da empresa em outros países?

Nossos clientes estão em 24 Estados brasileiros. A Região Sudeste ainda representa a maior fatia de domicílio dos clientes CFM, com cerca de 60%. Contudo, menos de 18% dos touros permanecem na região, mostrando que realmente as fazendas estão em outros Estados. Já o Centro- Oeste é o destaque da pecuária de corte no Brasil e não podia ser diferente com a CFM. A região tem 25% dos clientes domiciliados da empresa, mas que recebem mais de 60% dos touros. O Norte e o Nordeste concentram 10% do total de clientes da CFM no País. Atendemos desde pequenos produtores, que compram apenas um touro, até grandes grupos pecuaristas com compras de mais de 100 touros. Também podemos destacar que nossa carteira de clientes tem aumentado ao longo dos anos com maior presença de pequeno e médio criador. No mercado externo, consolidamos a parceria comercial com uma empresa paraguaia para localmente ser a representante comercial da CFM. E os resultados já apareceram com a exportação de 230 touros ao Paraguai.

Quais são os mais recentes projetos e conquistas da CFM?

Acabamos de consolidar um novo formato de sistema de comercialização de touros, o CFM BullTrade, no qual o cliente pode indexar a sua compra de touros CFM na arroba do Boi Gordo para pagamento futuro. Esse foi o segundo ano consecutivo dessa nova modalidade de venda, e os resultados foram muito positivos. Em 2014, lançamos novas formas de relacionamento e de eventos, com conteúdo técnico e comercial para nossos clientes, com a realização do encontro Técnico CFM que teve mais de 400 inscritos. Inovamos com a primeira transmissão do Tira Dúvidas do Megaleilão, um programa com uso de multiplataformas integrando Internet, TV, e-mail, telefone e redes sociais, também com sucesso de participação, inclusive de pecuaristas da Bolívia. Como já é tradição, em agosto abrimos nossa nova safra de touros para comercialização com o Megaleilão CFM 2014, já na sua 16ª edição.

Quais são os principais desafios da pecuária brasileira dentro e fora da porteira?

O setor de cria tem estado em grande foco nos últimos anos, quando falamos em investimento. Isso porque muito já foi feito na recria e na engorda, onde realmente o retorno dos investimentos é mais rápido. Quando falamos em cria, destacamos que o produtor está cada vez mais consciente de que a genética é e deve ser tratada como insumo. Nosso registro de aumento na procura de nossa genética por pequenos e médios produtores confirma isso. A pecuária enfrenta grande concorrência de outras atividades dentro da própria fazenda, e manter a atividade competitiva em relação às outras opções de investimentos é o principal desafio atual.