Escolha do Leitor

Bezerros recém-nascidos

5 cuidados simples que garantem bons resultados

Juliana Camargo e Larissa Salles Teixeira*

Brasil alcançou a marca de 215,2 milhões de cabeças de gado no ano de 2015, conforme dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Esse feito somente foi possível com práticas de manejo cuidadosas ao longo dos anos em todo o sistema e fases de criação, inclusive com o bezerro, peça-chave para alcançar resultados expressivos. Afinal, para ser eficiente não basta ter um bezerro por ano, é preciso que esse bezerro sobreviva.

Os dados mostram que cerca de 70% das mortes ocorrem nos primeiros 30 dias de vida e são decorrentes, em sua maioria, de problemas fáceis de evitar, diminuindo assim a mortalidade na fase mais crítica na vida dos animais.

Cuidados e práticas como a cura de umbigo, colostragem e vacinação são fundamentais no controle de problemas do rebanho e merecem atenção especial por parte dos pecuaristas. A seguir são apresentados os principais cuidados que se deve ter após o nascimento dos animais.

LIMPEZA DAS VIAS AÉREAS

Após o parto, é comum a vaca lamber sua cria, como uma forma de limpeza das vias aéreas superiores, facilitando a respiração do neonato. Porém, em casos em que isso não ocorre, o tratador deve estar atento e limpar a boca e narinas do animal com cuidado, se necessário, certificando-se que o mesmo está respirando adequadamente. Após esse primeiro manejo, a cura do umbigo e a colostragem devem ser realizadas.

CURA DO UMBIGO

A cura do umbigo deve ser feita o mais rápido possível, de preferência, imediatamente ao nascimento com soluçã...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista AG, clique Aqui e Assine Agora!