Brasil de A a Z

 

Quais as diferenças entre Nelore Mocho e Nelore Padrão? Quem é melhor?

William Koury Filho é zootecnista, mestre e doutor em Produção Animal, jurado de pista de Angus a Zebu e proprietário da Brasil com Z® – Zootecnia Tropical

Amigos da lida, não sei para vocês, mas para mim 2017 começou acelerado. Claro que normalmente já é assim, pois em fevereiro é tempo de colheita e plantio na agricultura. Na pecuária estamos em plena estação de monta e final da estação de nascimento. Sei que é assim, mas este ano está diferente, penso que seja em função de que, em tempos de economia fraca, temos de inovar e encontrarmos soluções criativas para obtermos melhores resultados financeiros. É a tal história, em tempos de “crise”, “crie”, e faça das dificuldades um impulso para no momento seguinte/oportuno dar uma arrancada.

É, nós, que trabalhamos com boi, não podemos estar nada satisfeitos com os preços, explicados pelo consumo em baixa no mercado interno, já que o brasileiro perdeu poder de compra. Fora isso, há aqueles consumidores que perderam o emprego – e não foram poucos. Perspectivas? Pelo que lemos e assistimos nos noticiários, creio que, para o segundo semestre, podemos ter alguma recuperação da economia - caso as reformas necessárias sejam realmente implementadas por este Governo.

Já que não podemos fazer muita coisa da porteira para fora, pois quem dita as regras do mercado são tantos fatores fora do nosso alcance, não tem “mimimi”, o negócio é trabalhar pela maior produtividade da porteira para dentro do negócio. Sejamos eficientes!

Porém, vamos ao tema título da coluna de hoje. É obvio que a maior diferença é que um tem chifre e o outro não tem, ou ainda pode ter um calo (pele mais grossa de onde sairiam os chifres), ou batoque, pequenos rudimentos de chifre, “chifres” moles/s...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista AG, clique Aqui e Assine Agora!