A Granja do Ano – 33 anos da melhor prestação de informações e serviços ao profissional do campo.

Radiografia das principais atividades agrícolas, relação de instituições e empresas do agronegócio brasileiro.

Seguros

A mais bela lavoura é a SEGURADA

Grupo Banco do Brasil Mapfre oferece seguros para culturas, máquinas e equipamentos e seguro-faturamento, entre outros

A Granja do Ano — Quais são os principais produtos que a empresa oferece ao segmento agrícola e o que ganha o produtor rural em utilizálos?

Glaucio Toyam — Dentre os produtos rurais que oferecemos, destaco os seguros agrícolas para as culturas de grãos (soja, milho primeira e segunda safras, trigo e arroz); para algodão, café, vários cultivos de frutas e hortaliças, e florestas. Na modalidade agrícola, comercializamos o segurofaturamento, em que o produtor pode ser indenizado pela diferença entre o faturamento previsto e o efetivamente obtido com sua produção. Temos também seguros patrimoniais para máquinas e equipamentos agrícolas, assim como para a grande maioria das benfeitorias dos produtores. Destaco, ainda, os seguros de vida ao produtor rural, cujo objetivo é liquidar a dívida do produtor perante o agente financeiro. Todos os produtos ofertados pelo Grupo Segurador Banco do Brasil Mapfre têm por objetivo dar tranquilidade ao produtor rural e às empresas e instituições atuantes no setor do agronegócio, apoiando a continuidade do seu negócio, seja por problemas de safra, quebra de equipamentos, entre outros incidentes.

Quais são os principais objetivos e metas da Mapfre Banco do Brasil para o segmento agrícola na safra 2014/15?

Nesta próxima safra, nosso planejamento foi orientado para as melhorias de nossos produtos e serviços. Continuamos focados no incremento da adesão dos produtores rurais brasileiros às apólices de seguros agrícolas, florestais e pecuários, como ferramenta de proteção contra intempéries da natureza e segurança de cultivos essenciais à economia local e brasileira. Hoje, apenas uma pequena parcela dos produtores tem cobertura de seguro rural, o que revela uma enorme lacuna na proteção das lavouras no agronegócio. Para nós, essa realidade traz grandes oportunidades.

Glaucio Toyam é diretor técnico de Seguros Rurais do Grupo BB Mapfre

E quais as mais relevantes conquistas recentes da empresa que o senhor gostaria de destacar, sobretudo no segmento agrícola?

Nesta safra, em especial, estamos muito satisfeitos com a relevância de nossos produtos e serviços para os produtores rurais. A seca que atingiu especialmente os Estados do Paraná, São Paulo, Rio Grande do Sul, Mato Grosso, Minas Gerais e Goiás prejudicou significativamente as expectativas de muitos produtores no final da safra anterior. Naquela ocasião, o Grupo atendeu mais de 5 mil produtores de 13 Estados, mobilizando equipes que se deslocaram para as localidades atingidas para oferecer apoio e informações e acelerar as perícias e avisos de sinistro, o que evidencia o caráter de proteção social que o seguro representa. Ressalto, também, a relevância do seguro florestal nos projetos do Programa ABC (Agricultura de Baixo Carbono). Este é um produto que vem ganhando espaço na análise de riscos dos produtores e das empresas agroflorestais.

Os últimos Planos Agrícola e Pecuário vêm ampliando os recursos para o seguro agrícola. Mas o que mais o Governo poderia implementar para facilitar o seguro ao produtor rural?

O Governo brasileiro vem aumentando os recursos financeiros da PSR (Prêmio a Subvenção Rural) e adotando medidas para facilitar o acesso da subvenção ao produtor rural. Este fato pode ser observado pelo aumento de produtores que contrataram seguros em 2013, que representou um incremento de 61% comparado ao ano anterior. Entendemos que o Governo está atento às demandas do setor.