Mercado

Escassez de boi gordo impulsiona o mercado da carne

A retomada do crescimento das exportações da carne bovina brasileira a partir de agosto, após a retração em volume e em faturamento ocorrida em julho, quando despencou a demanda chinesa, continuou no mês de setembro. Segundo dados da Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne (Abiec), o volume total embarcado foi de 119,9 mil toneladas de carne, o que gerou US$ 486 milhões de receita, com aumentos de 5% e 4%, respectivamente, frente ao mês anterior. Também houve aumento no acumulado de janeiro a setembro de 2016 frente a 2015 de 8% em volume, totalizando mais de 1 milhão de toneladas exportadas, que resultaram em US$ 4,187 bilhões.

Os principais países importadores da carne bovina brasileira no mês de setembro foram Hong Kong, China e União Europeia. Vale destacar a mantença de Hong Kong na liderança e a China, que voltou a figurar entre os maiores importadores, saltando da sétima colocação em agosto para a segunda colocação em setembro. O crescimento da importação chinesa comparando esses dois meses foi de 197% em faturamento e 213% em volume.

Dentre as categorias mais exportadas, a carne in natura segue na liderança, seguida da industrializada, dos miúdos, das tripas e das salgadas.

A tabela Boi Gordo no Mundo ilustra os preços da carne bovina praticados no mercado internacional da segunda quinzena de setembro até a primeira quinzena de outubro.

O produto brasileiro segue vantajoso frente às outras praças devido ao valor do dólar dentro do território nacional; porém, devem-se ressaltar os sucessivos aumentos do valor da arroba brasileira e a queda de preço da mercadoria americana no decorrer de 2016. A alta foi de 27,1% e a retração, de 14%, respectivamente, frente ao intervalo da última quinzena de dezembro de 2015 e a pri...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista AG, clique Aqui e Assine Agora!